Uma mente aberta e um coração pronto para acolher

Uma mente aberta e um coração pronto para acolher

Vamos falar bastante sobre a mente e o coração, mas antes, uma dica prática para acessar postagens antigas.

Hoje encerramos uma etapa de 6 anos de postagens diárias, com 2220 postagens, e você pode acessar qualquer dia apenas colocando a data após a URL do blog. Por exemplo, se quiser acessar o dia 13 de outubro de 2014, coloque projetosejafeliz/2014/10/13, ou seja, primeiro o ano, depois o mês e finalmente o dia, todos separados por barra.

A partir do dia 4 de janeiro passarei a postar semanalmente, todas as segundas-feiras.

Na postagem inaugural do blog, falei sobre manter o coração aquecido.

Hoje comento sobre manter uma atitude misericordiosa, o que significa manter o coração pobre, mísero.

Um coração rico e soberbo não tem mais espaço para qualquer outro sentimento, amor, compaixão, ou generosidade.

Um coração pobre – misericórdia -, por outro lado está sempre aberto e livre para acalentar outros sentimentos.

Misericórdia significa espaço livre para abrigar sentimentos: compaixão, amor, generosidade, amizade, perdão.

A atitude compassiva só é possível associada à atitude misericordiosa. Só é possível sentir a dor do outro com espaço livre no coração.

Coração Leve:

Precisamos abrir o coração e dar espaço para os sentimentos.

O coração rico e soberbo, já está repleto de outros sentimentos tóxicos, que tal qual um elemento gasoso, ocupa todo o espaço vazio, não deixando lugar para mais nada.

A atitude misericordiosa é generosa porque a generosidade cabe nesse coração.

A atitude misericordiosa é amorosa porque o amor cabe dentro desse coração.

A atitude egoísta e soberba, e é própria de um coração rico e pleno sem espaço para mais nada. É o coração do orgulho, da inveja, da vaidade.

Cultivar uma atitude misericordiosa é manter mísero o coração, livre da sobrecarga emocional frugal, e atento para a dor e o sofrimento dos outros.

O bem é silencioso, e iluminado. Ocupa um pequeno espaço no coração, mas irradia por tudo que lá transita.

Fazer o bem te faz bem.

Um coração mísero é também um coração feliz.

Pensava eu que deveríamos ter um coração grande, um coração de mãe, que sempre cabe um sentimento, tão grande que ele é.

Aprendi da recomendação milenar, que o bom é ter o coração sempre pobre com espaço para acolher todos os sentimentos.

Madre Tereza:

Outro dia, ouvia trechos de entrevistas de Madre Tereza de Calcutá e depoimentos de pessoas que conviveram com ela. Vi a força de uma atitude misericordiosa, um coração mísero, capaz de abrigar a dor do mundo e agir compassivamente para ajudar a abrandar essa dor.

Ela é religiosa e cumpre o seu papel – diriam uns.

Mas a atitude misericordiosa cabe em qualquer indivíduo. Comento a declaração de George Clooney o prêmio Humanitário do Emmy pelo seu trabalho incansável em prol das pessoas do Sudão, do Haiti, vítimas do Katrina, e tantos outros assolados pela desgraça.

Disse Clooney que este era um prêmio estranho de se ganhar, pois não estava fazendo nada mais do que sua obrigação. Disse ainda que “é importante não nos esquecermos de quanto bem podemos fazer, ainda que a mídia dê mais atenção às coisas ruins e comportamentos desprezíveis”.

Tenham todos um Feliz 2016, e espero encontrá-los sempre por aqui.

Rubens Sakay (Beco)

2 Comentários

Julio Surreaux Chagas

about 1 ano ago

Excelente o Post Rubens Sakay! Lembrei da mensagem do Santo Padre Pio de Pietrelcina que diz: "Você já viu um campo de trigo em época de colheita? Observe que certas espigas são altas e viçosas, outras se curvam em direção à terra. Experimente colher as altas, mais vaidosas, e verá que são vazias. Se colher as que se curvam, as mais humildes, verá que estão carregadas de grãos. Daí você pode deduzir que a vaidade é vazia."

Responder

Rubens Sakay

about 1 ano ago

Julio, muito sábia a reflexão do padre. Desejo-lhe felicidade e uma vida plena. Abraço!

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta