Uma família muito pequena.

Muitas pessoas notáveis no campo da espiritualidade, incluindo Madre Tereza de Calcutá dizia que fazemos o nosso círculo familiar muito restrito, e por isso acabamos excluindo muita gente da influência da nossa amizade, confiança e generosidade.

Quando construímos os nossos relacionamentos de confiança no núcleo estritamente familiar, empobrecemos a nossa influência social e nos tornamos pobres, nós mesmos.

Sem contar que em tempos de redes sociais, acabamos por criar um emaranhado de relacionamentos frágeis, supérfluos e desvestidos de qualquer compromisso sério.

Temos que cuidar dos nossos relacionamentos como se cuidássemos de nós mesmos.

Família e amigos:

Não descuide dos amigos e familiares, e traga mais pessoas para esse círculo, confie, seja fraterno e generoso, ajude e seja ajudado.

Quando as pessoas são pesquisadas sobre qual a atividade que mais lhes traz satisfação e bem estar, sempre colocam o convívio com os amigos em primeiro lugar – é indiscutível, os amigos nos fazem bem.

Dizem que devemos gostar de si mesmo em primeiro lugar, e com isso na bagagem, estamos prontos para gostar dos outros.

Ser uma pessoa autêntica, sem falsidade, agrega muito, aproxima as pessoas.

Lealdade e amizade incondicional constroem laços que são para a vida toda.

Aceite as pessoas como são:

Aceite os outros como são, sem julgamento e críticas sem fundamento.

Ajude as pessoas a crescerem, ajude-as quando em dificuldades, ofereça o seu, ofereça os ouvidos compassivos.

Tenha o coração grande e aberto, mas uma atitude misericordiosa. Afaste a soberba, a arrogância e a prepotência.

Diga não com carinho e honestidade, e critique para construir.

Não seja tão exigente e não crie expectativas irrealistas acerca das outras pessoas, isso é sempre uma fonte de decepções.

Cuide de si, mas tenha sempre em mente passar muito tempo no convívio dos amigos e familiares.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta