seja mais tolerante Posts

Não seja do tudo ou nada

Não seja do tudo ou nada

Não seja partidário do tudo ou nada, inflexível, intolerante e perfeccionista

O perfeccionismo é uma barreira à felicidade. Há dois jeitos, o meu jeito e o jeito errado, e assim tudo tem que ser do meu jeito. Quando adotamos o tudo ou nada – criamos uma condição impossível de satisfazer.

Aceite o resultado quando ele é razoável.

A atitude do tudo ou nada nos impede de aceitar as pessoas

Seja mais tolerante com as pessoas – isso vai te fazer mais feliz

Seja mais tolerante com as pessoas – isso vai te fazer mais feliz

Desenvolva a tolerância e você vai se sentir mais leve, sem tanto julgamento, críticas e condenações.

Respeite a opinião e a vontade dos outros. Respeite e aceite a maneira como cada um vive sua vida. O mundo é diverso e cada um é cada um.

Ser mais tolerante não só traz paz e harmonia à sua vida, mas vai te fazer mais feliz.

Não é a toa que estudos mostram que os altos índices de tolerância e liberdade de cada povo estão diretamente relacionados com o seu progresso e bem-estar.

Deixe por menos.

Dê um desconto naquilo que acontece de errado no seu cotidiano, especialmente quando envolve outras pessoas. Não se deixe impactar exageradamente pelos atos de outras pessoas.

Sabemos que as pessoas podem se exceder nas reações, e nós mesmos já fizemos isso incansáveis vezes.

Dê um desconto, deixe por menos, deixe passar e siga adiante.

Não vale a pena computar tudo que acontece na sua vida, como uma conta corrente de descontos e depósitos.

Mais pontes e menos paredes.

Menos paredes nos relacionamentos. Devemos construir mais possibilidades de conexão com as pessoas, e menos barreiras, dificuldades e constrangimentos.

É preciso tolerância e flexibilidade para relevar diferenças que nem são assim tão importantes, e como isso, conseguir se aproximar das outras pessoas.

A prepotência prejudica muito a aproximação das pessoas, o perfeccionismo também.

As pessoas são diferentes e assim somos nós. Temos que tolerar muitas coisas e os outros também toleram muito de nós.

Vamos praticar o perdão.

A chamada do mês de outubro é para praticar o perdão.

Algumas habilidades são difíceis de praticar e aprender, mas não temos qualquer desculpa para não praticar o perdão.

Os exercícios são fáceis, é possível praticar todos os dias e os benefícios são espantosos, e já citei bastante o trabalho do Dr. Fred Luskin que dirige o Centro de Estudos do Perdão da Stanford University.

A discordância e a discussão.

Discordamos constantemente, e nem por isso devemos nos meter em discussões desnecessárias.

O corpo se alimenta também dos seus pensamentos, emoções e atitudes – dê alimento de qualidade.

Estamos envenenando o nosso corpo com tantas sensações tóxicas, quando damos corda a discussões por quase nada.

Não devemos mentir, enganar ou dissimular para esconder a nossa discordância.

Não se deixe irritar facilmente.

Cá entre nós, há situações em que as pessoas nos deixam irritados.

Mas não vale à pena gastar a nossa preciosa energia irritados, não raro, por tão pouca coisa.

Respire fundo, conte até dez, mantenha a calma.

Depois disso, analise com serenidade o que pode ter causado tanta irritação.

Há pessoas que ao se sentirem contrariadas escolhem ser rudes, grosserias e irritantes.

Não dá pra consertar os outros, mas podemos muito bem calibrar a nossa reação.

Às vezes o problema está em nós mesmos que nos irritamos com ruídos, movimentos, distrações, e até pelo tom de voz de outra pessoa. Deixe passar, pega leve.Temos que nos acalmar.

Temos que encontrar um pouco de serenidade.

Algumas recomendações que gostei de ter conhecido.

1-Concorde. Às vezes apenas concordar ou mostrar uma expressão facial de concordância já torna a situação menos perturbadora. Lembre-se que em algumas ocasiões, mostrar discordância é pura perda de tempo.

2-Respire fundo, feche os olhos por dois segundos e deixe a calma tomar conta de si.

3-Volte a falar com a outra pessoa quando você estiver mais calma, e se concentre em outra coisa que ela está falando, ao invés daquilo que te contrariou. Funciona.

4-Não rebata com comentários jocosos, irônicos ou sarcásticos. Isso geralmente complica o mal estar.

5-Peça desculpas para ir ao banheiro, de mentirinha, e volte mais arejado.

6-Preste atenção na sua linguagem corporal. Pare de bater com a caneta na mesa ou chacoalhar as pernas.

7-Se for possível, coloque atenção ou mesmo comente algo engraçado referente à situação.

8-Identifique o que realmente está te irritando. No meio de um evento pode não se ter tranqüilidade para tal reflexão, mas sempre é possível fazer isso no intervalo de um café.

9-Quando refletimos sobre o que nos irrita, devemos colocar o foco em eliminar a irritação e não em justificar a irritação – podemos com isso ficar mais irritado.

10-Pense um pouco se a sua irritação não um pouco a sua falta de paciência ou mesmo um entendimento inadequado da situação ou da posição das outras pessoas.

11-Seja mais tolerante. Aceite mais as pessoas como são. Não tente corrigir os outros. Aceite as coisas que você não tem controle.

12-Finalmente – observe quando a irritação está crescendo acima do razoável e você não dá conta de lidar com isso – você pode estar precisando de uma ajuda profissional.

Beco