não queira mudar os outros Posts

Ao seu alcance

Procure fazer o que está ao seu alcance. Não queira mudar o mundo naquilo que está fora do seu alcance. Isso não quer dizer recusar desafios, ou fugir das dificuldades. O fato é que nos estressamos em demasia querendo mudar o que não é possível para nós, pobres mortais.

De vez em quando nos metemos a fazer o que não nos cabe, por exemplo, querer mudar as outras pessoas, perturbar a individualidade e o espaço dos outros.

No entanto, um mundo de coisas está na nossa responsabilidade, especialmente falando de nós mesmos, melhorar a pessoa que somos, ajudar mais os outros e cuidar da própria felicidade.

Recuse pensar no que não pode mudar.

Se você pensar mais de três vezes numa coisa que não consegue mudar, acenda a luz vermelha. Se determine a interromper esse círculo vicioso, parar de dar murro em ponta de faca. Se recuse a continuar esse processo.

Coisas que não consigo mudar: o comportamento do meu vizinho, do meu chefe, da minha esposa.

Coisas que consigo mudar: o meu próprio comportamento, os meus pensamentos, o meu julgamento.

Os pensamentos prepotentes de querer mudar a tudo e a todos, pode nos atormentar sem descanso. Temos que recusar a alimentar tais pensamentos, abandonar a prepotência e assumir que não podemos tudo.

O remédio para os outros.

Wayne Dyer conta uma história interessante, de um indivíduo que vai ao médico por conta de alguns sintomas que podem indicar algum mal. O médico examina e logo começa a escrever as prescrições das medicações. O paciente, finalmente, pega as prescrições e diz, vou levar esta para minha esposa tomar, e esta outra para a minha sogra. Você não tem uma também para o meu vizinho?

Aquilo que parece não fazer sentido algum, é exatamente o que fazemos corriqueiramente.

Esperemos que os outros melhores para que eu fique melhor.

Quero que os outros mudem seus comportamentos. Não quero tomar os remédios que me foram prescritos, pois acho que eles servem como uma luva para outras pessoas.

Muita energia tentando mudar o mundo.

Gastamos muita energia lutando para mudar a nossa realidade, correndo para ver as coisas diferentes, fazendo as coisas acontecerem.

No fundo, gastamos pouco tempo aproveitando o mundo tal qual ele é hoje.

Muito ímpeto transformador nos limita para usufruir o agora, o que está ocorrendo exatamente naquilo que está fazendo.

Se mudarmos a nós mesmos, o mundo à nossa volta vai mudar. Não porque temos um poder imenso, mas porque vamos enxergar o mundo de maneira diferente, e só isso vai fazer muita diferença.

Aceitar cada um como ele é.

Devo desistir de querer mudar os outros.

É muito melhor aceitar as pessoas como elas são.

Cada um tem um conjunto de qualidades que temos que aprender a apreciar.

Quando nos concentramos nos defeitos, deixamos de perceber as qualidades.

No ambiente de trabalho, cometemos o erro de tentar permanentemente mudar as pessoas para que se encaixem num padrão determinado.

Não condene imediatamente.

Não condene os outros imediatamente. Quando alguém começa a falar mal de alguém, há uma tentação para as outras pessoas ingressarem nesse jogo de linchar os outros.

Parece que gostamos todos de bater um pouco nas outras pessoas. Gostamos de falar mal, desacreditar e diminuir os outros e as suas realizações.

É um comportamento destrutivo, não só para as pessoas que são o alvo de nossos comentários, mas principalmente para nós mesmos.

Isso não contribui para o nosso crescimento e acaba funcionando como uma pedra no nosso sapado, um peso atado a nossos pés.