mente Posts

Reagir ou responder

Reagir ou responder

A questão entre reagir ou responder está no ponto central do nosso desenvolvimento pessoal, especialmente nos aspectos emocionais e neurofisiológicos.

Na semana passada conclui o curso de 8 semanas MBSR – Mindfulness Based Stress Reduction, que nos ensina a treinar a mente e o corpo para responder adequadamente às circunstâncias da vida evitando reagir de maneira rápida e equivocada e muitas vezes perigosa. Vou contar as melhores lições.

A vida emocional do seu cérebro.

Os estudos do cérebro têm realizado avanços fantásticos.

A separação do racional e do emocional, dentro do cérebro,  não segue mais as definições que acreditamos por décadas.

O Prof. Richard J. Davidson da Universidade de Wisconsin-Madison publicou um livro muito interessante que explora essas novas descobertas e o reflexo na compreensão e no tratamento das patologias do comportamento.

Disciplinar a nossa vida interior.

É importante impormos uma certa disciplina à nossa vida interior.

Isso serve para termos uma orientação mais profunda e segura para seguir.

O significado que cada coisa tem na nossa vida, vem de uma reflexão interior, de uma orientação interior.

Não ter uma orientação interior significa também uma vida à deriva.

A orientação nos dá clareza aos nossos propósitos, às nossas preferências.

Purifique seus pensamentos.

Somos vítimas de muitos pensamentos impuros.

Somos tomados pela inveja, o rancor, o ciúme e os ressentimentos.

Para ser feliz, como nos ensinou Gandhi: ”purifique seus pensamentos e tudo vai ficar bem”.

Pensamentos negativos.

Aprender a distrair os pensamentos negativos.

Não se deixe aprisionar.

Os pensamentos negativos chamam mais a nossa atenção que os pensamentos positivos – cuidado.

E tem mais, a teoria do urso branco que aponta que quanto mais evitamos o pensamento no urso branco, mais pensamos no urso branco.

Escreveu Daniel M. Wegner, professor da Universidade de Harvard, o livro – White Bear and Other Unwanted Thoughts – Urso Branco e Outros Pensamentos Indesejáveis – onde mostra o quanto ficamos prisioneiros dos pensamentos indesejáveis, especialmente quando tentamos suprimi-los.

O livro, resultado de anos de estudos sobre a supressão de pensamentos conclui que a tentativa de se livrar desses pensamentos é inútil e nocivo, um caminho que pode levar à obsessão.

Comenta este blogueiro – Balaraman que pensamentos positivos ou negativos são apenas pensamentos – devemos apenas reconhecê-los, sem lutar contra ou a favor.

Já comentei aqui, o que aprendi das leituras do monge budista Thich Nhat Hanh – se o pensamento é negativo, reconheça, observe e deixe-o abandonar o palco, voltando para o sótão da sua mente.

A técnica da distração também é boa – pense em algo positivo para substituir e distrair o pensamento negativo.

Os pensamentos negativos são recorrentes, e você pode aplicar um método pavloviano em si mesmo, relacionando um determinado pensamento positivo ao negativo indesejado. Toda vez que esse indesejável aparecer, mude imediatamente para o pensamento positivo programado para substituir.

Você pode também conectar o pensamento negativo a uma imagem exagerada do pensamento – uma imagem bizarra, quixotesca.

O uso de imagens é bastante poderoso, use o truque das imagens tanto para fixar um pensamento positivo quanto para distrair um pensamento negativo.

São instrumentos que podem funcionar.

Experimente.

Beco

Pratique exercícios mentais.

O cérebro é como um músculo que precisa ser exercitado. Se não usar, vai atrofiar.

É muito fácil manter um bom nível de atividade, o que melhora o bem-estar e ajuda a afastar a degeneração mental de qualquer natureza.

As pessoas se valem de vários recursos amplamente disponíveis, tais como os jogos de cartas, palavras cruzadas, sudoku e tantos outros jogos que envolvem raciocínio e memorização.

Acredito que a maneira mais fácil de manter o cérebro ativo é ler.

Quando lemos, especialmente os livros de ficção, deixamos a imaginação solta sob as rédeas do autor, o que é um excelente exercício mental.

Outro exercício ainda melhor é escrever.

Quem gosta de manter um diário, pode fazer isso rotineiramente. Quem escrever crônicas, ou estórias tem um prato cheio para se exercitar.

Quem gosta de escrever sobre as suas próprias coisas, fases da vida, experiências, crises, pode por em prática a recomendação.

Isso sem falar das duas coisas que mais fazemos durante a vida, que é estudar e trabalhar.

Quem para de estudar, se aposenta e não prossegue exercitando a mente, está deixando um espaço enorme para doenças não só da mente, mas também doenças emocionais.

Quem trabalha, por outro lado, corre o risco de se acomodar com o feijão com arroz, com a rotina maçante, perdendo assim a oportunidade de trazer inovação, criatividade e carga intelectual também para o trabalho diário.

Trabalhar compenetrado, com boas reflexões, procurar melhorias, estudar profundamente e buscar soluções sofisticadas é uma maneira de aproveitar melhor as horas de trabalho também para manter a boa forma mental.

Exercite.

Beco

Deixe o problema dormir uma noite.

É sempre adequado deixar o problema dormir uma noite.

Quando a circunstância te parecer muito grave ou quase insolúvel, durma uma noite sem tomar qualquer ação precipitada. É normal que a situação não exija uma ação imediata.