Tenha uma bússola interna.

Criamos um mundo tão artificial, orientado por valores e metas tão mundanos. Tudo isso forma uma carapaça de mesquinharia que confunde totalmente a nossa bússola interna. Ao invés da bussola apontar para algum objetivo decente na nossa vida, ela acaba apontando para essa carapaça de superficialidade e de mesquinharia.

Werner Heisenberg:

Metáfora tão bem ilustrada por Werner Heisenberg: “o homem encontra-se na posição do capitão cujo navio foi tão solidamente construído em ferro e aço que sua bússola não aponta para o norte, mas sim para a direção da massa de ferro do navio.”

Mantenha a sua bússola interna calibrada e aferida.

Saiba para onde está caminhando, conserve os seus sonhos e projetos no seu radar.

Adote um procedimento de navegação na sua jornada pessoal e faça um exame periódico da sua bússola.

Verifique se a sua bússola não está apontando para coisas que não irão te trazer felicidade.

Verifique se o rumo que ela aponta é algo que está no seu objetivo permanente e não para a carga metálica que você está inutilmente carregando consigo.

O excessivo materialismo nos direciona para coisas sem finalidade, inúteis na nossa jornada.

A sociedade, as redes sociais e o consumismo nos empurram para comportamentos que não são consistentes com a nossa própria razão de viver.

O sentido da vida acaba sendo ofuscado por um mundo de coisas desnecessárias. Um potencial enorme de realizar os seus talentos, crescimento pessoal e vida plena acaba sendo totalmente desperdiçado.

Assim como o capitão do navio de Heisenberg que se dá conta do seu desvario e busca outras fontes mais seguras de orientação – sol -estrelas- você pode também buscar outras orientações mais seguras. Isso vai te  oferecer segurança enquanto você conserta a sua bússola interna.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta