Um coração menos petrificado.

Por mais que a circunstância seja dolorosa, não devemos deixar o coração petrificado.

Há muitos momentos da nossa vida que queremos colo, queremos amparo.

Nos momentos mais doloridos, queremos um abraço no coração, mas ele normalmente está lá dentro, guardado, inacessível.

Temos que dar acesso ao nosso coração, e permitir que ele fique menos embrutecido, e evitar que ele seja petrificado.

Para sentir o sabor da vida, precisamos que o nosso coração esteja aquecido, disponível ao abraço das pessoas.

Seja grato e sinta a gratidão amolecer o seu coração.

Com tanta dificuldade é quase inevitável que o nosso coração queira se encapsular, se proteger, mas devemos agir na direção contrária, só assim podemos ser ajudados.

Fechamos o coração para evitar que a dor nos atinja, mas também blindamo-lo para que o amor e a compaixão cheguem até ele.

Não queremos nos expor aos ataques principalmente quando estamos mais vulneráveis, mas é possível fazer isso com razoável segurança.

Tente algumas coisas que você não havia tentado antes, e perceba o coração mais acessível.

Fique em contato, você mesmo, com suas emoções. Perceba e aceite o que está sentindo.

Abra o seu coração:

Abra o seu coração para as necessidades do outro, seja generoso.

Abra o seu coração para o sofrimento do outro, seja compassivo.

A felicidade é um estado de espírito onde a mente e o coração estão em paz, em equilíbrio.

Quando calamos o coração, vamos romper com esse equilíbrio e consequentemente com o nosso bem estar.

Muita elucubração acerca das situações e conflitos pode levar à ruminação, e aí, não há espaço para o coração, pois é a mente rodando em círculos.

Não há nada de mal em chorar quando as coisas ficam mesmo difíceis.

Deixe que as lágrimas aplaquem um pouco o calor das emoções.

Deixe o coração sentir e se manifestar, e tudo vai ficar bem.

Digo sempre que temos que ter a cabeça no lugar, mas temos também que dar espaço para o coração.

Sinta profundamente o que se passa contigo, e aprenda a agir mesmo sob o crivo das emoções.

Se for o medo, aprenda a seguir adiante, a despeito do medo.

Busque o equilíbrio, e fique bem.                                                                                                                                                                   R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta