crescimento pessoal Posts

Mude para melhor, aceite o convite para mudar

Mude para melhor, aceite o convite para mudar

Mude para melhor, e abra os olhos para as oportunidades que você para mudar a si mesmo.

Escreveu Viktor Frankl no seu memorável livro “Em Busca de Sentido”, que quando não conseguimos mais mudar as circunstâncias, estamos sendo desafiados a mudar a nós mesmos. Isso é a pura verdade.

Sutil arte de ligar ou desligar

Sutil arte de ligar ou desligar

A sutil arte de ligar o F, na minha visão é a arte deliberada de se desligar de uma porção de coisas que não nos diz respeito. É um recurso valioso para reduzir o estresse e aprender a cuidar mais de si mesmo. Tirar o foco em outras pessoas. Este é o melhor ensinamento de Mark Manson no seu best-seller.

A sutil arte de ligar o F é se desligar:

O título do livro de Manson parece ofensivo, algo que não gostaríamos de ouvir numa conversa séria em família. Na verdade o título adotado no Brasil confunde um pouco o sentido que o autor deu à sua abordagem.

O nome correto do livro, e que traduz o “I gon’t give a f*ck”, seria “Eu não dou a mínima”.

Na explicação detalhada do autor, vem o ensinamento precioso de aprender a se importar com as coisas que realmente importam.

Meu vizinho comprou um carro mais bonito que o meu: “Eu não dou a mínima”.

O meu cunhado conseguiu um emprego melhor que o meu: “Eu não dou a mínima”.

Porque?

Uma recomendação para descobrir se você está se importando por muita coisa boba, é se perguntar porque você se importa com alguma coisa, e veja o que você descobre.

É bem provável que você chegue à conclusão de que está colocando muita coisa no seu radar que não deveria estar lá. Carregando muita coisa na sua mochila que não é seu negócio; pedras, peso morto, ferro-velho.

Veja se tudo isso não é motivado por insegurança, egoísmo, inveja e outros sentimentos negativos.

Um herói crítico:

Manson comenta sobre o “Disapointing Panda”, o herói que ninguém quer ter, aquele que fica te criticando no bom sentido, apontando para aspectos duros da sua vida. Ninguém precisa de um herói como esse, mas todos deveriam representar esse papel consigo mesmo. 

Se ligue naquilo que te diz respeito:

Não dar a mínima, na leitura de Manson não quer dizer se desligar de tudo, deixar tudo correr solto.

É na verdade se importar com aquilo que é a sua vida, e deixar a vida dos outros em paz.

Como já comentei em postagem anterior: Cuide mais da sua vida.

Se ligue em si mesmo.

Rubens Sakay

 

Quem são os 5 ladrões de felicidade – aprenda a lidar com eles.

Quem são os 5 ladrões de felicidade – aprenda a lidar com eles.

Os ladrões de felicidade nos atacam diariamente e nos roubam o que há de mais valioso. Aprenda a identificar e lidar com eles de uma vez por todas. Aprendi no livro de John Izzo, “Os 5 ladrões da felicidade“. Neutralize-os, ou faça com que eles estejam a seu favor.

Controle:

O primeiro grande ladrão de felicidade é o controle. A vontade de controlar tudo na sua vida. Imaginar que está no controle do mundo, do seu destino e do destino de outras pessoas.

Não somos tão poderosos assim, e é importante desenvolvermos a aceitação daquilo que está fora do nosso controle.

Ego:

O ego no sentido negativo, do egoísmo, da vaidade, do exagero de foco em si mesmo.

Damos muita importância a nós mesmos, fazemos muitas comparações e deixamos de apreciar a vida, os relacionamentos e a beleza escondida em cada pessoa.

Enquanto colocamos o nosso olhar obsessivo no nosso eu, perdemos de vista a direção, o propósito e sentido na vida.

Desejo:

O desejo intenso em muitas coisas na vida, e que levam à decepção com a vida, com os resultados e com outras pessoas.

Vamos com tanta vontade na direção do nosso desejo que muito facilmente vemos frustradas as nossas expectativas.

Consumo:

A sensação de que lá fora há sempre algo que você precisa.

O impeto de sair comprando, na ilusão de que coisas materiais irão trazer a felicidade, a satisfação com a própria vida.

Cultivamos a inveja, e nas comparações, passamos a correr atrás daquilo que os outros possuem.

Conforto:

Finalmente o conforto, no sentido da inércia, da manutenção de padrões, mesmo que eles não sirvam mais, ou sejam até prejudiciais.

É muito mais fácil ficar onde está. É muito mais confortável manter os hábitos, mesmo que sejam nocivos.

Mas a vida fica mais interessante quando mudamos, e mudamos para melhor.

Somos enganados pela necessidade de segurança, vontade de se proteger, buscando rotinas e evitando correr riscos. Isso pode vir como um disfarce da acomodação e do conforto.

Fique atento para os ladrões de felicidade.

Rubens Sakay

Vitral virtuoso

Vitral virtuoso

Neste ano que se inicia, desejo que todos possam fazer o exercício do vitral virtuoso.

Imagine um vitral maravilhosamente confeccionado, com um desenho inigualável, cores vivas, que fazem com que a luz que vem de fora seja profundamente enriquecido quando transferida para dentro.

Vitral em si mesma:

Pense o vitral em você mesma, se abrindo para o bem que existe no mundo, acolhendo a beleza e as bençãos que a vida lhe oferece. Permita que tudo chegue até você como um presente. Aceite a vida por inteiro.

Quando a noite se apresenta, e o escuro toma conta do ambiente externo, o vitral ameaça perder a sua exuberância, e aí, é hora da luz interna se fazer presente.

De dentro para fora:

Pense agora o seu vitral, se iluminando de dentro para fora, mostrando a sua força, a sua energia.

Deixe brotar o bem dentro de você e faça o vitral brilhar, mostrar a sua cor, mesmo no meio da escuridão.

A imagem do vitral é um convite para a reflexão de que devemos estar estar abertos para receber o bem que nos é oferecido a todo momento. Receber e agradecer, e permitir que o bem entre em nós.

Momentos tristes:

Quando os momentos tristes e dolorosos nos chegam, é hora de mostrar do que somos feitos, deixar aflorar o bem que está dentro de nós. Deixar a luz que guardamos no coração chegar até o vitral, dar cor à nossa vida.

A vida não é fácil para ninguém, e há momentos que queremos nos sentar e chorar, mas a força está em nós, e na fé num Poder Superior.

Viver com o vitral sempre limpo, de coração aberto, é uma exigência.

Viver e receber tantas coisas boas que nos acontecem, é uma benção.

Deixar o bem brotar de dentro de si é uma virtude que temos que cultivar.

Rubens Sakay (Beco)

 

Tudo melhora quando eu melhoro

Tudo melhora quando eu melhoro

Queremos melhorar a nossa vida e eu tenho que acreditar que tudo melhora quando eu melhoro.

Vivemos em estreita harmonia com o mundo a nossa volta.

À medida que melhoramos, melhoramos também tudo que nos cerca, por vários motivos.

A fé na natureza humana

A fé na natureza humana

Apesar de tudo de ruim que tem acontecido, temos que ter fé na natureza humana.

Acreditar que as pessoas mudam e melhoram. Ter fé que o bem vai prevalecer.

Cada um é capaz de se livrar dos seus próprios defeitos e se tornar uma versão melhor de si mesmo.

Precisamos de espaço para crescer

Precisamos de espaço para crescer

Somos parecidos com as plantas, precisamos de espaço para crescer. Não podemos ficar contidos, limitados num vaso pequeno.

Precisamos de espaço para nos expressarmos.

Queremos a luz e nos voltamos para a luz. A luz é a nossa energia, como uma planta que se vira para usufruir da luz.