seja generoso Posts

Se encontre ajudando os outros.

Muitas pessoas relatam que se encontraram ajudando outras pessoas, e Gandhi sempre reforçou isso.

No cotidiano da correria, e insatisfação crônica, devemos procurar a si mesmo nas ações generosas e altruístas.

Não é preciso se deslocar ou tirar o dia de folga para fazer isso. Basta atentar para as oportunidades de ajudar os outros em meio à rotina diária.

Estamos tão ocupados que não damos atenção às pessoas, e às suas necessidades.

Alegre o outro e você também vai encontrar alegria.

A gratidão e a retribuição.

Nunca conseguirei retribuir ou passar adiante tantas graças que recebi e sigo recebendo.

Penso sempre em dar e retribuir, mas aprendi que não devo pensar na medida nem na paridade daquilo que me foi agraciado e daquilo que tento compartilhar. O balanço sempre vai dar vantagem para aquilo que tenho recebido.

Tendo isso em mente, decido simplesmente ser bom e fazer o bem, ajudar. Não analisar o dar e receber – simplesmente dar.

Sou uma pessoa abençoada por tudo que a vida tem me dado.

Não precisamos de chicote para fazer o bem.

Parafraseado o autor Michael Dow que escreveu o livro: “Thank God for Evolution (agradeço a Deus pela evolução)”, somos seres naturalmente bons. Não precisamos de um chicote que nos obrigue a fazer o bem. Fazemos o bem naturalmente, e devemos sempre ter em mente e manter o contato com esse ser genuíno e bondoso que há dentro de cada um.

Fazer o bem nos dá uma satisfação enorme, e ao contrário, fazer o mal nos traz um sentimento de culpa e de inadequação. Fazemos o mal e nos sentimos como se algo vital fosse retirado do nosso organismo. Sabemos que nos foi retirado um pouco da virtude da honestidade, da generosidade da capacidade de amar e se dar.

Faça o bem – sinta-se bem.

Se queremos nos sentir bem, devemos fazer o bem – tão simples assim.

Como escreveu o prof. Stephen Post da Universidade Case Western no livro “Why good things happen to good people” (porque coisas boas acontecem com pessoas boas), fazer o bem é um caminho também para receber o bem.

Faça o bem em pequenas doses.

A reputação generosa.

A reputação generosa pode retratar um comportamento superficial. Temos que fazer de coração, de maneira anônima e despretensiosa.

E o melhor, é que isso só nos faz bem. Faça por você mesmo, sem esperar reconhecimento, agradecimento – não pense nos louros e na reputação.

Essa atitude generosa acaba por se tornar um hábito, um modo de ver os outros e também de ver a vida.

Com o tempo, e alguma prática, você vai ver que também se olha de maneira diferente, com mais tolerância, compreensão e compaixão.

Dar de si é um privilégio.

Pensamos que dar é um privilégio para quem recebe, mas é o contrário. A benção e o privilégio é concedido a quem doa, quem dá uma pouco de si.

Já disse Churchill que vivemos com o que conseguimos, mas a vida é feita com aquilo que damos.

A vida é doar, dar um pouco de si, de coração em cada oportunidade. Temos que ser caridosos.

O mérito não está em receber, e sim em doar.

Eu quero a felicidade, e os outros também.

Eu quero a felicidade e busco ser feliz, mas tenho que pensar nisso sem prejudicar os outros.

Devo pensar no meu bem-estar sem afetar negativamente o bem-estar dos outros.

Quando jogo lixo na rua, estou pensando na minha comodidade de não ter que carregar o lixo até a lixeira.

Isso ocorre em detrimento dos outros que também utilizam o passeio público. Sem contar com o trabalho adicional de quem tem que limpar as vias públicas.