Tudo no lugar.

Caminhe pelo ambiente aí fora e veja que tudo na natureza está no lugar.

Os pássaros fazem seu ninho num lugar protegido, a planta cresce virada para o sol, e a semente espera a chuva para colocar toda a sua energia de germinação.

Muitas vezes nos sentimos intranquilos, como se tudo tivesse saído do lugar. Caminhe um pouco sozinho. Observe o mundo que te cerca e desfrute da harmonia, aquela que você quer trazer para dentro de si.

Lao Tzu:

Como escreveu o grande filósofo chinês Lao Tzu, quando nos damos conta de que nada nos falta é que percebemos que todo o mundo nos pertence.

A harmonia que vemos fora de nós, também é parte de nós, e temos que fazer um exercício diário de percebê-la.

Mas sei que o nosso cotidiano, às vezes, nos tira do sério. Tudo parece revolvido, a família, o trabalho, os relacionamentos. É como se um tsunami tivesse passado por aqui nesse instante.

Essa sensação de tempestade também vai passar, e a harmonia vai se reestabelecer.

Temos que ter calma e serenidade para permitir que tudo volte para o lugar.

No meio da confusão, não devemos nos exasperar, agredir e se revoltar, pois em nada vai ajudar.

Podemos sim nos defender, e evitar que o mal seja maior, mas muita calma é necessária.

Todo mundo tem problema, e a vida não é fácil para ninguém. Mas no final, tudo se arruma, e as pessoas encontram forças, sabedoria e serenidade para fazer as escolhas certas e tomar as decisões adequadas.

Ficamos satisfeitos quando vemos tudo arrumado e gostamos quando tudo sai conforme planejado, mas a realidade não se comporta dessa maneira.

Imprevistos acontecem, e o futuro, contra as nossas expectativas, tem a capacidade de nos surpreender, às vezes para pior.

Mas tudo não passa de um lapso de tempo, na longa caminhada que temos pela frente.

E a nossa luta, é lidar com tudo isso, ser feliz, e contribuir da melhor maneira para que tudo volte para o lugar.

Trabalhe pela harmonia, e seja você mesmo a harmonia.                                                        R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta