Um pequeno erro é um pequeno erro.

Um pequeno erro deve receber a atenção que lhe é devida. É mais uma questão de olharmos para as consequências dos erros do que para o aspecto do julgamento moral em sí.

Às vezes fazemos um julgamento moral, do certo ou errado, sem considerar as reais consequências de tais atos.

Alguns erros são desprezíveis, com consequências insignificantes.

Julgamos, condenamos e agredimos as pessoas por erros sem importância.

Até que ponto isso é importante?

Muito julgamento:

Fazemos julgamentos rigorosos e imaginamos consequências desastrosas, quando na verdade elas nem sequer existem.

Fazemos isso com os outros e fazemos com nós mesmos.

Adoramos recriminar os familiares e a pessoa que escolhemos como companheira.

Qual o prejuízo causado por este pequeno erro?

Alguém foi severamente prejudicado?

As consequência são irremediáveis?

É importante adquirir um senso de proporção, do contrário o mundo vai parecer sempre ameaçador.

Além disso, as pessoas que nos cercam sempre parecerão incompetentes.

E o mais grave é que quando olho no espelho faço esse mesmo julgamente enviesado.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta