sentimentos Posts

Empatia: uma das mais difíceis e importantes características

Empatia: uma das mais difíceis e importantes características

A correria do nosso cotidiano nos desliga dos sentimentos das outras pessoas. Vivemos as situações com os outros, mas o fazemos no automático.

E também, é difícil, quando estamos muito centrados em nós mesmos, perceber os sentimentos das outras pessoas.

Essa tarefa é bastante prejudicada quando estamos focados na aparência das pessoas e no seu status.

Da mesma maneira como escondemos os nossos sentimentos as outras pessoas fazem o mesmo, tornando difícil um relacionamento transparente, rico e construtivo.

Esteja atento, perceba o que está ocorrendo por detrás da capa superficial das pessoas, respeite as diferenças e conviva bem com as pessoas.

Como lidar com o amor não correspondido e o que ele ensina

Como lidar com o amor não correspondido e o que ele ensina

Quem nunca viveu a dor de um amor não correspondido?

Isso pode acontecer com alguém que mostrou um afeto intenso e de repente decidiu seguir outro caminho, alguém que mostra sinais confusos e não parece pronto para decidir, enfim, é uma sensação dolorosa e desconfortável que desperta na gente um monte de sentimentos negativos. Nos sentimos rejeitados, imperfeitos, inadequados e parece que nada vai dar certo daqui para frente.

Na dúvida – deixe o coração falar

Na dúvida – deixe o coração falar

Não se desespere na crise. É perfeitamente normal termos muitas dúvidas quando as coisas andam mal, enfim, não queremos errar nas nossas decisões e entornar mais o caldo.

Muitas vezes, temos dúvidas crueis sobre uma ação a ser tomada, ou mesmo uma situação que queremos abandonar.

Na dúvida, deixe o coração falar.

Se acalme e traga lá do fundo os motivos para tomar uma ou outra decisão. Você tem que se sentir confortável com a decisão, e o conforto vem lá de dentro, do coração.

Se o cérebro e a razão já deram a sua contribuição e não te permitiu pesar entre uma ou outra solução, dê chance ao seu coração.

O coração aquecido

O coração aquecido

Mantenha o seu coração aquecido, livre da maldade, da inveja e da ganância, e alimentado pelo perdão o amor e a generosidade.

O nosso cotidiano nos cobra muita objetividade, imparcialidade e cumprimento diligente das metas. O estresse que vem com tudo isso nos coloca um pouco fora do diapasão humano. Acabamos nos comportando como objetos, como robôs, e mais grave, acabamos tratando os outros como objetos.

Há muitos momentos em que a nossa mente é requisitada a ser fria, calculista e direta. Mas temos que evitar que isso venha carregado de arrogância, prepotência e distanciamento da própria alma.

Razões que a razão desconhece

Há razões que a razão desconhece. Temos que apostar na razão quando tomamos as decisões, mas devemos considerar que desconhecemos todas as informações objetivas que envolvem tais decisões. A razão não conhece tudo, e para isso temos que contar com a intuição, a sensação de estar fazendo o que é correto fazer.

Procuramos sempre decidir da melhor maneira possível, pesamos os prós e contras, avaliamos objetivamente as alternativas, mas sabemos a racionalidade sempre deixa escapar alguma coisa.

A razão não é tudo, e sabemos bem que tomamos várias decisões apostando unicamente na nossa intuição.

Não racionalize tanta a vida, viva com emoção. Há razão para tudo, mas nem tudo é razão.

Permissão para ser humano

Temos que nos dar permissão para sermos humanos, e isso implica experimentar as emoções em larga escala, a alegria, a tristeza, a dor e o contentamento.

Há dois tipos de indivíduos que não sentem as emoções, os psicopatas e os mortos, e como não nos enquadramos em nenhuma dessas categorias, devemos nos comportar como seres simplesmente humanos, prontos e equipados para sentir amplamente, para o bem e para o mal.

Aquele que não se permite chorar, também não aprende a sorrir.

Não devemos suprimir as emoções, nem boas nem ruins.

Um coração menos petrificado.

Por mais que a circunstância seja dolorosa, não devemos deixar o coração petrificado.

Há muitos momentos da nossa vida que queremos colo, queremos amparo.

Nos momentos mais doloridos, queremos um abraço no coração, mas ele normalmente está lá dentro, guardado, inacessível.

Temos que dar acesso ao nosso coração, e permitir que ele fique menos embrutecido, e evitar que ele seja petrificado.

Para sentir o sabor da vida, precisamos que o nosso coração esteja aquecido, disponível ao abraço das pessoas.