Uma névoa que criamos.

Nos esforçamos para aperfeiçoar uma imagem de nós mesmos, mas criamos uma névoa que acaba atrapalhando. Muitas vezes recusamos encarar a pessoa que somos, pois criamos uma imagem de perfeição inadequada, e constatamos de cara que essa imagem ideal não é aquela que apresentamos.

Criamos logo uma cortina de fumaça para embaralhar tudo, e isso é o medo de encarar a si próprio.

Essa atitude não permite que o crescimento pessoal se estabeleça, pois sequer sabemos aquilo que temos que melhorar.

Negamos as nossas deficiências e defeitos, e ficamos atordoados com a sensação de inadequação.Aceitação:

Temos que aceitar a pessoa que somos afastando de vez a imagem ideal, ilusória e inadequada da pessoa que deveríamos ser.

Muitas vezes isso advém da comparação desnecessária que fazemos da nossa realidade com a realidade de outras pessoas.

De repente estamos fazendo comparações com o bem estar financeiro de uma pessoa que não fez nada diferente de nós mesmos, apenas herdou uma pequena fortuna e vive com bastante conforto material.

Muita comparação leva sempre à infelicidade.

Quando criamos essa névoa da não aceitação de si mesmo, ficamos sem saber ao certo o que é que nos incomoda, especificamente.

Até para nos corrigirmos, temos que ser específicos.

O que é mesmo que não gosto em mim?

Tenho que fazer uma reflexão honesta, relembrar os momentos onde essa insatisfação e desconforto se manifestaram.

Quando criamos os nossos filhos, temos que incutir desde pequeno a noção de aceitação, e afastar a sensação de inadequação.

Isso acaba se tornando um traço difícil de trabalhar quando adulto, tantos defeitos recebeu quando criança.

A não aceitação de si mesmo é um obstáculo sério para a felicidade.

Estaremos sempre descontentes consigo mesmo, desajustados de tudo que é ambiente – insatisfeitos permanentes.

Reveja as histórias que conta a si mesmo. Pare de se colocar como a vítima das histórias.

Se perdoe e deixe passar as pequenas coisas, e pare de carregar tanta culpa por coisas sem qualquer importância.

Se afaste do perfeccionismo. Perseguir a perfeição, nas palavras de John Monbourquette (How to befriend your shadow), culmina na frustração de descobrir a profunda e real dimensão da própria sombra.

Desenvolva um amor incondicional por si mesmo.                                                                  R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta