honestidade Posts

Com as duas mãos

Com as duas mãos

Venho de uma cultura japonesa onde damos e recebemos com as duas mãos. Me lembro, na minha tenra idade, minha mãe se recusando a me entregar alguma coisa até que eu estendesse ambas as mãos. Neste início de ano, tive uma experiência fantástica que me remeteu imediatamente à essa lição, à essa lembrança.

Gratidão é a memória do coração

Gratidão é a memória do coração

Gratidão é a palavra que tem que estar na nossa mente desde a primeira hora do dia. No Natal passado recente (2015), recebi de presente um livro do amigo Julio. Não pude ler o livro de pronto como costumo fazer, mais por conta da correria da mudança de residência e da ocasião festiva. Logo que conseguir pegar o livro para ler,  fui logo na página 42 e li sobre a paz. No meio do texto, encontrei algo que me remeteu aos ensinamentos do meu avô. O escrito dizia que paz é dar e receber e não ter vergonha de pedir e agradecer.

Não é feio pedir emprestado

Não é feio pedir emprestado

Temos que pedir ajuda sempre que necessitamos, e não há razão nenhuma para vivermos isolados.

Podemos também pedir emprestado, e não há nada de errado.

Importante – Não estou falando de dinheiro.

Cientista mostra que mentir é mais desgastante até fisicamente do que ser verdadeiro

Cientista mostra que mentir é mais desgastante até fisicamente do que ser verdadeiro

Mentir para os outros causa um dano nos relacionamentos, mas mentir para si mesmo traz danos à própria saúde.

Parece que o mundo vive um ambiente de pouca sinceridade, relacionamentos muito superficiais, mas temos que fazer um esforço para mudar, pelo menos no que está no nosso alcance.

Pare de fingir que sente quando não sente.

Pare de dizer que quer quando não quer.

A atitude de fingir causa mais desgaste emocional e físico do que ser honesto e verdadeiro.

Fingir e mentir pode acumular toxinas na sua alma.

10 Desculpas esfarrapadas

10 Desculpas esfarrapadas

Será que você é boa em dar desculpas?

Será que há desculpas boas e desculpas esfarrapadas?

Damos desculpas para os outros, e inventamos desculpas para nós mesmos, e com o ímpeto de enganar os outros, acabamos enganados nós mesmos.

Gretchen Rubin relaciona 10 desculpas esfarrapadas que eu replico nesta postagem.

Uma pessoa renovada

Somos como um carro que vai acabando a gasolina e temos que parar no posto para abastecer.

Temos que renovar as nossas energias, rever os nossos projetos e fazer uma avaliação dos progressos que já fizemos.

Se fizermos esse processo com honestidade, vamos sair uma pessoa renovada.

Devemos passar a ferro as decepções e ressentimentos, se livrar de coisas negativas que ficam grudadas nas nossas mentes e seguir adiante, com uma nova energia, um novo olhar.

A virtude da honestidade

A desonestidade limita os nossos caminhos, enquanto a honestidade nos dá a liberdade de escolher, caminhar, empreender. As opções se restringem, e os amigos do peito se afastam e os familiares se sentem envergonhados quando escolhemos o caminho tortuoso.

Passamos a pertencer a outra classe, outra tribo.

A desonestidade limita os nossos relacionamentos, pois vamos conviver com pessoas que compactuam com o nosso comportamento.

Acredito que seja difícil viver em paz sendo desonesto, pois quando somos honestos, temos a verdade do nosso lado. Do contrário, estamos desamparados , entregues à maldade e a mentira.