Uma porta que se fecha e uma janela que se abre

Uma porta que se fecha e uma janela que se abre

Não encare as portas fechadas como algo definitivo. Para cada porta que se fecha há sempre uma janela que se abre, e a vida é assim, abundante e generosa.

Sempre que uma porta se fechar para você, não se desespere, respire fundo e redobre a sua atenção, ou não vai perceber uma janela se abrir logo ali.

É um adágio universal, que nos estimula a procurar as oportunidades em meio aos tempos desafiantes.

Nada é totalmente ruim.

Veja a coisa boa que vem da situação supostamente ruim.

O lado bom:

Vi a entrevista do Kaká, lá da África do Sul após a sua expulsão do jogo contra a Costa do Marfim.

Disse ele: “veja pelo lado bom, vou ter um tempo maior para me preparar….”

O desapontamento, a tristeza, a frustração e a perda, podem vir acompanhadas de uma oportunidade para outras realizações.

Os filósofos se referem a uma lei da compensação, onde o equilíbrio de coisas boas e ruins acontece.

Assim como a transformação é o fim para a lagarta, o mesmo processo representa o início para a borboleta.

Aguce a sua percepção, pois a oportunidade pode estar escondida. Normalmente estamos tão atordoados com a oportunidade perdida, um negócio desfeito, que não enxergamos o universo trabalhando ao nosso favor.

Às vezes isso não acontece logo em seguida, é preciso ter um pouco de paciência, com a mente e o coração abertos para aproveitar as novas oportunidades. Aceite o novo, aceitas as novas circunstâncias e não dê murro em ponta de faca. Deixe ir o que já passou – saia do muro das lamentações.

Se imagine num quarto escuro onde a porta acabou de se fechar. Fique sereno e atento para a pequena fresta que vai aparecer, deixando passar a luz, no princípio quase imperceptível, mas de repente o seu ambiente se ilumina por completo.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta