comportamento Posts

5 dicas para criar filhos mais generosos

5 dicas para criar filhos mais generosos

Todos nós temos a noção de que devemos criar filhos mais completos, que sejam capazes, não só de realizar feitos destacados, carreira promissoras. Queremos ainda que sejam altruístas, generosos e queridos pela sua própria comunidade.

Como podemos ajudar para que eles se desenvolvam dessa maneira?

Vários estudos científicos mostram que as crianças trazem intrinsecamente a característica generosa. No entanto, a criação e a sociedade hedônica, as comparações, podem prejudicar o desenvolvimento da criança nesse sentido.

Qualidade nas interações.

Prime por conexões humanas cheias de qualidade, carregadas de energia positiva.

Não deixe o rancor, os ressentimentos a inveja e tantos outros sentimentos negativos povoarem as suas conexões com as pessoas. Não coloque veneno, não ofenda nem provoque reações que você mesmo não vai apreciar.

Plante exatamente o que quer colher. Se você quer simpatia, seja simpático. Se você quer ser bem tratado, trate bem os outros.

Experimente algumas receitas que dão resultado.

Toda vez que passar pelo caixa do supermercado, dê um sorriso autêntico, do fundo do coração, e faça um comentário positivo, elogie e seja agradável.

Pratique o que acredita.

Pratique o que acredita, e dê sentido às suas ações.

As coisas que fazemos tem explicação na nossa razão e emoção. Na prática, quando são consistentes com as nossas crenças, tem a virtude de confirmar e reforçar tudo que acreditamos.

Temos que agir de acordo com os nossos valores, e no final, estaremos cada vez mais fortalecidos.

As pessoas que pensam e falam de um jeito e agem de outro, acabam se tornando pessoas fracas. O seu caráter não passa por esse processo de fortalecimento.

Temos que praticar e agir de acordo com tudo aquilo que acreditamos profundamente, para o nosso próprio bem.

Se morder a língua morre envenenado.

Porque temos que ter tanto pensamento ácido na ponta da língua. Assim vamos morrer envenenados se mordermos a própria língua.

Alguns escritos religiosos comentam que o golpe da língua quebra os ossos, de tão forte que é.

Para o nosso próprio bem, temos que moderar bastante aquilo que falamos de outras pessoas. Especialmente aquilo que falamos pelas costas.

Mantenha uma bússola moral.

Mantenha calibrada a sua bússola moral.

O nosso comportamento é guiado pelos nossos valores, especialmente quando vivemos plenamente, conscientes de tudo que se passa à nossa volta.

Podemos, entretanto, viver em piloto automático. Completamente levados pela moda, opinião alheia, e completamente alheios a valores morais, enfim, vivemos ao acaso.

Quando vivemos conscientes da vida que vivemos, normalmente o fazemos seguindo os valores que acolhemos e tomamos como verdadeiros para nós mesmos.

É importante que esse conjunto de valores sirva como uma bússola moral para guiar os nossos atos e também os nossos pensamentos.

Perdão – uma opção ao sofrimento.

Nem todo sofrimento envolve o perdão, mas vou contar um caso extremo bastante conhecido.

A jovem ativista Amy Biehl foi morta na Africa do Sul justamente pelo povo objeto de suas ações humanitárias.

Seus pais foram à Africa do Sul e criaram uma Fundação – Amy Biehl Foundation para dar continuidade às ações interrompidas de sua filha. Arrecadaram fundos e conseguiram expandir os projetos.

Eu não sou tudo isso.

Não posso me esquecer disso todos os dias.

Não sei tudo, não sou o dono da verdade e nem tenho tanto poder assim.

Tenho que dar um basta à minha prepotência.

Tenho que parar com a mania de ter sempre algo a acrescentar, algo para opinar, simplesmente falar quando deveria me calar e ouvir.