Você anda emocionalmente anestesiado?

Quem ainda não se sentiu emocionalmente anestesiado?

Às vezes saímos tão machucados das nossas crises que preferimos um congelamento dos sentimentos, só para não sentir a dor. Temos que fazer um esforço adicional para sair dessa dormência emocional.

É como se escolhêssemos a ausência de dor e também de satisfação, e muitas vezes fazemos isso com o auxílio de recursos tóxicos que temos que evitar a todo custo.

Aquele olhar morto e o corpo pedindo para não se movimentar. A mente girando círculos, ruminando e gastando aquele último lapso de energia – precisamos sair dessa urgente, e não devemos hesitar em procurar ajuda profissional quando for o caso.

Aquele eu fragmentado e sofrido faz um apelo para que juntemos os cacos e sigamos a vida.

Só por hoje:

Levante a cabeça e repita comigo: só por hoje vou cuidar de mim mesmo.

Não há situação que não possa ser melhorada, e normalmente nos sentimos derrotados por uma conjugação de fatores e problemas, mas não temos que resolvê-los todos de uma só tacada.

Resolva um por vez e procure viver a vida um dia de cada vez. Estabeleça uma prioridade e se movimente nessa direção.

A vida é difícil para qualquer um, e é permitido se sentir angustiado, é permitido sentir medo.

Cuide da saúde, se mantenha calmo e tudo vai ficar bem.                                                                                                                                                        Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta