relacionamentos Posts

Como lidar com o amor não correspondido e o que ele ensina

Como lidar com o amor não correspondido e o que ele ensina

Quem nunca viveu a dor de um amor não correspondido?

Isso pode acontecer com alguém que mostrou um afeto intenso e de repente decidiu seguir outro caminho, alguém que mostra sinais confusos e não parece pronto para decidir, enfim, é uma sensação dolorosa e desconfortável que desperta na gente um monte de sentimentos negativos. Nos sentimos rejeitados, imperfeitos, inadequados e parece que nada vai dar certo daqui para frente.

Como não deixar o tédio e cansaço levar a paixão

Como não deixar o tédio e cansaço levar a paixão

A vida tem que ser vivida com paixão, afinal, a paixão é o tempero da vida.

Se entregue com paixão a um novo amor, uma nova amizade, um novo emprego.

Enquanto estiver conduzindo um projeto, faça da melhor maneira e de maneira apaixonada.

Muitas vezes começamos alguma coisa entusiasmados, apaixonados pela empreitada, mas com o tempo vamos perdendo aquela paixão, vamos perdendo o pique.

No começo, ficamos encantados com a perspectiva de um resultado glorioso lá no final, lá na chegada. Ao longo do trajeto, ficamos cansados com o esforço e entediados com a as tarefas rotineiras.

O caminho mais fácil para a felicidade: faça outra pessoa feliz

O caminho mais fácil para a felicidade: faça outra pessoa feliz

Temos uma noção daquilo que nos traz felicidade e bem-estar. Erramos algumas vezes, mas é bom saber que para você ser feliz, o caminho mais fácil e fazer outra pessoa feliz.

Sinta prazer em se importar com os outros, seu bem-estar e sua felicidade.

Mude sua atitude e seu comportamento para acomodar sempre uma ação nesse sentido.

Leo Babauta no seu interessante blog ZenHabits enumera 32 recomendações, das quais selecionei 5, as mais interessantes ao meu ver, que cito abaixo:

Quando os outros nos fazem felizes, segundo dois estudos

Quando os outros nos fazem felizes, segundo dois estudos

Podemos achar que seremos felizes quando tivermos o melhor carro, uma casa elegante e uma vida confortável, mas a ciência mostra o contrário. Pesquisas científicas, indicam que mais do que as condições materiais, são as outras pessoas que nos fazem felizes. Em um estudo realizado em 2002 por dois fundadores da ciência da felicidade, Ed Diener e Martin Seligman, que avaliaram o nível de felicidade de estudantes. Não surpreendentemente, constataram que os mais felizes são aqueles que têm um ou mais amigos de confiança, os chamados amigos do peito. Ter muitos contatos aparentemente não influi muito na felicidade dos indivíduos. O que conta mesmo é a qualidade dos relacionamentos, a profundidade, a confiança nelas depositada.

Isso inclui também os familiares. Não escolhemos os nossos familiares, mas certamente nos afeiçoamos mais a uns dos que a outros. Ter laços fortes com alguns favorece enormemente a felicidade.

E os cientistas conseguiram descobrir mais!

Sai da escada da arrogância

Sai da escada da arrogância

Não se coloque acima daquele que te fala, pois essa arrogância vai te deixar surdo para a mensagem que você está recebendo.

A superioridade bloqueia qualquer comunicação, e, quando menos, distorce o seu conteúdo da mensagem, entendemos mal, interpretamos às avessas.

Não se coloque num patamar acima daquele que está falando, isso vai dificultar enormemente você ouvir e entender a mensagem.

Deixe o rancor dar lugar à serenidade

Deixe o rancor dar lugar à serenidade

Não podemos evitar que as pessoas, às vezes, nos tratem de maneira rancorosa.

Não temos controle sobre as outras pessoas e isso não deve nos aborrecer. Aceitar as pessoas como são, sem querer transformá-las segundo o nosso padrão, é um grande passo para a felicidade e relacionamentos saudáveis.

Receba o rancor com suavidade, e isso será a sua melhor proteção para que o rancor não te pegue e não afete a sua paz de espírito.

O comportamento das pessoas é algo muito complexo, e difícil compreender as reações das pessoas.

O calor humano é fundamental

O calor humano é fundamental

Transmita calor humano nas mínimas interações, seja com o caixa do supermercado, nos corredores de um hospital, onde estiver, deixe que o seu lado humano e caloroso transpareça nas interações.

Dar bom dia.

Dizer obrigado.

Dar um sorriso.

Isso vai fazer bem aos outros, vai te fazer mais feliz e segundo a matéria da BBC, vai proteger o seu coração.