generosidade Posts

Passe adiante o que aprendeu

Passe adiante o que aprendeu

Se você aprendeu alguma coisa interessante, passe adiante. Você não perde nada por passar aos outros uma boa dica, um conhecimento, uma boa receita.

Quantas boas dicas nós recebemos ou descobrimos e que podem ser úteis para outras pessoas. Passe adiante. Vai te fazer bem.

Não há nada como ajudar alguém, descompromissadamente, sem qualquer interesse envolvido, e sem esperar nada em troca.

5 maneiras de agradecer no trabalho

5 maneiras de agradecer no trabalho

Estamos tão compenetrados no trabalho, e às vezes tão estressados que nos esquecemos de utilizar a moeda mais valiosa no ambiente de trabalho, a gratidão.

Temos que aproveitar as boas oportunidades para agradecer, sabendo principalmente que isso nos faz feliz.

Nos acostumamos a agradecer em casa, assim fomos ensinados. Agradecemos na igreja, pois nos parece adequado – mas nos esquecemos de fazer isso onde passamos a maior parte do nosso tempo, no trabalho.

Por incrível que possa parecer, 35% das pessoas pesquisadas pela Templeton acreditam que agradecer favorece a exploração e o abuso por parte das outras pessoas, uma crença totalmente descabida.

O autor Jeremy Adam Smith em artigo no Greater Good aponta cinco maneiras preciosas de fazer uso desse recurso tão desprezado. A gratidão nos torna mais ricos, pessoas melhores, mais saudáveis e mais queridas. E nem precisa economizar, pois quanto mais usamos mais temos para usar.

Discorro sobre os 5 pontos que Smith focaliza:

Arco-íris nas nuvens sombrias

Arco-íris nas nuvens sombrias

Seja você mesma, um arco-íris na vida sombria de outra pessoa.

Que inspiração ouvir Maya Angelou num vídeo curto e maravilhoso, exatamente com esta mensagem.

Seja a benção para outra pessoa, diz a famosa autora que faleceu o ano passado.

A grandeza do coração de reconhecer que a vida apresentou muitas nuvens sombrias, mas reservou a ela muitos arco-íris.

Todas as pessoas que foram boas para você, caminham com você eternamente, qualquer que seja o seu caminho, o seu trajeto, a sua luta.

Somos em grande parte, a bondade que recebemos por toda vida.

As pessoas numa escada

As pessoas numa escada

Não olhe para as pessoas como quem está numa escada.

Não encare a vida como uma escada onde você encontra pessoas abaixo e se compadece, e outras, você encontra acima de você e então as inveja.

Se coloque no mesmo plano das pessoas, e olhe para elas de igual para igual.

Exercite a empatia. Se coloque no lugar do outro para melhor entender o comportamento de cada um, suas necessidades, suas ansiedades e dificuldades.

Exercite a compaixão. Sinta você mesmo a dor do outro e queira que a dor cesse. Você pode não fazer nada, mas esse sentimento valioso vai provocar uma transformação na maneira como você vê as outras pessoas.

Uma pessoa especial

Uma pessoa especial

Seja uma pessoa especial principalmente para aqueles do seu convívio. Não tente agradar a todos.

Não somos perfeitos, mas podemos ser especiais.

Seja especial para as pessoas que te cercam, as pessoas do seu convívio diário.

Não tente agradar a gregos e troianos, pois acaba não ajudando ninguém.

Podemos fazer a diferença para pessoas com quem nos encontramos no cotidiano.

Se inspire nos bons exemplos

Esteja com a mente aberta para perceber o bom nas pessoas, perceba as ações virtuosas e se inspire, tome como exemplos.

Quanta gente boa cruza o nosso caminho e quantos eventos que tocam o nosso coração, pessoas generosas, pessoas necessitadas e ajudas inesperadas. Como muita frequência nos deparamos com fatos que trazem à tona essa natureza humana tão virtuosa. Uma natureza  pronta para fazer o melhor, ajudar pretensiosamente, socorrer alguém em perigo.

Não se coloque tão ocupado

Não se coloque tão ocupado ou sinta que não tem tempo para nada, pois assim vai perder o sabor da vida.

Um experimento científico muito comentado é aquele realizado por Darley & Batson na Universidade de Princeton, intitulado de Jerusalém para Jericó. É sobre a predisposição para a bondade quando estamos apressados ou não. O resultado é que quando não estamos apressamos estamos seis vezes mais dispostos a sermos bondosos. Isso porque estamos atentos para as pessoas necessitadas à nossa volta.