não se desespere Posts

O perigo salta aos olhos.

Somos seres programados para enxergar o perigo em tudo. Uma face ameaçadora no meio da multidão, um barulho inesperado, ou mesmo um movimento brusco faz com que nos sintamos ameaçados.

Estamos numa reunião de trabalho, e algumas palavras ríspidas ditas em tom alterado também provoca o mesmo efeito e eleva o nosso nível de estresse.

Sentimos a pulsação aumentar, as mãos ficam frias, e é o nosso ser ancestral se preparando para lutar ou fugir.

Essa prontidão para reagir à ameaças pode provocar efeitos adversos no nosso organismo.

Colocando em perspectiva.

Colocando em perspectiva as circunstâqncias da sua vida, você deve fazer uma avaliação objetiva do que está bom e do que está ruim.

Pode piorar?

Pode melhorar?

Qual a melhor chance? Qual a situação mais provável?

Posso fazer algo a respeito?

Não entre em pânico.

Se livre das preocupações obsessivas.

Não entre em parafuso quando sentir que tudo está dando errado.

Grande chance de você estar exagerando.

É possível que um ou dois problemas estejam, na sua mente, contaminando tudo na sua vida.

É mais uma questão mental que prática.

O pânico coloca uma nuvem negra no raciocínio e te impede de pensar adequadamente.

Primeiro de tudo, pare para respirar, leia um par de vezes a oração da serenidade e procure se acalmar.

Controle a respiração, compassadamente e deixe a pulsação se regular.

Escreva num papel tudo que está te atormentando.

Coloque tudo numa ordem de prioridade.

Inclua o real impacto de cada coisa na sua vida cotidiana.

Descreva qual a influência real que você teve para agravar a situação em cada item, cada problema.

Coloque um (S) nos itens que são problemas seus genuinamente, e coloque um (N) nos problemas que são de outra pessoa, ou não é problema de ninguém especificamente.

Descreva qual a ação possível que você pode tomar hoje para resolver cada problema.

É bem possível que pouco daquilo que estiver na lista exija uma ação sua de imediato.

É também possível que muito do que está na lista se enquadre nas coisas que você não tem qualquer controle.

Será que você foi o responsável por tudo isso?

Será que é razoável você se sentir culpado por tanta coisa que foge ao seu controle?

Uma boa recomendação nessa hora de pânico é: não faça nada estúpido!

Ao escrever tudo que repassei, procure descobrir a falha no pensamento que te levou ao pânico sem real motivo.

Ao se acalmar, anote ou memorize aquilo que funcionou para você e repita sempre que estiver na mesma situação.

Beco