Você e seus problemas.

O tamanho dos nossos problemas é bastante relativo, e reduzi-lo em muitos casos é um trabalho mental.

Olhar para os problemas com auto-estima elevada, de cabeça erguida, com olhar altivo, nos coloca em melhor situação.

Você cresce e seus problemas diminuem.

Você fica pequeno e de repente percebe que os problemas cresceram de tamanho, e as coisas que estavam escondidas apareceram travestidos de novos problemas.

Crescimento pessoal:

Fique grande e mantenha os problemas pequenos.

Mantenha a auto-estima elevada e olhe os problemas com realidade.

Quando olhamos o mundo com realidade, ele deixa de nos amedrontar.

Não há problema que dure para sempre.

Quando a coisa for mesmo inevitável e definitiva, trabalhe a sua aceitação, e vai tirar essa carga imensa de seu coração.

Procure respirar fundo e aliviado, como se um fardo enorme de suas costas houvesse sido removido.

Faça o trabalho mental e busque essa sensação.

Temos um hábito negativo de ficar ruminando os nossos problemas, como se eles nunca nos abandonassem.

Não raro, os problemas já não existem há muito tempo, mas ficamos com eles apenas em nossa mente, fazendo uma grande confusão.

Muitas vezes os problemas sequer são nossos, e estamos na verdade tentando cuidar da vida dos outros.

Cuide da própria vida:

Cuide da sua própria vida, e já é o bastante.

O que ela disse e o que ele fez, em primeira instância diz respeito à outra pessoa.

Em alguns casos, convém buscar ajuda profissional, mas tente também alguns exercícios para deixar que os problemas te dominem.

Faça uma relação dos principais problemas que te afligem.

Juntamente com cada problema, escreva exatamente o impacto que cada um está causando na sua vida.

Reflita sobre as ações possíveis que você pode tomar na direção da solução de cada um deles.

Alguns resultados podem aparecer de cara.

Certos itens da lista não serão contemplados com ação nenhuma – certamente não há nada a fazer – ou não é da sua conta, ou você deve trabalhar a sua aceitação.

Para outros itens, você vai ficar surpreso em ver que não há impacto substantivo para você. Conclusão – até que ponto isso é importante?

Fique bem com seus problemas, lidando com maturidade, objetividade e serenidade.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta