perfeccionismo Posts

Aceite o bom e abandone o perfeccionismo

Aceite o bom e abandone o perfeccionismo

Um dos segredos da felicidade é aceitar o que já tem, e isso inclui o abandono do perfeccionismo, pois o ótimo é inimigo do bom. Temos que aproveitar a vida com tudo que ela nos oferece mesmo quando as nossas expectativas não são plenamente atingidas.

Aceite o bom.

Ninguém é perfeito.

Esperar a perfeição é uma fonte de frustração.

Aprenda a não criar expectativas de um mundo perfeito e aprecie aquilo que já é bom, aquilo que já deu certo.

Não adie seus projetos esperando pelas condições ideais

Não adie seus projetos esperando pelas condições ideais

Somos muito perfeccionistas e esperamos pelas melhores condições para realizar nossos projetos, mas as condições ideais podem nunca ocorrer. Não espere tanto para agir, para realizar.

O ótimo é inimigo do bom, como observou o pensador Voltaire.

Quando esperamos e admitimos somente o ideal, perdemos muito do bom da vida.

Queremos a excelência, a qualidade, a quase perfeição, isso é verdade, mas queremos também que as coisas aconteçam num prazo adequado e que satisfaça o propósito projetado.

Dustin Wax no seu famoso blog Stepcase Lifehack comenta sobre como reconhecer quando está bom o suficente.

Não queira entender de tudo e ter uma opinião formada sobre tudo

Não queira entender de tudo e ter uma opinião formada sobre tudo

A nossa vontade de ter razão em tudo atrapalha muito, e se abandonarmos essa tentação, vamos nos permitir caminhar com mais leveza.

A guerra para que nossa opinião prevaleça sobre os demais é uma fonte de estresse e de infelicidade.

Pra que ter razão em tudo?

Somos os donos da verdade?

Temos o monopólio da sapiência plena?

Expectativas realistas das pessoas

Expectativas realistas das pessoas

Tenha expectativas realistas das pessoas.

Não espere que as pessoas estejam sempre prontas para te servir. Isso só vai aumentar a sua infelicidade.

Esperar o máximo de todo o mundo é uma fonte de permanente desapontamento. Por vezes não cumprimos o que prometemos, e é razoável aceitar isso dos outros também.

Confiar que as pessoas irão mudar não é uma expectativa razoável. Admitir que as pessoas irão tentar e podem não conseguir está mais de acordo com a realidade. Admita que as pessoas podem falhar e ainda assim continuarem sendo amigas confiáveis.

Como sempre desejei.

A vida é um pacote completo, e nem sempre as coisas transcorrem como desejamos.

Temos que aceitar as coisas que estão fora do nosso controle, abrandando um pouco o nosso ímpeto de querer o mundo como idealizamos.

Temos sim a capacidade de transformar muita coisa que nos cerca e dar uma real contribuição para um mundo melhor. Não raro, nos empenhamos em mudar o que está fora do nosso controle, a começar por mudar as outras pessoas.

Essa atribuição não nos foi delegada, e temos que aceitar as pessoas como são. É bom evitar a tentação de querer enquadrá-las conforme o padrão ideal que temos no nosso juízo.

O medo de cometer erros.

O medo excessivo de cometer erros pode nos paralisar. Tememos errar, tememos as consequências e acabamos não saindo do lugar. Temos que agir e realizar os nossos sonhos e projetos, a despeito do medo – parte da natureza humana.

Podemos ter absorvido esse medo na nossa educação, pois os pais incutem muito esse medo de errar, e os pequenos acabam assimilando.

O perfeccionismo e a excessiva cobrança, ou mesmo as punições, acabam exacerbando o medo de errar. A paralisação é uma das consequências, sem contar o estresse que acaba nos corroendo, e prejudicando a nossa saúde.

O medo de cometer erros.

O medo pode nos paralisar.

E o medo de errar pode esconder o perfeccionismo e o hábito de pensar demais e fazer de menos.

Quando evitamos erros a qualquer custo é sinal de que nada realizamos, pois erros fazem parte da nossa jornada e principalmente da nossa aprendizagem.

Aprendemos errando desde os primeiros passos que demos na nossa vida.