exercício físico Posts

Como se exercitar pode te deixar feliz (e mais ainda em grupo)

Como se exercitar pode te deixar feliz (e mais ainda em grupo)

Temos um corpo físico que pede para estar em movimento. Não podemos perder qualquer oportunidade para se movimentar, nem que seja um pouquinho.

É comum estimularmos as crianças à prática de esportes, levando-as aos ambientes de grande competição.  Às vezes o ambiente acaba inibindo-as, e depois, quando adultos, fica um trauma residual difícil de vencer.

É importante a prática de esportes e exercícios físicos para uma vida saudável e feliz. Aprender um novo esporte é uma recomendação interessante em qualquer idade.

Quando adultos, inventamos muitas desculpas para nos afastar dos esportes: cuidar dos filhos, trabalho, deveres do lar, cansaço, cuidar dos pais, cuidar dos sogros, os trabalhos da igreja e a conhecida preguiça.

Quero as coisas ao alcance da mão.

O jornal, o livro, a xícara de café, e de quebra, o controle remoto da televisão – quero tudo ao alcance da mão.

Quero explorar a abundância da vida do meu sofá.

Será que tem alguma coisa errada?

Acho que sim – a vida exige mais movimento.

Tenho que me levantar e me expor à abundância da vida.

Tenho que encontrar pessoas, ouvir histórias, pegar gripe.

O navio está seguro no porto – mas ele foi feito para navegar.

O navio não foi feito para ficar no porto.

Não fique parado.

Saia da estagnação.

Saia do conforto do navio no cais.

Você já viu um filme com o navio no cais, marinheiros de folga, máquina desligada, destino nenhum.

Temos que refletir um pouco sobre a nossa vida.

Uma boa caminhada vai te fazer bem.

Uma caminhada, mesmo curta faz muito bem à saúde e ao espírito.

Especialmente quando nos sentimos tristes, deprimidos, sem vontade de fazer nada, ou ainda, quando estamos ansiosos por alguma coisa que sequer sabemos identificar, uma caminhada faz bem.

Transforme aquele impulso para se enfiar debaixo das cobertas e se esquecer da vida, em outro impulso, o de colocar uma roupa leve e sair para uma caminhada, sem qualquer destino.

A caminhada ajuda a clarear a mente, contribui para digerir alguma coisa ruim que anda rondando a nossa mente e pode nos trazer a serenidade tão desejada.

Muitas pessoas usam esse artifício logo após o almoço, o que ajuda também a digestão. Outros gostam de caminhar de noite, uma pequena volta na quadra, o que contribui para um sono tranqüilo.

Concordo que arrumamos uma porção de desculpas para não caminhar, está chovendo, está frio, não tenho tempo, tenho que terminar alguma coisa, tenho que ligar para alguém, e aquela clássica desculpa que eu adoro, vou deixar para depois do jantar.

A prática diária de exercícios é muito importante, e não há nada mais fácil que caminhar.

Não é preciso pagar uma academia, nada de equipamentos especiais, e especialmente quando fazemos solitariamente, cumpre uma finalidade nobre, o de conversar consigo mesmo.

Se concentre nas coisas positivas, deixe sua mente vagar por experiências fantásticas e pessoas interessantes. Libere a mente do julgamento, dos planos recheados de inveja e do excessivo materialismo.

Faça da caminhada um hábito diário.

Beco

Pratique exercícios físicos.

Mantenha uma atividade física rotineira, se possível, diariamente.

Hoje em dia, mesmo as pessoas comuns, não atletas, buscam mecanismos para se exercitar rotineiramente.

Fácil iniciar e se inscrever nos programas, mas difícil manter o ritmo e a participação, e as opções são muitas, academia de ginástica, aula de ioga, amigos do futebol, grupo de dança e muitos outros.

As desculpas para fugir do compromisso são inúmeras: dor de cabeça repentina, visita inesperada, cansaço, trabalho ou compromissos sociais.

Não incluí, mas vale citar as freqüentes crises de preguiça e desânimo.

Seguem algumas recomendações que funcionam para mim.

Manter um elenco enorme de possibilidades para exercício ao alcance da mão – em casa.

Não desperdiçar qualquer oportunidade que apareça de graça no meio da rotina diária.

Uma caminhada para o trabalho ou mesmo entre um compromisso e outro durante o dia.

Subir alguns lances de escada.

Fazer uma faxina em casa ou mesmo um pouco de jardinagem ajuda a manter a máquina funcionando.

Não se preocupe tanto em queimar calorias. Se preocupe mais em se mexer.

Às vezes desperdiçamos oportunidades valiosas de exercício físico gratuito para depois então pagar uma academia de ginástica que sequer frequentamos.

Carregar umas sacolas de compras do caixa do supermercado até o seu carro no estacionamento é quase igual a levantar alguns quilos na academia.

Subir uns lances de escada equivale a alguns minutos de step na academia.

Uma faxina em casa pode equivaler a toda uma série de puxadas e estiradas de pernas e braços numa máquina sofisticada.

Para os que já recebem orientação profissional e freqüentam uma academia com disciplina e dedicação, as recomendações são dispensáveis, mas você mesmo sabe o quanto é difícil manter o ritmo.

Beco

Se mexa.

Faça alguma coisa.

Dê o passo, mesmo que pequeno. Uma jornada longa se inicia com um pequeno passo. Não deixe que os pensamentos circulares e o turbilhão de preocupações te mantenham imobilizado.

Não realizar nada, acrescida à preocupação excessiva com o passado e com o futuro faz das pessoas verdadeiros postes infelizes.

Qualquer coisa pode ajudar. Um exercício físico, uma arrumação na casa, uma ligação telefônica, uma caminhada mesmo que curta.

Sou de opinião que não seja necessário ir à academia para se manter fisicamente ativo.

No dia-a-dia temos inúmeras oportunidades para manter o corpo em movimento.

Alguns lances de escada ao invés de elevador.

Caminhar até o carro no estacionamento.

Caminhar para ir ao almoço.

Caminhar para ir a uma reunião.

Ajudar nos afazeres de casa – lavar pratos, arrumar a cama.

Ajudar na preparação do jantar, picar os legumes.

A movimentação, mesmo sem chamar isso de exercício faz bem ao corpo e ao espírito.

É melhor qualquer movimento do que ficar sentado na frente da televisão apenas mudando os canais.

Sabemos que o exercício físico previne uma porção de doenças e além de te manter atento, com bons reflexos e livre de acidentes comuns.

O sedentarismo também é um condutor para a obesidade, que por si só se constitui em riscos enormes à saúde.

Dizem que dançar faz muito bem, e os estudos associam bastante a dança e saúde dos idosos. A dança contribui para a socialização, mas também para o aprimoramento do equilíbrio, o que protege os idosos de quedas comuns.

Em muitos casos precisamos estar motivados apenas para dar o primeiro passo, o resto vai como que naturalmente.

É como entrar numa piscina fria. Depois que vencemos a motivação para pular para dentro, continuar nadando é algo mais  natural.

Peter Bregman expõe melhor essa idéia no texto que segue que aparece na Harvard Review.:

http://blogs.hbr.org/bregman/2010/05/how-and-when-to-motivate-yours.html

Passe adiante.

Beco