comportamento Posts

Tratando as pessoas intratáveis.

A escolha de como você será afetado no relacionamento é sua.

Preste atenção no seu comportamento e na sua reação.

Veja o quanto você está amplificando as coisas.

Faça um desligamento adequado quando estiver tratando com pessoas que julgar intratáveis.

Treine para ouvir coisas negativas sem se sentir negativa.

Não se deixe impactar de maneira tão intensa. Pega leve.

Imagine alguém falando contigo e te jogando um monte de entulho. Qual seria a sua reação?

Certamente seria sair de lado para não levar tudo isso na cabeça.

Faça a mesma coisa quando o entulho for verbal e gestual.

Essas coisas negativas vêm em forma de ofensa, crítica severa, fofoca e observações maldosas de alguém querido.

As palavras vêm carregadas de rancor, inveja e pessimismo.

Normalmente isso denota uma baixa auto-estima, mas isso tampouco é da sua conta.

Se desligue, como forma de se desviar de toda essa carga negativa.

Se desligar não quer dizer não dar a mínima.

Apenas evite que tal comportamento indesejável de outra pessoa desencadeie um comportamento indesejável em você mesmo.

Beco

Não seja um robô.

Seja humano. Se permita chorar, ficar com o coração apertado.

Não se reprima nos sentimentos, afinal você não é um robô.

Fique emocionado, sinta aquele frio te percorrer por dentro a ponto de perder a respiração.

Sinta com todos os sentidos.

Não olhe apenas. Sinta o aroma, o frescor, o som.

Fale a linguagem do coração. Expresse o que está sentindo, e se aceite impactar pelas expressões de sentimentos de outras pessoas.

Quando for uma situação difícil de irritação ou intimidação, alguns cuidados merecem atenção:

-primeiro faça um relato objetivo sobre a situação,

-em seguida expresse o seus sentimentos.

Em situações difíceis, não ultrapasse a linha do desrespeito as pessoas.

Não passe da expressão dos sentimentos para culpar os outros.

Não faça prolongados relatos negativos.

Tente equilibrar – um choro ocasional é aceitável – muita choradeira pode ser constrangedora.

Beco

Falar mal dos outros pega.

Quando falamos mal das pessoas para outras pessoas, as características que atribuímos a outrem acabam colando na nossa imagem, na cabeça de quem ouve.

Evite falar mal e fazer mexericos gratuitos sobre as pessoas. Vai respingar em ti.

Quando as notícias rolarem, ninguém vai saber quem falou e quem ouviu. Vai ficar mal para você também, mesmo sem ter falado nada.

Se adotarmos esse hábito ruim de falar mal das pessoas, ficamos com a essa reputação. Atraímos para si relacionamentos superficiais e desprezíveis.

Gente fraca, maldosa e vingativa adota esse hábito.

Devemos, não só evitar esse comportamento, mas também afastarmo-nos de pessoas que fazem isso corriqueiramente.

Normalmente essa falação toda é um poço de mentiras.

Se usualmente convivemos com isso, acabamos nos familiarizando tanto com as mentiras que perdemos a capacidade de distinguir mais o que é verdade.

Quando falarem mal de alguém, faça ouvidos de mercador. Deixe que a coisa entre por um ouvido e saia pelo outro, sem qualquer julgamento de sua parte.

Não dê importância, e as pessoas vão parar de te procurar para esse tipo de conversa.

Beco

Esteja aberto para a verdade.

Quem não gosta da verdade vai ter sempre a mentira.

Esteja sempre aberto para aceitar a verdade, sob o risco de ser sempre brindado com mentiras.

Aqueles que se mostram duros e belicosos diante da realidade e da opinião dos outros, serão sempre enganados pelos companheiros, pela equipe de trabalho e pelos familiares.

Se contente com o que tem.

Se contente com o que você tem.

O permanente descontentamento com o que temos faz de nós eternos infelizes.

É claro, que um pouco de insatisfação nos remete para novas realizações e mais resultados, mas o que acontece no geral, é que nunca estamos satisfeitos com o que temos.