Tudo parece dar errado.

Quem é que nunca viveu um dia daqueles que nada dava certo?

Começa com uma ofensa pessoas sem motivo nenhum, o compromisso desmarcado de última hora, o carro que se quebra, o cachorro que morre, e tudo parece dar errado, uma coisa depois da outra.

Mas sei que nada é tão ruim assim, e posso virar esse jogo.

Mesmo que o plano seja desmontado sem sequer alçar voo, eu tenho a capacidade de planejar outra coisa, mudar de rumo, fazer outra coisa.

Me tratar bem:

Quero ser bom com as pessoas do meu convício, quero ser bom comigo mesmo.

Me tratar bem, é ser gentil, especialmente nas horas que pareço entrar em sofrimento.

Pode parecer que somos alvos de uma conspiração do mal, e por isso estamos passando por essa maré revolta, mas isso não é uma crença que se sustenta. Basta desafiar tudo isso com o olhar positivo.

Fazemos muita coisa ao mesmo tempo, tocamos vários projetos, conhecemos inúmeras pessoas, e interagimos muitas vezes durante um dia. É inevitável que alguma coisa não saia como imaginamos e desejamos.

Não devemos nos exasperar.

Temos que aceitar a vida como ela é.

A vida é perfeita, mesmo com tudo isso, e aceitar também os maus momentos, é o caminho para apreciar os bons momentos.

Se ficarmos praguejando nas adversidades, deixamos de perceber as saídas e soluções, e perdemos a chance de apreciar a vida quando ela fica boa.

Tempestade:

No meio da tempestade, só quem está calmo é que enxerga o caminho.

Primeiro de tudo, temos que acalmar a mente e o espírito, depois, temos que ir devagar, ir com calma que tudo vai dar certo.

O errado de agora não implica em errado para sempre. A vida é pródiga, e vai revelar coisas boas ali na esquina.

A vida é boa ao dobrarmos aquela curva. Acredite no futuro e acredite em si mesmo.

Nem tudo está errado. Olhe o seu caminho com o olhar generoso e vai perceber que no meio de tanta bagunça, há pequenas preciosidades que não tinha visto.

Aprecie a vida – saboreie a vida.                                                                                           R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta