Valorizo aquilo que tenho.

Aprendi a valorizar tudo que tenho.

Posso não ter tudo que quero, mas tenho tudo que preciso.

Tenho muito?

Tenho pouco?

Acho que tudo depende da expectativa que tenho da vida.

Se espero ter muitas posses, muito dinheiro, acho que nunca terei o bastante. Estarei sempre insatisfeito.

Valorizo as pessoas que tenho ao meu lado, as pessoas que conheci.

Dou muito valor às amizades sinceras, as minhas experiências e as lembranças de tudo de bom que já vivenciei.

Me ocorreu citar, o já bastante citado anúncio de Bilac.

O dono de um pequeno comércio, amigo do grande poeta Olavo Bilac, abordou-o certa vez na rua:
– Sr. Bilac, preciso vender a minha propriedade, que o Senhor tão bem conhece. Poderia, por gentileza, redigir o anúncio para a venda no jornal?
Olavo Bilac apanhou o papel que o amigo lhe estendia e escreveu:
VENDE-SE ENCANTADORA PROPRIEDADE
“Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer no extenso arvoredo. Cortada por cristalinas e marejantes água de um ribeiro. A casa, banhada pelo sol nascente, oferece a sombra tranqüila das tardes, na varanda”.
Meses depois, o poeta reencontrou o comerciante e perguntou-lhe se havia conseguido vender a propriedade.
– Nem pense mais nisso Sr. Bilac! Quando li o anúncio que o senhor escreveu é que percebi a maravilha que tinha nas mãos.

Isso é bem verdade. Muitas vezes não nos damos conta das jóias que temos.

Podemos incluir nesse elenco as coisas materiais, mas temos que nos dar conta de tantas coisas não materiais que temos na vida.

Temos algumas reclamações da vida, mas a vida é abundante nas bênçãos concedidas.

Aproveite o que tem.

Dê graças pelo que tem.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta