Um mundo do faz-de-conta.

Me lembro quando fui à Disney. Maravilhoso, uma fantasia sem fim.

É claro que tudo mentira, mas eu sabia disso, e meus filhos também.

Percebo hoje que muita gente, e inclusive eu por vezes, vive um mundo de faz-de-conta, repleto de artificialidades e mentiras, como se esse fosse um mundo real.

Tudo mentira.

Às vezes, e por um momento curto, desejamos que o tempo pare, e que essa experiência fantasiosa seja o nosso mundo real, mas sabemos que isso não faz sentido.

No mundo fantasioso, a falsidade é pitoresca e maldade rocambolesca.

No entanto, no mundo real nada disso tem muita graça. A falsidade deve ser evitada, pois é perniciosa, e a maldade vem sempre seguida de conseqüências ruins tanto para o algoz quanto para a vítima.

Acho até que procuramos o fantasioso para fugir da realidade, para fugir de nós mesmos. Não é adequado.

Se chegarmos ao final da linha, e percebermos que vivemos um mundo de mentira, vamos ficar frustrados, com certeza.

É como ficar horas na fila de entrada do estádio para o jogo da decisão, e descobrir na catraca que o seu ingresso era falso.

É como correr a vida toda na esteira hedônica para chegar onde nunca vai chegar e atrás de algo que nunca vai conseguir.

A fantasia não é nada mais do que fantasia.

Viva o mundo real.

Aprecie os sentimentos reais.

Conheça pessoas reais.

Deixe um pouco de lado o nariz de palhaço e os cordéis de marionete.

Seja feliz de verdade.

Beco

1 Comentário

Eli Lima

about 7 anos ago

Muito bom! Obrigada pela contribuição.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta