procure os amigos Posts

Fale com alguém

Especialmente quando estamos sozinhos, temos o péssimo hábito de ruminar em cima de algum problema específico.

Muitas vezes o problema não é real, um incômodo sentimento sobre a vida de outra pessoa.

Ajuda muito, nestes casos, falar com alguém, pois fica difícil ruminar acompanhado.

A ruminação, ficar mastigando um problema sem encontrar a solução ou mesmo se livrar dele, é algo fisicamente e emocionalmente danoso, e temos que evitar.

Quando falamos com outra pessoa, ganhamos um pouco mais de realidade sobre os nossos problemas.

Vencendo a solidão.

Se imagine vencendo a solidão. Procure sua vida interior, mas sem ruminação, sem ficar repassando suas desgraças.

Saia de casa, aprenda a gostar dos outros e de si mesmo. Procure se entreter com o calor humano.

Quando estamos sozinhos temos uma tendência a procurar os contatos virtuais, as redes, mas devemos saber que isso não preenche a nossa necessidade de estar com as pessoas.

Se você está com fome, come. Quando está com sede, procurar um copo de água. Assim também, quando se sente só, deve procurar companhia, o contato humano, que é insubstituível.

Não se esconda na caverna.

Tempos duros e difíceis podem nos remeter para debaixo das cobertas, nem tanto uma depressão, mas uma vontade de sumir, se meter na caverna e se isolar.

Ao reconhecer essa emoção chegando até você, aceite, é algo natural, mas deixe ela se instalar.

Procure contato com pessoas, seus amigos e familiares – não fique sozinho – não se esconda na caverna.

Não se deixe aprisionar no labirinto de pensamentos negativos e baixa autoestima.

O isolamento que devemos evitar.

Às vezes nos sentimos como um órfão depois da guerra.

Os problemas chegam enfileirados e deixam a nossa casa emocional destroçada. Nos sentimos sós, abandonados e acabamos nos isolando mais – temos que evitar isso.

Não podemos ser ajudados se procuramos o isolamento.

Pensamos que o nosso problema é único, mas quando saímos do isolamento, aprendemos que muitos padecem do mesmo problema, e a troca de experiências é um recurso valioso para sair da crise.

Um cobertor quentinho.

Quantas vezes nos sentimos pequeninos, desprotegidos a procura de um cobertor quentinho.

Temos até a tendência de se enfiar debaixo das cobertas, o que nos deixa mais desprotegido e eventualmente deprimido.

Temos que buscar um cobertor para o coração.

Na verdade estamos amedrontados e assustados com a vida e não morrendo de frio.

Mesmo agitados e estressados, na verdade nos sentimos enfraquecidos.

Os relacionamentos pessoais profundos.

Sabemos que os relacionamentos pessoais são importantes, mas será que estamos dando a eles a devida atenção.

John Izzo realizou um estudo, entrevistando mais de duas centenas de idosos. Dentre as conclusões interessantes, uma tem a ver com os relacionamentos pessoais (em uma outra postagem vamos falar um pouco sobre John).

As pessoas que chegam ao final da vida felizes, dão graças aos relacionamentos pessoais profundos que foram capazes de cultivar.

As pessoas infelizes sempre se ressentem da falta de relacionamentos pessoais ao longo da vida.

Compartilhando a dor.

Sei que todos gostam de compartilhar as alegrias.

Contar para alguém as coisas boas que aconteceram é algo que fazemos correndo.

Mas quando as coisas são ruins?

Saímos correndo para contar aos outros? Nós nos retraímos e nos escondemos?