calma Posts

A memória e a imaginação.

A nossa mente foi construída para se fixar em coisas negativas. Dizem os cientistas que os eventos negativos se atam à nossa memória como velcro ao passo que os positivos escorregam como teflon.

O fato é que a memória traz de volta as lembranças de eventos negativos, e a imaginação projeta catástrofes para o nosso futuro.

Se essa é uma característica natural do nosso cérebro, temos que lutar e criar mecanismos para que isso não atrapalhe a nossa vida.

O silêncio oportuno.

Há sempre o silêncio oportuno. Há momentos que temos que calar. Deixar o silêncio tomar conta. Deixar que o silêncio solucione ou encaminhe alguma questão.

Diz um ditado antigo que o silêncio é de ouro, e isso vale justamente nas situações onde falar pode atrapalhar.

O mundo de hoje é profundamente carregado de ruído, e não me refiro ao ruído físico, mas aquele emocional, palavras soltas sem significado, mensagens vazias e muita conversa fiada.

Muitas vezes o silêncio é o mais adequado, pois ele fala por si.

Falar pode complicar ou prejudicar o entendimento de alguma questão, e silenciar pode apaziguar os ânimos.

Vá com calma.

O estresse provoca um mal para o nosso organismo que nem conseguimos avaliar.

O neurocientista e professor da Universidade de Stanford, Robert Sapolsky escreveu um livro: porque as zebras não têm ulceras, onde explica esse processo, e a gravidade para o homem moderno.

Não traga o estresse do trabalho para casa, e quando chegar para se encontrar com a sua família, deixe essa contaminação no escritório.

Comece o dia com calma, e não tome o café da manhã na correria, repassando neuroticamente tudo que vai ocorrer durante o dia.

Seja paciente consigo mesmo, e não force a barra.

Não force a barra, e nem force as soluções.

Não se culpe tanto e nem se penitencie por algo que está fora do seu controle

Nem tudo precisa ser resolvido agora.

Amanhã você terá a chance de completar o que não foi possível hoje.

Aquela oportunidade perdida pode surgir de novo, numa outra ocasião.

Irritado por tão pouco.

Às vezes nem sei o que está me incomodando tanto.

Qualquer coisa, pequena ou grande me tira do sério.

Os nervos ficam à flor da pele.

Qual é a causa?

O que está provocando tanta irritação?

Quando não quero falar com ninguém.

Há dias que não quero falar com ninguém. Será que isso acontece com todo mundo?

Felizmente são raros, e quando acontece, procuro aproveitar essa rabugice para refletir um pouco sobre mim mesmo e os meus caminhos.

Ler alguma coisa, um artigo, um livro tem sido a minha opção preferida.

Busco também na Internet alguma coisa interessante, e encontro sempre.

A água pede para ser contida.

A água caminha e percorre trajetos longos rumo aos pontos mais baixos, mas no fundo, ela pede para ser contida.

Uma vez contida, a água passa a reinar, soberana, em paz.

E nessa contenção, nesse represamento, algumas coisas interessantes acontecem.

A primeira delas é a serenidade. Observe o lado e a água contida. Perceba a serenidade.

A outra coisa quase imperceptível é o crescimento.