seja mais flexível Posts

Vamos praticar o perdão.

A chamada do mês de outubro é para praticar o perdão.

Algumas habilidades são difíceis de praticar e aprender, mas não temos qualquer desculpa para não praticar o perdão.

Os exercícios são fáceis, é possível praticar todos os dias e os benefícios são espantosos, e já citei bastante o trabalho do Dr. Fred Luskin que dirige o Centro de Estudos do Perdão da Stanford University.

Não seja teimoso.

O que será que acontece conosco que a teimosia nos invade de repente?

Isso realmente é um incômodo nos relacionamentos.

Na relação conjugal isso pode crescer como um muro de Berlin. Mal nos damos conta e já estamos estressados com tanta teimosia.

A intolerância é uma das fontes da teimosia.

A intransigência e o perfeccionismo outros fatores pesados.

A luta para manter a mente fechada.

Para quem acha que manter a mente aberta dá trabalho, saiba que o trabalho para manter a mente fechada é maior.

Queremos encontrar sempre quem concorde conosco.

Buscar uma realidade de acordo com a minha expectativa.

Tentar manter tudo sob controle.

Quanto mais inflexível eu sou, mais rígido e mais fechado fico.

É um ciclo vicioso.

O resultado disso é prejudicial para os relacionamentos, para a aprendizagem e também para a saúde.

Quem luta para manter a mente fechada, está escolhendo uma maneira tortuosa de levar a vida, cheia de conflitos, decepções, arrependimentos e ressentimentos.

Isso tem a ver com o perfeccionismo, a prepotência e a arrogância.

Não adianta ter a mente aberta quando as idéias que recebe são exatamente iguais às suas.

Mente aberta é estar sempre procurando evidências para derrubar as suas próprias idéias e convicções – isso requer humildade.

A mente fechada é estar sempre procurando evidências que validem suas próprias idéias e convicções – isso dá mais trabalho.

A mente aberta não é sinal de fraqueza, falta de opinião, ou incapacidade de pensar por si próprio.

A mente fechada implica em resistir a tudo – imagine o estresse permanente.

Veja o quanto é estressante se manter numa concha, tentando se proteger de tudo, refutar tudo, se opor a tudo.

Ter a mente aberta é estar também aberto para a vida, para a abundância do seu cotidiano.

A mente aberta é uma mente de adaptação, e sabemos bem o quanto temos que nos adaptar a tudo que acontece.

O mundo não é exatamente como imaginamos e desejamos – precisamos aceitá-lo tal como ele é.

Precisamos abrir nossa mente e nosso coração.

Não condene a pessoa que te traz uma idéia diferente, ela pode estar te trazendo uma oportunidade de aprender e evoluir.

Beco

Esteja aberto para mudar de opinião.

Nos apegamos tanto às nossas opiniões que quando temos que mudar, é uma dor imensa.

Esteja aberto para mudar de opinião.

Como disse Leonardo da Vinci, “A maior decepção que o homem tem é com suas próprias opiniões.”

As opiniões estão carregadas de emoções, e se desapegar é um exercício longo, mas compensador.

Faça uma lista de opiniões que está disposto a mudar – comece com as coisas mais simples.

Numa oportunidade, onde uma opinião melhor aparecer, ouça com atenção, inquira, especule e adote esta nova opinião.

Mudar de opinião não garante o crescimento pessoal, mas é muito difícil crescer se ficamos presos às nossas velhas opiniões.

Praticar com pequenas coisas é sempre uma boa recomendação.

Começamos com roupas e acessórios até chegar aos itens mais complexos; pessoas, conceitos, princípios e caráter.

Uma recomendação de ouro é perguntar a opinião do outro.

Parece uma coisa boba, mas raramente fazemos.

Somos tão prepotentes que lançamos a nossa opinião, fazemos as nossas colocações e sequer aguardamos ou pedimos as opiniões dos outros.

Quando cristalizamos a nossa opinião e não mudamos por nada nesse mundo, é sinal de que deixamos de enxergar o mundo em constante mudança.

Perceba quanta coisa mudou, e quantas dessas mudanças desafiaram a maneira como você via o mundo.

Muitas idéias antigas, são como ferramentas que perderam a sua finalidade, não servem mais ao seu objetivo, viraram um peso morto.

Se dê conta disso.

Na medida em que amadurecemos, revisamos tantos conceitos, mudamos tantas opiniões e no final isso traz um conforto.

É como utilizar um sapato novo. O velho sempre parece mais confortável, se encaixa melhor ao que você pensa que é.

Mas está furado, perdeu o cadarço, não tem mais uso – deixe ir.

Beco