Um modo gentil de cuidar de mim mesmo.

Nós todos temos uma tendência de ser duro consigo mesmo.

Especialmente quando erramos e falhamos em qualquer empreitada, a autocrítica tende a nos castigar.

Não só tenho que arcar com as consequências do meu erro e ainda tenho aquela voz interna com o dedo em riste para apontar cada detalhe do meu erro.

Isso tem um lado bom, eu sei. Devo aprender com os meus erros e procurar evita-los.

Mas a crítica exagerada me coloca para baixo, afeta a minha autoestima e me limita a enxergar o grande quadro, o caminho da aprendizagem.

Meus erros:

Quando era pequeno, o meu pai fazia esse papel, e me incomodava sobremaneira. Ele já nos deixou há muito, e eu assumi esse papel de apontar os meus próprios erros.

Tenho que ponderar sobre isso e ver o que estou ganhando com isso. Aproveitar o lado bom e a aprendizagem, acredito que seja mandatório, mas modular a crítica para que não me prejudique, deve estar também dentro das minhas preocupações.

Tenho que ser gentil e compreensivo e não me tratar com crítica excessiva o que acaba fatalmente me enchendo de culpa e ressentimentos contra mim mesmo.

Viver sem culpa:

Quero levar a vida sem a carga da culpa.

Quero me aceitar, e aceitar os meus erros como elementos fundamentais para o meu crescimento pessoal.

Não gosto quando me criticam severamente e não devo fazer isso comigo mesmo.

Ser gentil é um ato de amor, um ato compassivo, e isso vai pavimentar o meu caminho para a felicidade.

R.S. Beco

2 Comentários

Robert Jeferson

about 5 anos ago

Reblogged this on ARQUITETO DA FELICIDADEe comentado: Seja Feliz e viva sem tantas cobranças. Um excelente texto que compartilho com vocês

Responder

PAULO JAIR DE CAMPOS

about 5 anos ago

Estou sempre lendo, indicando seus artigos. obrigado. Paulo Campos.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta