positividade Posts

A coragem não é falta de medo.

Quando criança, usamos ter medo de muita coisa, o escuro, o barulho, os movimentos bruscos, as vozes alteradas.

Com o tempo, com a ajuda dos adultos e educadores, aprendemos que o mundo não é assim tão perigoso. Aprendemos que podemos conviver com o perigo e com as ameaças porque temos as ferramentas, físicas e psicológicas, para lidar com elas.

A coragem não é, portanto, a falta de medo, mas a escolha de agir e enfrentar as situações, a despeito do medo.

Quando a coragem nos é agraciada, deixamos de fugir, de correr, de se esconder e sentimos o poder e a força para navegar graciosamente pela vida.

Essa atitude é construída, aprendida passo a passo, experimentando as possibilidades que temos diante da vida.

Você se lembra de uma ocasião onde escolheu não perseguir a sua felicidade por conta do medo?

Isso também tem a ver com o desconforto de conviver com o risco de acontecer um fato indesejável no futuro. O receio do resultado ruim trabalha na nossa mente, no esforço de evitar a dor e o desapontamento já experimentados em outras ocasiões.

É bom sair da zona de conforto e confrontar o medo e o risco.

Muito disso tem a ver com a nossa percepção. Por isso, devemos refinar, melhorar e aprimorar a nossa percepção.

Devemos aprender a lidar com o sentimento de medo, pois os sentimentos são os insumos da nossa ação, ou melhor, eles governam as nossas ações.

Cuidado – o medo pode vir travestido de racionalidade. Queremos racionalizar o medo, na tentativa de justificar a nossa ação e decisão.

Acredite si próprio, tenha fé no seu taco.

Conviva com a incerteza.

Não devemos ser prisioneiros e nem intimidados pelo medo.

A maioria dos medos é infundada e vazia.

Lide com os medos um de cada vez. Vá devagar e com calma.

Na jornada da vida, se deixe distrair com as boas experiências, se esqueça momentaneamente do passado e se fortaleça emocionalmente para quando as tempestades surgirem.

Quando nos deixamos dominar pelo medo, temos uma tendência a nos encolher, nos isolar, agindo como o porco-espinho, que rapidamente se transforma em uma bola de espinhos ao menor sinal de perigo.

O porco-espinho é um animal de estratégia única de defesa, e para uma pessoa humana, a estratégia de isolamento pode ser desastrosa – devemos evitar.

Passe adiante.

Beco

Se levante do chão.

Se levante do chão pra não ser tratado como um capacho.

 Melhore sua auto-estima. Cuide de si, dê opinião, mostre os seus dotes, os seus gostos.

Procure seus amigos, não se isole.

Repasse na memória suas realizações.

Afaste essa atitude negativa quando conversa consigo mesmo. Uma das piores coisas quando se está por baixo, e a excessiva auto-crítica, a conversa negativa que fazemos com nós mesmos.

Faça uma lista das coisas boas e ruins da sua vida.

Se concentre por um momento nas coisas boas – aprecie.

Faça uma lista das pessoas com quem você se relaciona, amigos e familiares.

Coloque a sua atenção nas pessoas amigas verdadeiras. Dê graças pelos amigos que tem.

Desafie as suas crenças negativas sobre tudo e sobre todos.

Não busque validação externa em tudo que pensa e faz. Confie na sua opinião, no seu gosto e preferência, confie no seu taco e vá em frente.

Quando estamos por baixo, nos alimentamos mal, nos relacionamos mal e com isso acabamos debilitados, mal acompanhados e mal remunerados.

Como dizíamos de brincadeira – é melhor ser rico e com saúde do que pobre e doente.

A baixa auto-estima funciona também como um imã para coisas ruins.

Andamos na sarjeta porque achamos que não merecemos a calçada.

Se levante do chão, ande de cabeça erguida e construa uma nova imagem de si mesmo.

Do ponto de vista da patologia, a baixa auto-estima e o ego inflado são dois tipos de egocentrismos.

Aquele que se coloca num pedestal, se isola do mundo, se colocando acima de tudo e de todos.

Aquele que faz o contrário, também se isola do mundo, se colocando abaixo de tudo.

É preciso uma vigilância para não ficarmos no chão.

Por vezes tropeçamos e caímos, é inevitável, mas devemos rapidamente, como diz a canção: -levanta, sacode a poeira e dá volta por cima.

Passe adiante.

Beco

Uma janela se fecha e uma porta se abre.

Sempre que uma janela se fechar para você, uma porta há de se abrir.

É um adágio universal, que nos estimula a procurar as oportunidades em meio aos tempos desafiantes.

Nada é totalmente ruim.

Veja a coisa boa que vem da situação supostamente ruim.

Vi a entrevista do Kaká, lá da África do Sul após a sua expulsão do jogo contra a Costa do Marfim.

Disse ele: “veja pelo lado bom, vou ter um tempo maior para me preparar….”

O desapontamento, a tristeza, a frustração e a perda, podem vir acompanhadas de uma oportunidade para outras realizações.

Os filósofos se referem a uma lei da compensação, onde o equilíbrio de coisas boas e ruins acontece.

Assim como a transformação é o fim para a lagarta, o mesmo processo representa o início para a borboleta.

Aguce a sua percepção, pois a oportunidade pode estar escondida.

Às vezes isso não acontece logo em seguida, é preciso ter uma certa paciência e coração aberto para aproveitar as novas oportunidades.

Se imagine num quarto escuro onde a porta acabou de se fechar. Fique sereno e atento para a pequena fresta que vai aparecer, deixando passar a luz, no princípio quase imperceptível, mas de repente o seu ambiente se ilumina por completo.

Passe adiante.

Beco

Já passou.

Que alívio saber que já passou.

O pior já passou, agora é tocar a vida adiante.

No trajeto da vida, às vezes somos atingidos por uma tempestade repentina, ficamos desabrigados, esgotados, e não raro com a auto-estima lá embaixo.

Dê uma parada para respirar, recuperar o fôlego.

Um dia de cada vez.

Assuma aquilo que você consegue dar conta.

Não crie expectativas irreais sobre o que você consegue fazer – você não vai transformar o mundo, o que não te impede de ser feliz.

Cuide de si próprio – passada a tempestade, restam dores residuais e alguns machucados para curar.

Se permita entristecer com as coisas ruins que passaram, mas não se deixe abater – a vida que segue.

Cuide da saúde, da alimentação, do repouso adequado.

É bom compartilhar com alguém de confiança a experiência pela qual acabou de passar.

Alguma coisa nova nasceu da crise. Preste atenção, identifique, e se for boa, cultive e deixe-a crescer.

Oportunidades podem emergir da crise.

Após a tempestade, saímos transformados e fortalecidos – deixe o novo chegar – aceite, aproveite.

Volte e retome a sua vida normal tão logo seja possível.

Não evite as pessoas e não tenha constrangimento de contar sobre a crise.

Não se isole e não bloqueie seus sentimentos como forma de proteção.

Há vida lá fora.

Beco

Comemore a sua evolução.

Veja o quanto você melhorou.

Me lembro quando os meus filhos eram pequenos e estavam na fase de crescimento. Fixamos um lugar na parede para marcar a altura ao longo do tempo.

Eles próprios ficavam felizes de ver o quanto cresceram, e eu ficava ainda mais orgulhoso de vê-los crescer tão rapidamente.

Acho que isso pode ser aplicado também para cada um, na sua jornada da vida.

Olhar uma régua imaginária do nosso crescimento pessoal e comemorar a evolução.

Sempre que fizer uma reflexão das realizações, pense em uma maneira, mesmo que simples de comemorar.

Se habitue a comemorar as pequenas conquistas também.

Isso mantém o espírito positivo e alimentado para prosseguir vencendo barreiras e conseguindo novas realizações.

Novos hábitos saudáveis devem ser comemorados.

O abandono de hábitos nocivos deve ser comemorado.

Vamos também comemorar as novas oportunidades profissionais, a chance de conhecer pessoas interessantes, o convívio dos amigos.

Comemorar é sem dúvida um fermento para as novas etapas, novos desafios e novas realizações.

Uma idéia para refletir- como seria a jornada de um atleta, sem comemoração na chegada? sem comemoração a cada marca nova conseguida?

Beco

Pense positivamente.

Não foi dessa vez. Da próxima vez vou fazer certo.

Não só pense positivamente, mas aja positivamente e fale positivamente.

Utilize palavras que impulsionem para frente ao invés de se segurar nos resultados fracassados.

Seja otimista – aprenda a ser otimista. Isso é possível, segundo o Prof Seligman, conforme ele ensina no livro – Aprenda a ser Otimista.

Algo que me impressionou foram os ensinamentos de como  que o discurso pessimista dos pais são assimilados pelos pequenos.

Hoje em dia, muita gente critica essa suposta onda de pensamento positivo.

Eu particularmente acho que estão exagerando.

O pensamento crítico pode conviver com o pensamento positivo – nenhum exclui o outro.

Quando estamos nos afogando, pensamos em nos salvar, em preservar a vida – não ficamos pensando na morte, no caixão e no velório.

Quando estamos tentando nos salvar de um naufrágio (imagine as crise), você vai se segurar em algo que flutue e que te mantenha salvo acima da linha d’água, ou vai se segurar em algo pesado, que te leve para o fundo.

O pensamento positivo pode te trazer melhoria na saúde, dizem alguns especialistas.

Veja o artigo do New York Times: Power of Positive Thinking…

Passe adiante.

Beco

Seja você o seu herói.

Seja você o seu herói.

Li num blog muito interessante, uma postagem que reproduzo aqui:

“Talvez, de vez em quando,

você deva parar de esperar

que alguém apareça

para consertar

as coisas que estão erradas.

Talvez,

Você deva parar

 de se sentir coitadinho

e perceba que ninguém

tem a resposta certa.

Talvez,

você tenha apenas

que ser seu

Herói.

Nessa mesma postagem, o autor recomenda o seguinte:

Não espere.

Não fique infeliz esperando algo acontecer. Não espere ser descoberto e a realização dos seus sonhos de uma hora pra outra.

Aja.

Se não gosto de como estão as coisas, tenho que fazer algo para mudar a situação.

Não desista.

Resista à tentação de jogar a toalha. Continue tentando, e a sorte vai chegar.

Seja valente.

Mesmo com as mãos tremendo, não se amedronte.

Escolha com sabedoria.

Lidar com escolhas é para quem exercitou os itens anteriores.

As oportunidades aparecerão. Saiba escolher quando vier a hora.

Você pode ler no original.

Vide http://www.positivelypresent.com/2010/05/index.html de 10 de maio 2010.

Escolha estar no controle da sua vida.

Escolha mudar os rumos ao invés da estagnação e infelicidade.

Escolha ser seu próprio herói.

 Passe adiante.

Beco