crises Posts

Você anda emocionalmente anestesiado?

Quem ainda não se sentiu emocionalmente anestesiado?

Às vezes saímos tão machucados das nossas crises que preferimos um congelamento dos sentimentos, só para não sentir a dor. Temos que fazer um esforço adicional para sair dessa dormência emocional.

É como se escolhêssemos a ausência de dor e também de satisfação, e muitas vezes fazemos isso com o auxílio de recursos tóxicos que temos que evitar a todo custo.

Não peça para que as dificuldades desapareçam

Não peça para que as dificuldades desapareçam

Quando você estiver vivendo dificuldades, lute de cabeça erguida e procure aprender com elas.

Não peça para que as dificuldades desapareçam, pois elas representam a sua escola.

As dificuldades fazem parte da nossa vida. Lidando com elas, e aprendendo a solucioná-las é a forma como crescemos. Não peça para que elas desapareçam, e sim para que você tenha os seus caminhos iluminados para melhor lidar com elas.

A ajuda pode vir de alguém que aparece de repente, uma luz, uma inspiração para dar conta das dificuldades.

Uma serenidade repentina e o conforto de que não estamos sozinhos.

Uma montanha a transpor

Hoje pode nos parecer que temos uma montanha a transpor.

Quando olhamos a montanha ao longe, percebemo-la intransponível. Quando chegamos perto, olhamos para cima, imaginamos impossível a tarefa.

Com serenidade, humildade e atenção, nos damos conta que há caminhos, trilhas e possibilidades, e que elas se revelam um passo de cada vez, e assim podemos chegar ao cume.

A vida é assim, não podemos desanimar diante das dificuldades, por maior que sejam. Há sempre um caminho possível. Há uma solução, e vamos enxerga-la no devido tempo.

Quando nos sentimos amedrontados diante das dificuldades, a mente fica rodando em círculos e não enxergamos saída.

A vida não é uma tragédia

Coisas ruins podem acontecer, e os problemas podem querer te derrotar, mas a vida não é uma tragédia.

Muita dor e períodos longos de sofrimento parecem apontar para uma luta sem fim, mas temos que enxergar a luz no final do túnel. Se o fundo do poço parece chegar, dê um impulso com os pés e se lance para cima.

Não há vida sem sofrimento, e nada vem por acaso. A árdua luta de hoje vai mostrar o seu valor um pouco mais adiante.

Temos muito para reclamar da vida, mas não devemos.

Sofremos mais do que precisamos.

É fato que sofremos mais do que precisamos.

O sofrimento faz parte da vida, vem com o pacote completo e é um ponto comum da condição humana, mas temos por costume sofrer mais que prescrevem os fatos e circunstâncias da nossa jornada.

Sofremos muito com o passado, pois ainda não aprendemos a nos desligar das coisas ruins que ocorreram, e toda vez que relembramos, o fazemos com rancor e arrependimentos.

Quando olhamos para o futuro, o medo toma conta das nossas predições, e logo, catástrofes dramáticas tomam conta do filminho que rodamos da nossa vida lá na frente.

O que fazer?

Construindo paredes em volta de si.

Podemos facilmente estar construindo paredes em volta de si. O isolamento é uma das piores coisas especialmente quando temos problemas ou estamos vivendo uma crise.

É uma bola de neve destrutiva, em que nos sentimos diminuídos, culpados, rejeitados, e com isso nos isolamos das outras pessoas.

Precisamos aceitar os problemas, as vulnerabilidades, levantar a cabeça e procurar ajuda.

Em casos extremos, uma ajuda profissional é importante.

O ombro dos amigos é sensacional e funciona bem nessas horas.

Catástrofes não tão catastróficas.

Muitas situações que imaginamos catastróficas acabam não se confirmando.

Será que temos uma tendência de imaginar sempre o pior?

Acho que não. Precisamos na verdade é recuperar o senso de proporção.

Nem tudo está perdido, e se tivermos um pouco de calma vamos encontrar a saída.