ressentimentos Posts

Perdoar é quase esquecer

Perdoar é quase esquecer

Aprender a perdoar é uma prática para todos os dias, e perdoar é quase esquecer.

Quando experimentamos o perdão, um pouco de cada vez, é inevitável sentir um alívio no coração.

Quando sentimos rancor e ressentimentos por eventos passados, sentimos como se uma máquina impiedosa apertasse o nosso coração. Especialmente quando respiramos fundo, sentimos como se algo nos estrangulasse por dentro.

Não seja um imã da raiva

Não seja um imã da raiva

Não a deixe a raiva tomar conta com qualquer coisa errada que te aconteça.

Raiva atrai a raiva, e esse efeito imã é uma armadilha.

A natureza humana está pronta para lutar ou fugir das ameaças que nos acontecem.

Ficamos raivosos com tudo que acontece de errado à nossa volta. Alguém ofende um amigo e ficamos com raiva. Um cliente é maltratado no supermercado e isso provoca um efeito negativo em nós mesmos.

O primeiro passo para aprender a perdoar

O primeiro passo para aprender a perdoar

Temos que aprender a perdoar para nosso próprio bem.

Carregamos uma carga inútil que nos sufoca, os ressentimentos relacionados com os atos imperdoáveis que outros nos infligiram. Isso nos incomoda e nos aflige e não sabemos como nos livrar desse peso insuportável.

O antídoto para tal aflição é certamente o perdão, mas como perdoar as pessoas imperdoáveis?

O primeiro passo é perdoar uma pessoa em particular por um ato em particular.

Pode parecer pouco, mas assim estamos desenvolvendo o músculo do perdão.

Desprezo – um mal que merece ser corrigido

Desprezo – um mal que merece ser corrigido

Temos que nos livrar dessa sede de sentir desprezo pelos outros, se alegrar com a desgraça alheia e desejar o mal dos outros.

Fazemos fofocas, sentimos inveja, pensamos o fracasso de outras pessoas.

Você não imagina o mal que isso faz a nós mesmos.

O espírito arrogante imagina que está se colocando muito acima das outras pessoas quando na verdade está se posicionando na baixeza e na pobreza da alma.

Deixe o rancor dar lugar à serenidade

Deixe o rancor dar lugar à serenidade

Não podemos evitar que as pessoas, às vezes, nos tratem de maneira rancorosa.

Não temos controle sobre as outras pessoas e isso não deve nos aborrecer. Aceitar as pessoas como são, sem querer transformá-las segundo o nosso padrão, é um grande passo para a felicidade e relacionamentos saudáveis.

Receba o rancor com suavidade, e isso será a sua melhor proteção para que o rancor não te pegue e não afete a sua paz de espírito.

O comportamento das pessoas é algo muito complexo, e difícil compreender as reações das pessoas.

Desista do – bateu levou

Desista do – bateu levou

Não vá com tanta raiva contra o seu agressor. Evite o bateu levou.

A atitude do bateu levou afasta a felicidade.

A atenção exagerada para o que vem de mal nos impede de ver o que vem de bem.

Nos preocupamos tanto com os defeitos dos outros que não percebemos suas qualidades.

Estar preparado para responder com o mal nos força a carregar um saco de maldades permanentemente, e quando estamos com o espírito faminto, nos alimentamos daquilo que carregamos.

Pensamentos vingativos

Pensamentos vingativos

Tire os pensamentos vingativos da cabeça, pois são toxinas que contaminam tudo que encontra pela frente.

Quando estamos insuportavelmente contrariados, ficamos pensando em mil maneiras de se vingar, fazer alguma maldade para a outra pessoa.

A verdade é que enquanto não tomamos nenhuma providência, e isso ocorre na maioria das vezes, ficamos com os pensamentos negativos martelando na nossa cabeça, provocando um estrago enorme na nossa saúde.

Toda vez que você se lembra do evento que te magoou, o pensamento circular e negativo retoma do ponto anterior, num rosário interminável de rancor e ressentimento.