empatia Posts

Fique feliz com o sucesso dos outros

Fique feliz com o sucesso dos outros

Fique feliz com o sucesso dos outros. É um exercício que todos devemos praticar. Dá um pouco de trabalho pois pinta aquela inveja, o desejo de ter tido a mesma sorte ou a mesma capacidade.

Às vezes, o egoísmo nos impede de apreciar as realizações dos outros.

Não seja vítima das pequenas irritações cotidianas

Não seja vítima das pequenas irritações cotidianas

Às vezes chegamos ao final do dia exaustos de lutar com tantas irritações cotidianas.

Deixe de ser vítima de cada pequena contrariedade.

O cotidiano frenético nos premia com muitas pequenas irritações.

O exercício da empatia

Exercite a empatia, e com o tempo e a prática você vai incorporar isso no seu modo de vida.

Se coloque na pele do outro. Faça esse exercício. Esta prática leva a maior compreensão das pessoas, melhora e fortalece as relações, e fortalece a própria pessoa.

O foco desta prática pode ser qualquer pessoa ou situação. Uma pessoa que sofre de alguma doença. Alguém que sofre uma perda grave seja de um ente querido, um emprego, ou mesmo algo material.

Entenda os outros

Desperdiçamos muita energia reagindo às ações e afirmações dos outros, sem sequer ter a preocupação de compreendê-las.

Quando entendemos as razões que levam os outros a pensarem a agirem de determinada maneira, aliviamos o nosso estresse, e acalmamos o nosso cérebro límbico.

Ficamos raivosos, ressentidos e muitas vezes queremos dar o troco na mesma moeda. Queremos logo rebater, e é a ansiedade de não ficar perdendo, pelo menos zerar o jogo.

Imagine o ganho que você pode ter, simplesmente se dedicando um pouco mais em entender as pessoas.

Somos iguais no sofrimento.

Os homens são iguais no sofrimento, e por isso, a maior virtude é o exercício da compaixão.

Sentir a dor do outro e ter uma urgência de fazer alguma coisa para que essa dor cesse, é a experiência da compaixão.

Essa cultura do materialismo, status e correria sem limites em cima de uma esteira hedônica, nos leva a crer que podemos ser superior em alguma coisa. Adquirimos o costume de olhar os outros de cima para baixo, mas tudo isso é uma ilusão.

As decisões que tenho que tomar.

Temos que refletir constantemente sobre as decisões que tomamos.

Estou prejudicando alguém?

Vou me orgulhar do que estou decidindo e fazendo?

Vou me orgulhar da escolha que estou fazendo?

O medo não deve me imobilizar, mas tenho que cuidar para não causar qualquer mal a outras pessoas.

Fazer o bem como prioridade deve ser o nosso lema.

As pessoas fazem coisas que não gosto.

Não há como evitar, algumas pessoas fazem coisas que não gosto.

Passo logo para o meu modo de julgamento, rotulando e criticando.

Sei que isso torna a minha vida ácida e o meu dia pesado, tenho que deixar ir.

Não devo aceitar maus tratos, provocações e agressões, mas a grande maioria dos incidentes desse tipo se enquadra em coisa ditas, comentários maldosos e atitudes sem importância que demos deixar passar.