Reações Posts

Primeiro escreva, depois fale.

Não saia reagindo com agressividade, primeiro escreva, depois fale. Temos um impulso para reagir a quem nos magoou. Especialmente quando fazemos isso de pronto, tipo bateu levou, podemos errar a mão.

Uma boa receita é escrever tudo que você está sentindo, sendo bastante específico no incidente com detalhes sobre quem disse o que.

A segunda parte é escrever como uma terceira pessoa, como uma matéria jornalística. Quando escrevemos como quem procura ver com isenção, tendemos a aliviar um pouco nas tintas.

Raiva – uma falsa sensação de poder.

É muito difícil calibrar o que fazer quando estamos com raiva.

Erramos a mão, erramos a receita – enfim, erramos tudo.

Tive um chefe no trabalho que dizia que precisava estar com raiva de alguém para realizar algo grandioso.

Sempre achei muito estranho essa observação, e hoje entendo a razão.

O problema são os outros.

Às vezes nos ocorre este pensamento: o problema são os outros.

Que será que ele representa?

Eu não gosto deste pensamento e da sensação que ele traz. Sei que há algo de errado, mas o quê?

De tudo que aprendi, vejo que achar que o problema está sempre do lado de fora, com os outros, esconde vários aspectos negativos na nossa aprendizagem, no nosso crescimento.

Entenda suas reações – entenda você mesmo.

É como um espelho que rebate o que está na frente.

Nós somos assim.

Quando algo que estamos lidando nos afeta de fato, é sinal que temos internamente algo que reflete isso.

Se você não tivesse uma referência interna sobre a situação, isso ia passar por você sem ser refletido – passaria batido e você sequer notaria.

Você é o reflexo das suas reações.

Preste atenção nas coisas e nas pessoas que provocam uma reação adversa em você, e busque essa referência dentro de si mesmo.

Os defeitos que não gostamos nas pessoas, muitas vezes são deficiência que estamos tentando eliminar em nós mesmos.

Philip Card no artigo que escreveu para o Journal Sentinel aponta que ele se sentia desconfortável com os opiniadores (opiniators), os sabe-de-tudo, e  que percebeu que ele próprio é um opiniator. 

Levou muitos anos para ele perceber isso, o que lhe permitiu trabalhar essa questão de ouvir mais, de ter uma mente mais aberta.

Diz ele que esse tipo de reflexo nas relações acontece de maneira imperceptível, e que as pessoas partem para criticar e atacar os outros baseados apenas no reflexo, desconsiderando o que é que está refletindo dentro de nós.

Philip, um psicoterapeuta conta casos de clientes que aprenderam a ler o processo de reflexão e abraçaram a oportunidade de conhecer um pouco mais de si mesmo.

Despender mais tempo e energia conhecendo a si próprio, certamente paga dividendos na nossa empreitada pela busca da felicidade.

Passe adiante.

Beco

Não pise nas pessoas.

Não pise nas pessoas e aprenda a tratar bem todos, sem distinção. Pisar nas pessoas, destratar e desdenhar, traz para cada um, um saldo enorme de pensamentos negativos que podem atormentar o seu espírito.

Imagine um mundo de gente pensando o seu mal, querendo a sua desgraça. Evite.

Como dizem – não pise nas pessoas quando estiver subindo, pois pode encontrá-las quando estiver descendo.

Não reaja de modo desproporcional.

Às vezes, reagimos de modo desproporcional.

Revidamos com muita força algo que na verdade nos ofende de passagem.

Aprenda a equilibrar suas reações, verifique se elas não estão sendo desproporcionais.

Permita que os seus sentimentos te conduzam, mas não que te dominem por inteiro.

Quando estamos no modo de reação pura, estamos conectados a uma  fonte inteira de estresse. Estamos rodando o nosso organismo numa rotação além do adequado e pode fazer mal à saúde.

Isso é como dirigir pela avenida em primeira marcha, com o motor rosnando. É evidente a sensação de que algo está errado, e que a coisa pode quebrar a qualquer hora.

Evite a raiva, e não reaja quando ela quiser pular para o controle.

Pare um pouco para pensar e analise a situação no detalhe. Não se precipite.

Aceite mais. Seja flexível. Seja mais transigente.

Não saia culpando os outros ou culpando a si próprio.

Evite o drama, não entre em pânico. Respire e aja com serenidade.

Tente reagir de maneira diferente dessa vez. Tente ficar mais tranqüilo.

Algumas pessoas reagem explosivamente para dentro, o que pode ser pior ainda. A saúde pode se comprometer.

Outras pessoas explodem para fora, e o relacionamento com as pessoas vai por água abaixo.

Em ambos os casos é uma questão de atitude.

Algumas perguntas importantes, para lidar com uma situação de reação explosiva:

-Reagindo dessa maneira eu vou resolver o problema?

-Isso realmente tem grande importância na minha vida?

-Numa escala de 0-10, qual a importância dessa situação?

-Como verei isso daqui há 3 meses?

-É possível conviver com essa situação sem maiores prejuízos?

Beco

Livre-se da culpa.

Livre-se da culpa de uma vez por todas.

Uma carga enorme de infelicidade tem a ver com este sentimento. Tanto faz se nos sentimos culpados, quanto culpamos alguém.

No fundo, isso tem a ver com a nossa prepotência.