Um coração flutuante, um coração feliz.

 Christopher Foster, no blog happyguy, diz que o coração flutuante é aquele que traz as mais belas e essenciais características da nossa natureza.

E por esse motivo, esse coração flutuante é um coração feliz.

É a habilidade de flutuar na vida, se recobrar e voltar à tona nas adversidades – resiliência – levar a vida com alegria.

Quando não conseguimos manter a flutuabilidade do coração, vamos ter logo a percepção e a sensação de que estamos afundando. Não estamos navegando bem na vida.

As cinco receitas para manter o seu coração flutuante, segundo Foster:

1-Mantenha a sua fé e confiança na vida, nunca duvide que o amor está na essência da sua própria existência,

2-Seja verdadeiro com a verdadeira natureza do amor, não deixe as mudanças e desapontamentos externos corromperem a expressão do seu amor, cita ele a Shakespeare – o amor não é amor, quando muda quando encontra uma mudança;

3-Seja flexível, e não confunde força com rigidez;

4-Continue caminhando, nem o talento nem a genialidade substituem a persistência;

5-Não fique tão impressionado com as formas externas , e isso inclui os pensamentos alheios, e abra o seu coração para a beleza e a sabedoria do seu próprio ser.

Ao ler os dizeres de Foster, me vem a logo a mente a necessidade de não estarmos tão ancorados a coisas materiais, de não carregarmos uma armadura pesada sem qualquer finalidade, de não termos os pés tão amarrados que não nos permitam caminhar mais levemente pela vida – flutuar.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta