dificuldades Posts

Caminhão cheio de Mxxda

Caminhão cheio de Mxxda

Quem foi que encomendou esse Caminhão cheio de Mxxda? Acabo de ler o livro com este título esquisito, mas que traz ensinamentos fundamentais para uma vida melhor, mais serena, plena e feliz. É o livro de Ajahn Brahm “Who ordered this truckload of dung?”, que uso como referência para a mensagem de hoje.

Que fez isso?

Imagine que você chega em casa e vê um montão de excremento animal, uma verdadeira montanha mal cheirosa bem em frente à sua casa. E vem à sua mente a pergunta: quem foi que encomendou esse caminhão de mxxda?

É uma desgraça. Quem poderia ter feito isso?

Culpados:

E aí começa não só as conjecturas, mas uma lista de culpados, e você começa a examinar mentalmente cada possibilidade.

Depois de pensar na culpa dos outros, começa a pensar na própria culpa.

Será que fiz algo errado a alguém?

O que fiz para merecer isso?

Contaminação:

Sem bem saber que é o culpado e sem saber o que fazer com tudo isso, você começa a levar para dentro de casa, enfiar no bolso da calça, na mochila, levar para dentro do carro, leva para o trabalho, para a escola.

Rapidamente esse negócio começa a contaminar tudo na sua vida. Te olham torto no trabalho, fogem de você na escola, enfim, a vida como um todo vira um inferno.

Não acaba nunca:

Você não sabe como dar fim a essa desgraça e o inferno parece não ter fim, um dia pior que o outro.

Você perde o emprego, é expulso da escola e é definitivamente afastado dos amigos.

O modelo explanatório:

Assim com Ajahn Brahm explora no livro, o professor Martin Seligman já havia discorrido sobre o modelo explanatório, o modo como explicamos as desgraças que nos acontecem, e esse modo tem 3 características: responsabilidade, pervasividade, temporalidade.

Responsabilidade:

Enquanto gastamos o nosso tempo precioso e também a nossa energia, inquirindo sobre o responsável, podemos pegar um balde, uma pá e começar a levar esse caminhão de mxxda para o fundo do quintal e enterrá-lo. Um balde depois do outro, com tempo e energia, podemos dar fim na nossa desgraça.

Pervasividade:

Uma coisa que acontece em um campo da vida, uma coisa localizada, não deve ser levada para todas as áreas da nossa vida. Temos que pensar em uma maneira de isolar essa coisa. Manter a nossa vida sob controle. Nada de levar uma coisa ruim para estragar tudo que já está bom.

Temporalidade:

Por fim, a temporalidade. Tudo passa, e isso também vai passar.

Encare as coisas, sejam boas ou ruins, como passageiros.

Faça a sua parte, sem muito apego, e vai aproveitar plenamente as coisas boas e vai deixar que as coisas ruins vão embora.

Rubens Sakay

Esteja em paz e fique bem

Esteja em paz e fique bem

Esteja em paz, e fique bem, encarando a realidade com coragem e determinação.

Qualquer que seja a situação, temos que fazer a nossa parte para tornar esse mundo melhor. Não podemos tudo e não podemos mudar o rumo de muitas coisas, mas cabe a nós assumir a responsabilidade pela nossa vida.

Não podemos deixar correr sem rumo. O rumo é esse, sem rancor, sem ressentimentos.

Afaste as nuvens de cima da sua cabeça

Afaste as nuvens de cima da sua cabeça

Afaste as nuvens de cima da sua cabeça, e você sabe o que isso significa, pois já viu os desenhos de pessoas que carregam uma nuvenzinha cheia de problemas bem em cima da cabeça. São pessoas negativas que sempre encontram um motivo para reclamar e sabotar a si mesmo. Compreenda o que isso significa quando acontece com você mesma e procure evitar.

Ajude os adolescentes a se sentir bem consigo mesmos

Ajude os adolescentes a se sentir bem consigo mesmos

Ajude os adolescente a se sentir bem consigo mesmos, a se valorizarem e construírem uma imagem positivo do seu futuro. É uma fase importante de descobertas mas também uma etapa de muito sofrimento. Li um artigo de Amy L. Eva, uma especialista em educação e me ocorreu compartilhar o que aprendi.

Faça o melhor do pior

Faça o melhor do pior

As situações difíceis podem acontecer sem aviso, mas lembre-se, faça o melhor do pior. Use a situação para melhorar o que vem pela frente. Nada acontece por acaso, e mesmo as coisas ruins devem ser aproveitadas para construir um futuro melhor.

Vitral virtuoso

Vitral virtuoso

Neste ano que se inicia, desejo que todos possam fazer o exercício do vitral virtuoso.

Imagine um vitral maravilhosamente confeccionado, com um desenho inigualável, cores vivas, que fazem com que a luz que vem de fora seja profundamente enriquecido quando transferida para dentro.

Vitral em si mesma:

Pense o vitral em você mesma, se abrindo para o bem que existe no mundo, acolhendo a beleza e as bençãos que a vida lhe oferece. Permita que tudo chegue até você como um presente. Aceite a vida por inteiro.

Quando a noite se apresenta, e o escuro toma conta do ambiente externo, o vitral ameaça perder a sua exuberância, e aí, é hora da luz interna se fazer presente.

De dentro para fora:

Pense agora o seu vitral, se iluminando de dentro para fora, mostrando a sua força, a sua energia.

Deixe brotar o bem dentro de você e faça o vitral brilhar, mostrar a sua cor, mesmo no meio da escuridão.

A imagem do vitral é um convite para a reflexão de que devemos estar estar abertos para receber o bem que nos é oferecido a todo momento. Receber e agradecer, e permitir que o bem entre em nós.

Momentos tristes:

Quando os momentos tristes e dolorosos nos chegam, é hora de mostrar do que somos feitos, deixar aflorar o bem que está dentro de nós. Deixar a luz que guardamos no coração chegar até o vitral, dar cor à nossa vida.

A vida não é fácil para ninguém, e há momentos que queremos nos sentar e chorar, mas a força está em nós, e na fé num Poder Superior.

Viver com o vitral sempre limpo, de coração aberto, é uma exigência.

Viver e receber tantas coisas boas que nos acontecem, é uma benção.

Deixar o bem brotar de dentro de si é uma virtude que temos que cultivar.

Rubens Sakay (Beco)

 

O seu negócio

O seu negócio

Um ensinamento maravilhoso sobre cuidar das minhas coisas, veio da leitura de Byron Katie, que diz que há três tipos de negócios: o seu negócio, o negócio dos outros e o negócio de Deus, e sobre isso ela faz a seguinte reflexão:

Você tem que dedicar o seu tempo e sua energia cuidado do seu negócio, da própria vida. Mas isso não é assim tão fácil.