confusão Posts

Segundo compromisso

Segundo compromisso

O segundo compromisso de Don Miguel Ruiz que foi divulgado em seu livro “Os Quatro Compromissos” é – não leve nada para o lado pessoal. Explico nessa postagem esse segundo compromisso em continuidade ao primeiro que expliquei em postagem anterior.

O segundo compromisso:

Não levar para o lado pessoal significa não tomar partido não tomar ao pé da letra tudo que ouve sobre você.

Se fizerem um comentário maldoso sobre você, não assuma que isso seja verdade e não saia rebatendo como uma agressão ou ofensa. Não tome partido em tudo que ouve. Experimente a indiferença, especialmente quando a fonte dessa observação não merece consideração, ou venha contaminado de raiva, ressentimento.

O veneno:

Não deixe que o veneno que atiram para você te atinja assim, facilmente.

As pessoas fazem os comentários motivado por algo que se passa dentro dela, e você não deve assumir isso como algo seu, que te diga respeito, que seja sua responsabilidade. Deixe passar.

Os filtros:

As pessoas enxergam a realidade segundo os próprios filtros, e suas observações são distorcidas por conta desses filtros, e você não deve aceitar isso como verdade. Não deve aceitar que tais observações impactem sua vida sem o devido desconto.

Não tome literalmente – dê um desconto.

Carga negativa:

Quando aceitamos e assimilamos tudo que dizem a nosso respeito, carregamos essa carga negativa sem questionamento.

É como se colocassem pedras pesadas na nossa mochila e saíssemos carregando sem reclamar.

Não aceite e nem leve para o lado pessoal.

Perceba os comentários como algo que chega pelo ar e vai passando ao largo sem te afetar.

Rubens Sakay (Beco)

Livre-se do labirinto dos seus problemas

Livre-se do labirinto dos seus problemas

Muitas vezes nos sentimos presos num labirinto, rodando em círculos, como se cada problema se configurasse numa parede intransponível.

Passo por onde já passei, volto ao ponto de partida, retomo o mesmo pensamento circular, uma ruminação sem fim.

Há situações onde as pessoas ficam presas num labirinto dos problemas do cotidiano, imaginam um futuro fora do labirinto

Coragem não é ausência de medo e sim a capacidade de agir a despeito do medo

Coragem não é ausência de medo e sim a capacidade de agir a despeito do medo

Temos muito medo, e isso é característica ancestral, gravada no nosso DNA, mas temos que aprender a lidar com isso de maneira mais adequada. Muito medo pode nos paralisar.

Quando criança, usamos ter medo de muita coisa, o escuro, o barulho, os movimentos bruscos, as vozes alteradas.

Com o tempo, com a ajuda dos adultos e educadores, aprendemos que o mundo não é assim tão perigoso. Aprendemos que podemos conviver com o perigo e com as ameaças. Sabemos hoje que temos as ferramentas, físicas e psicológicas, para lidar com elas.

Não seja irritante com as outras pessoas

Não seja irritante com as outras pessoas

Não seja uma pessoa indesejável no seu meio, seja trabalho ou ambiente familiar.

Se alguém se irritou com o que você disse, não repita, e não alimente a confusão.

Você já deu o seu ponto de vista. Prosseguir só vai dar mais calor na discussão e mais estresse.

Quando você irrita as pessoas, esses sentimentos negativos voltam para você mesmo. Só faz mal a você mesmo.

Faça uma coisa por vez

Faça uma coisa por vez

Não temos que fazer tudo hoje, nem precisamos fazer tudo de uma única vez.

Sempre digo que amanhã seremos premiados com outras 24 horas novinhas em folha.

É comum nos sentirmos pressionados a fazer muita coisa ao mesmo tempo.

Quando nos sentimos afogados por um problema grave, aí é que a confusão nos assola.

Dar prioridades, entender o que vem primeiro, e fazer uma coisa de cada vez, é importante para que o resultado efetivo possa aparecer, e a vida volte a estar no nosso controle.