Reviver os bons tempos para ser mais feliz

Reviver os bons tempos para ser mais feliz

Vamos fazer um esforço para reviver os bons tempos, nos lembramos quando éramos mais jovens, mais arrojados, irreverentes e alegres.

Era feliz e não sabia – isso pode ser um sinal de arrependimento, mas pode ser puro saudosismo.

E será que o saudosismo é um bom sinal?

É sinal de que nos lembramos mais das coisas boas e esquecemos um pouco as coisas ruins?

Viver só no passado não é bom, pois vamos deixar de construir o futuro. No entanto, estar conectado com as coisas boas do passado também traz felicidade.

Diz Gretchen Rubin

Gretchen Rubin aborda essa questão em uma de suas postagens, e diz que devemos manter vivas as lembranças. Manter firmes as conexões com as pessoas, colegas de turma do colégio.

Compareça às reuniões dos antigos grupos. Repasse os momentos olhando fotografias e fazendo comentários.

Gretchen reconhece o quanto é difícil manter esse mecanismo, pois estamos muito ocupados com as atividades correntes.

New York Times:

Outro aspecto interessante apontado em artigo do New York Times, é que a felicidade pode chegar com a idade.

Diz o artigo que as pessoas com mais de 50 anos são mais felizes. Acredita o autor do artigo, baseado em estudos com 340.000 pessoas, que os jovens estão pouco preocupados com o futuro e ainda tateando nos seus planos, e o adulto até os 50 anos está tentando lidar com as bolas quadradas que a vida lhe reserva. O indivíduo maduro e idoso já passou por tudo isso e agora tem um cabedal de recordações boas para alimentar a sua felicidade.

Outro ponto é que o indivíduo passa por transformações psicológicas e fisiológicas com a idade, o que justifica uma mudança de atitude frente à vida.

Acho que isso faz sentido.

Eu próprio tenho me preocupado em organizar as minhas recordações e escrever sobre os eventos do passado para não me esquecer dos detalhes dos fatos e das pessoas as que protagonizaram.

Vale listar aqui algumas recomendações que me vem à cabeça para levar a sério essa coisa de – Ah! Os bons tempos.

1-Faça um bom registro da sua infância. Éramos todos bonitinhos, engraçadinhos, sem problemas, sem dentes e felizes.

2-Não tínhamos o conforto de hoje, mas éramos felizes com o que possuíamos. Guarde bem os registros valiosos, as fotografias das pequenas coisas que te trouxeram a felicidade. Escreva sobre isso enquanto a memória não te aplica truques da idade.

3-Você teve animais na infância, cães, gatos, etc. Relembre os nomes, revire as fotografias e escreva sobre eles.

4-As lembranças do colégio são ótimas, as brincadeiras, as primeiras paqueras e azarações, os professores.

5-Quem tem filhos, se lembrar deles bebês, quando ainda não pediam mesada nem carro emprestado.

6- Aqueles que já se aposentaram, possuem um mundo de lembranças da vida profissional, a faculdade, a escolha profissional, o primeiro emprego e os primeiros desafios.

7-Use a criatividade – colecione e organize o seu acervo do passado, preserve a sua memória.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta