rancor Posts

Receba o rancor com suavidade.

Não podemos evitar que as pessoas, às vezes, nos tratem de maneira rancorosa.

Não temos controle sobre as outras pessoas.

Receba o rancor com suavidade, e isso será a sua melhor proteção para que o rancor não te pegue e não afete a sua paz de espírito.

O comportamento das pessoas é algo muito complexo, e difícil compreender as reações das pessoas.

Inútil racionalizar e inadequado reagir.

 A melhor coisa a fazer é tentar se colocar no lugar da outra pessoa. Simplesmente imagine uma razão para tal explosão rancorosa.

Podemos listar um número enorme de razões: uma doença grave, uma perda irreparável, uma noite mal dormida, uma relação rompida, dificuldade financeira ou mesmo perda do emprego.

Aceitar e deixar passar não quer dizer se servir de capacho, mas simplesmente não deixar que o mal reflita em você.

Não devolva o tratamento, pois pode funcionar contra você.

O melhor é deixar quieto.

Não tente alongar o momento de relação rancorosa, não discuta e não revide.

Não leve pelo lado pessoal. Muitas vezes não tem nada a ver contigo.

Se ainda assim você julgar importante esclarecer e deixar em pratos limpos, deixe passar o momento de tensão e volte ao assunto com tranqüilidade.

Depois de passados alguns dias, pode ser que você mesmo não dê mais importância ao incidente.

Beco

Não deixe botarem lixo na sua mochila.

Impressionante como deixamos que botem lixo na nossa mochila.

Estamos sempre nos preocupando com problemas que não nos dizem respeito, reagindo de maneira desproporcional a coisas que não tem grande importância.

Se continuarmos carregando um fardo de entulho que não são nossos e não vão nos ajudar em nada na caminhada da vida, podemos não chegar onde queremos chegar além de estarmos sempre esgotados com tanto peso.

David J. Pollay, aborda isso com muita desenvoltura no seu livro:The Law of the Garbage Truck – a lei do caminhão de lixo.

Diz ele, que aprendeu a lição que ensina no livro de um motorista de taxi em Nova Iorque, que reagia com serenidade e cortesia às agressões diárias no transito frenético daquela metrópole.

Dizia o sábio motorista, que muitas pessoas são como caminhão de lixo. Aceitando todo tipo de agressão, reagindo e revidando e com isso permitindo que essa carga negativa se acumulasse no seu caminhão.

Se você levar a sério, você está deixando que o lixo se acumule na sua caçamba. Se você sorrir e deixar passar, o lixo não vai se somar à sua carga.

David assumiu que a sua missão é divulgar essa mensagem, o que faz no seu website:

O autor também posta coisas interessantes no seu blog:

Resumindo, não deixe que outros controlem sua vida especialmente enfiando lixo na sua mochila.

Você pode não estar em condição de lidar com a situação completamente, mas a decisão de deixar o lixo ir para suas costas é sua.

A reação às situações está sob seu controle. Trabalhe isso.

O tempo que essa irritação fica na sua cabeça é decisão sua. Aprenda a lidar com a raiva – deixe passar.

Não guarde rancor.

Como já comentei em postagem anterior , evite as fofocas – não receba – não passe adiante.

Finalmente, não se esqueça da pergunta mágica: “até que ponto isso é importante?”

Passe adiante.

Beco

Frases com poder para destruir.

Sai sem querer, especialmente quando estamos com raiva.

São palavras que destroem o bem-estar e a felicidade e por isso devemos evitar.

“Depois de tudo que fiz por você”.

“Agora você está contente?”

“Eu não disse que você ia se prejudicar?”

“Não me interessa o que você pensa.”

“Não vou te perdoar enquanto eu viver.”

São palavras que tem o poder de destruir.

Se fazemos isso com freqüência porque aprendemos a utilizá-las, devemos desaprender.

O resultado é sempre catastrófico para que fala e para quem ouve. Pessoas magoadas, arrependidas, com sentimento de culpa e infelizes.

Não deixe o veneno dominar a sua língua.

Entenda que isso é uma coisa natural e ancestral do homem das cavernas – fazer cara feia – rosnar e ameaçar morder como forma de sobrevivência. O homem moderno não precisa de nada disso.

Aceite que isso está no seu DNA, mas não se deixe dominar.

Como antídoto desse comportamento tóxico, passe a elogiar, agradecer e motivar.

Outro dia aprendi que o primeiro aprendizado do bebê, e isso também é um instinto ancestral, é reconhecer a fisionomia dos pais, sejam eles de irritação, de carinho e de apoio.

Numa situação complicada, e caso você não se sinta à vontade para dizer qualquer coisa, faça uma fisionomia de aceitação, um sorriso, um balançar de cabeça já é o bastante.

Isso já vai te livrar do seu próprio veneno.

Beco

Tratando as pessoas intratáveis.

A escolha de como você será afetado no relacionamento é sua.

Preste atenção no seu comportamento e na sua reação.

Veja o quanto você está amplificando as coisas.

Faça um desligamento adequado quando estiver tratando com pessoas que julgar intratáveis.

Treine para ouvir coisas negativas sem se sentir negativa.

Não se deixe impactar de maneira tão intensa. Pega leve.

Imagine alguém falando contigo e te jogando um monte de entulho. Qual seria a sua reação?

Certamente seria sair de lado para não levar tudo isso na cabeça.

Faça a mesma coisa quando o entulho for verbal e gestual.

Essas coisas negativas vêm em forma de ofensa, crítica severa, fofoca e observações maldosas de alguém querido.

As palavras vêm carregadas de rancor, inveja e pessimismo.

Normalmente isso denota uma baixa auto-estima, mas isso tampouco é da sua conta.

Se desligue, como forma de se desviar de toda essa carga negativa.

Se desligar não quer dizer não dar a mínima.

Apenas evite que tal comportamento indesejável de outra pessoa desencadeie um comportamento indesejável em você mesmo.

Beco

Aproveite melhor os bons momentos.

Deixe que as boas fiquem na sua cabeça por mais tempo. Quando experimentar algo bom, um bom momento, desfrute com vagar, com plenitude, e deixe a memória desse momento bom perdurar na sua mente.

Quando sentir que algo bom está acontecendo, viva plenamente cada segundo.

Não permita que toxinas mentais cheguem para atrapalhar a festa.

Afaste a inveja, o rancor, o ressentimento.

Afaste a inquietação e as preocupações.

Se deixe embalar pelo bom momento.

Perceber que as rosas têm espinhos é prudente e natural, mas deixar que os espinhos te impeçam de desfrutar a beleza das rosas não é nada razoável.

Preste atenção em cada detalhe e relembre cada aspecto por muito tempo.

Escolha ser feliz.

Beco

Tire o pensamento vingativo da cabeça.

Na verdade você não vai se vingar. Está insuportavelmente contrariado, e fica pensando mil maneiras de se vingar, fazer alguma maldade para a outra pessoa.

Toda vez que você se lembra, o pensamento retoma do ponto anterior, num rosário interminável de rancor e ressentimento.

Funciona como uma coroa de espinhos que você confeccionou para colocar na sua própria cabeça, e que você tira, guarda no armário, mas quando se lembra a coloca na cabeça, numa atitude masoquista, causando dor a si próprio.

Abandone a coroa de espinhos.

Privilegie os mecanismos da felicidade e não os do sofrimento.

Pense mais em aliviar a sua própria dor e menos em infligir dor aos outros.

É natural que o sentimento negativo nos impacte quando alguém nos faz algum mal.

Quando isso acontece, como diz Thich Nhat Hanh, devemos observar esse sentimento negativo, aceitá-lo como parte de nós mesmos e permitir que ele suba a escada do sótão da nossa mente e por lá fique, sem nos perturbar a todo o momento.

Aceite o seu ferimento, mas não jogue sal na sua ferida.

Deixe que ela cicatrize.

Beco