saúde Posts

Primeira hora do dia

Primeira hora do dia

Na primeira hora do dia, a sua vida pede para ser retomada. Nada começou ainda, nenhum compromisso, nenhuma reunião, apenas a sua boa vontade e disposição para começar bem.

Adote práticas poderosas que possam se tornar um hábito super saudável e transforme a sua vida para sempre.

Exercício físico:

Algumas pessoas gostam de deixar o exercício para o final do dia, o que acho uma péssima estratégia, pois o organismo já está cansado, estressado, e a conjugação corpo e mente estão bastante prejudicados.

Adote uma prática de se exercitar logo de manhã, com o dia fresco, a mente livre e leve, e o corpo clamando por movimento. Faça, mesmo que seja pouco, e saiba que um pouco é sempre melhor que nada.

 

Mente:

Aprenda sobre a meditação, e se conseguir, faça pela manhã, e vai colocar a sua mente mais preparada para a correria que vem em seguida. Uma meditação pela manhã, vai evitar que você se perca e se desgaste com tanto estresse da correria moderna.

Nutrição:

Procure se alimentar adequadamente pela manhã. A primeira refeição é importante pois o corpo ficou muito tempo sem se alimentar. Não coma muita besteira, na correria, sem tempo para degustar e saborear o que tem na mesa.

Relacionamento:

Aproveite a calmaria da manhã, e evite trazer a pressa quando não há tanta pressa.

Você pode ficar o dia todo longe da família, e por isso, não desperdice o momento junto dos entes queridos. Trate bem, ajude, esteja perto, junto do coração.

Planejamento:

Faça um mínimo planejamento do seu dia, evitando sair na correria meio sem saber o que fazer primeiro.

Faça primeiro o que vem primeiro na sua lista e assim por diante.

Um mente atordoada e uma agenda atropelada pode ser falta de um mínimo planejamento.

Cuide de si:

Não perca tempo com besteiras e procure cuidar mais de si mesmo.

Ame a si mesmo, se cuide e seja generoso consigo mesmo.

Fique bem.

Rubens Sakay (Beco)

Compulsões nos afastam do convívio normal e são difíceis de detectar

Compulsões nos afastam do convívio normal e são difíceis de detectar

Reconheça a seu comportamento compulsivo, qualquer que seja. Faça alguma coisa para se afastar dele, adote algum mecanismo que leve a minimizá-lo. Quando for o caso, procure ajuda profissional.

O excesso, motivado pela compulsão, vai faltar em algum lugar precioso, e a felicidade e o bem-estar podem ser prejudicados.

Fique atento para os alertas dos seus familiares e amigos mais próximos.

O comportamento compulsivo não é facilmente auto-percebido, assim como a febre, a gripe ou outro sintoma físico. É mais parecido com o estresse que vai tomando conta do nosso cotidiano, e quando estamos no limite, qualquer pequena coisinha já nos tira do sério.

Compenetrado é diferente de compulsivo, e às vezes inventamos desculpas para justificar a nossa compulsão.

Muita coisa na nossa vida exige uma concentração e foco, mas a obsessão e a compulsão por aspectos pouco construtivos, pode se caracterizar em uma patologia que exige atenção.

Como se exercitar pode te deixar feliz (e mais ainda em grupo)

Como se exercitar pode te deixar feliz (e mais ainda em grupo)

Temos um corpo físico que pede para estar em movimento. Não podemos perder qualquer oportunidade para se movimentar, nem que seja um pouquinho.

É comum estimularmos as crianças à prática de esportes, levando-as aos ambientes de grande competição.  Às vezes o ambiente acaba inibindo-as, e depois, quando adultos, fica um trauma residual difícil de vencer.

É importante a prática de esportes e exercícios físicos para uma vida saudável e feliz. Aprender um novo esporte é uma recomendação interessante em qualquer idade.

Quando adultos, inventamos muitas desculpas para nos afastar dos esportes: cuidar dos filhos, trabalho, deveres do lar, cansaço, cuidar dos pais, cuidar dos sogros, os trabalhos da igreja e a conhecida preguiça.

Quem nasceu antes, o ovo ou a galinha – pessoas felizes são mais saudáveis ou pessoas saudáveis são mais felizes?

Quem nasceu antes, o ovo ou a galinha – pessoas felizes são mais saudáveis ou pessoas saudáveis são mais felizes?

Quando refletimos sobre o que faz pessoas felizes, pensamos no dilema do ovo e a galinha. Quero explorar hoje a questão da saúde e da felicidade é uma delas que vamos explorar hoje.

Estudos apontam que as pessoas mais felizes são também mais saudáveis Me refiro a um publicado pela BBC, onde 1700 pessoas foram acompanhadas por 10 anos. O estudo mostra que as pessoas felizes sofrem menos do coração.

A Dra Karina Davidson, do Centro Médico da Columbia University, que conduziu a pesquisa recomenda que as pessoas façam aquilo que as deixam felizes.

Pratique a caminhada, leia, ouça música, passeie, viaje. Não espere para ser feliz nas férias – uma vez por ano.

6 descobertas científicas provam que Felicidade faz bem à saúde

6 descobertas científicas provam que Felicidade faz bem à saúde

Um artigo muito interessante publicado na Universidade de Berkeley mostra 6 descobertas científicas que comprovam que felicidade faz bem à sua saúde.

Um breve resumo segue:

Conselho de um japonês centenário: sacie apenas 80% da sua fome

Conselho de um japonês centenário: sacie apenas 80% da sua fome

Somos muito o que comemos, e uma recomendação segura para uma vida saudável é não descuidar da própria alimentação. Isso vale também para os filhos e familiares – influa para que adquiram hábitos saudáveis de alimentação.

Pratique em casa e você mesmo, uma dieta eclética. Consuma uma viariedade grande de alimentos e não desenvolva preconceitos contra algum tipo ou categoria.

Vale indicar novamente o site  –World Healthiest Foods–  muito conceituado no campo da nutrição:

Com o tempo e a idade, compreenda que o seu organismo ficará mais lento, e a dieta tem que seguir esse compasso.

Dificulte os maus hábitos.

Faça o que tem que ser feito para se livrar de maus hábitos. Temos vários hábitos não saudáveis, e isso envolve consumo de doces, álcool, fumo e tantos outros.

Sem contar com os defeitos de caráter, falar mal dos outros, alimentar o rancor e a vingança.

E tem ainda aquilo que evitamos, fugimos e procrastinamos, o que tem a ver com a preguiça, corpo mole e negligência.