Uma vida amarrada.

Quero desatar a minha vida, quero ganhar velocidade, mas fico insatisfeito com o ritmo em que os nós se desatam.

Impaciência.

Quero mudanças rápidas e nem sempre isso é possível.

Parar e esperar?

Não consigo, quero apressar as coisas.

Mudanças:

Será que preciso de uma mudança interior?

O que está faltando para eu me sentir melhor, mais feliz?

Talvez o tempo de espera não seja um tempo perdido.

Talvez calma e paciência seja o que está me faltando.

Sempre ouvi dizer que não devo apressar o rio.

Aprendi com um ditado árabe que diz: “na tempestade, reze para Alá e amarre os camelos”.

Há também aquela anedota cristã da pessoa que preparou a terra, plantou as sementes, aplicou os adubos, retirou as ervas daninhas e estava então regando e apreciando as flores bonitas que chegaram com a primavera. O vizinho se aproximou e disse “que bonitas flores Deus te proporcionou!”. Foi quando o dono das flores replicou, você precisava ver os canteiro quando deixou tudo por conta Dele.

Fé:

Precisamos orar e ter fé, mas precisamos fazer a nossa parte.

Agora, depois que fiz a minha parte, orei e deixei que Deus faça a sua parte, o que devo fazer com a minha impaciência?

Talvez eu esteja no ritmo do fast-food, café espresso, café instantâneo e tudo que a vida corrida traz.

Tudo que deixa de ser rápido acaba ficando obsoleto.

A paciência deixa de ser nossa companheira nesse mundo moderno.

Dizem que a impaciência mostra a falta de paciência principalmente consigo mesmo.

Acho que é hora mesmo de me tratar melhor.

Quero deixar de colocar tanta pressão em mim mesmo.

Tenho que me deixar em paz. Tenho que conseguir a paz.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta