atitude Posts

Não deixe botarem lixo na sua mochila.

Impressionante como deixamos que botem lixo na nossa mochila.

Estamos sempre nos preocupando com problemas que não nos dizem respeito, reagindo de maneira desproporcional a coisas que não tem grande importância.

Se continuarmos carregando um fardo de entulho que não são nossos e não vão nos ajudar em nada na caminhada da vida, podemos não chegar onde queremos chegar além de estarmos sempre esgotados com tanto peso.

David J. Pollay, aborda isso com muita desenvoltura no seu livro:The Law of the Garbage Truck – a lei do caminhão de lixo.

Diz ele, que aprendeu a lição que ensina no livro de um motorista de taxi em Nova Iorque, que reagia com serenidade e cortesia às agressões diárias no transito frenético daquela metrópole.

Dizia o sábio motorista, que muitas pessoas são como caminhão de lixo. Aceitando todo tipo de agressão, reagindo e revidando e com isso permitindo que essa carga negativa se acumulasse no seu caminhão.

Se você levar a sério, você está deixando que o lixo se acumule na sua caçamba. Se você sorrir e deixar passar, o lixo não vai se somar à sua carga.

David assumiu que a sua missão é divulgar essa mensagem, o que faz no seu website:

O autor também posta coisas interessantes no seu blog:

Resumindo, não deixe que outros controlem sua vida especialmente enfiando lixo na sua mochila.

Você pode não estar em condição de lidar com a situação completamente, mas a decisão de deixar o lixo ir para suas costas é sua.

A reação às situações está sob seu controle. Trabalhe isso.

O tempo que essa irritação fica na sua cabeça é decisão sua. Aprenda a lidar com a raiva – deixe passar.

Não guarde rancor.

Como já comentei em postagem anterior , evite as fofocas – não receba – não passe adiante.

Finalmente, não se esqueça da pergunta mágica: “até que ponto isso é importante?”

Passe adiante.

Beco

Não faça drama. Seja prático.

O drama é apropriado para o teatro.

Na vida real, a praticidade leva vantagem.

Pagar as dívidas, resolver os problemas, sanar um vazamento de água – tudo isso requer praticidade.

Não fique fazendo um drama em cima de coisas que se resolvem com disposição, atitude e um pouco de inteligência.

Empurrar com a barriga, procrastinar e ficar reclamando dos problemas não vai dar fim no seu desconforto.

Veja as coisas de maneira realista, nem fantasiosa nem catastrófica, apenas do jeito que são.

Respire fundo, tenha calma e preste atenção na solução vindo à tona.

Não saia batendo em todo mundo – vai criar um problema maior para você mesmo, depois que tudo passar.

Não procure alguém para culpar – se concentre na busca da solução para os problemas.

Não procure respostas sofisticadas quando a solução é direta e está bem debaixo do seu nariz.

Traduzo aqui uma postagem antiga do blog de Paulo Coelho.

que você pode ler no original.

 Dizia uma lenda antiga que três viajantes discutiam em como colocar em prática tudo o que haviam aprendido no campo espiritual.

Quando caiu a noite perceberam que tinham para comer apenas um pedaço de pão. Ao invés de discutirem sobre quem deveria comer o pão, resolveram dormir e esperar que um espírito superior indicasse quem deveria ficar com o pedaço de pão.

De manhã, um deles contou o seu sonho onde apareceu um sábio e disse que ele era o escolhido por ter renunciado a muitas coisas e nunca ter perseguido o prazer.

O segundo contou uma história parecida, e no seu sonho, um sábio dizia que pelo seu passado de santidade e o futuro de maestria ele deveria ter o pedaço de pão, para ter energia para liderar o povo.

O terceiro disse que não sonhou nada, não teve nenhuma mensagem. Apenas acordou no meio da noite com fome e comeu o pão.

Quando lhe perguntaram porque não os havia acordado quando tomou a decisão de comer o pão. O terceiro viajante respondeu que não quis incomodá-los, pois estavam tão distantes, acompanhados de mestres e visões celestiais.

No meu caso, disse ele, Deus atuou de maneira direta, me acordou no meio da noite com fome.

É uma boa reflexão não é?

Passe adiante.

Beco

Preste atenção às pessoas serenas.

Todas as pessoas foram aquinhoadas com uma quantidade razoável de problemas.

Quando nos deparamos com pessoas serenas e equilibradas, devemos ter em mente que elas também convivem com problemas, mas provavelmente encontraram uma maneira de ser feliz e serena a despeito de todas as adversidades que lhe foram impostas.

Preste atenção e procure aprender alguma coisa com essas pessoas.

É provável que essas pessoas tenham descoberto algo que você ainda precisa procurar.

A serenidade é um resultado de uma atitude em relação a muitas questões da vida.

É o desvestir de muitos defeitos que julgamos não ter. Descubra e trabalhe.

A arrogância, a prepotência a ganância e o ressentimento são alguns dentre várias barreiras para a serenidade.

Ao trabalhar com cada um desses aspectos, qualquer um pode se aproximar mais da serenidade.

A serenidade não é alienação.

Quando descobrimos pessoas corajosas, carregando serenamente o fardo da vida, nos lembramos imediatamente da oração da serenidade:

“Deus, concedei-me a serenidade, para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso, e sabedoria para perceber a diferença.”

A serenidade está disponível também para você.

Beco

Comemore a sua evolução.

Veja o quanto você melhorou.

Me lembro quando os meus filhos eram pequenos e estavam na fase de crescimento. Fixamos um lugar na parede para marcar a altura ao longo do tempo.

Eles próprios ficavam felizes de ver o quanto cresceram, e eu ficava ainda mais orgulhoso de vê-los crescer tão rapidamente.

Acho que isso pode ser aplicado também para cada um, na sua jornada da vida.

Olhar uma régua imaginária do nosso crescimento pessoal e comemorar a evolução.

Sempre que fizer uma reflexão das realizações, pense em uma maneira, mesmo que simples de comemorar.

Se habitue a comemorar as pequenas conquistas também.

Isso mantém o espírito positivo e alimentado para prosseguir vencendo barreiras e conseguindo novas realizações.

Novos hábitos saudáveis devem ser comemorados.

O abandono de hábitos nocivos deve ser comemorado.

Vamos também comemorar as novas oportunidades profissionais, a chance de conhecer pessoas interessantes, o convívio dos amigos.

Comemorar é sem dúvida um fermento para as novas etapas, novos desafios e novas realizações.

Uma idéia para refletir- como seria a jornada de um atleta, sem comemoração na chegada? sem comemoração a cada marca nova conseguida?

Beco

Não se deixe contaminar pelo estresse dos outros.

Muitas vezes somos contaminados pela correria e gritaria dos outros. Estabeleça o seu ritmo, não se deixe contaminar.

Quando sentir que a agitação dos outros está te contaminando, estabeleça uma barreira de proteção de modo que você possa tocar sua vida com mais tranqüilidade.

Eu faço uma leitura espiritual todos os dias logo ao chegar ao trabalho. Isso tem me ajudado a começar o trabalho com o espírito mais protegido.

Faço outra leitura espiritual antes de dormir, o que apazigua a mente que se prepara para repousar.

A agitação e o estresse, especialmente no ambiente de trabalho, é muitas vezes injustificado. Muitas vezes corremos atrás do próprio rabo, sem sequer sair do lugar.

Se conseguimos perceber essa situação neurótica é porque já estamos a meio caminho de nos safarmos.

O próximo passo é criar a barreira.

O duro é quando estamos no olho do furacão e achamos que é isso mesmo.

A barreira pode ser física, a porta da sala fechada e uma orientação para não ser interrompido.

Saiba quando guardar distância, quando não mostrar oposição, quando minimizar o contato com tais pessoas.

Se você está com a cabeça mais fria, é você que tem que tomar a iniciativa de fugir da situação estressante.

A barreira pode ser procedimental, estabelecendo responsabilidades claras, pedindo mais prazo.

Pode ser comportamental, estabelecendo limites no relacionamento.

Não tente mudar a atitude da pessoa estressada.

Pense cuidadosamente nas suas reações com a outra pessoa, você pode estar jogando lenha na fogueira.

Não culpe e nem se culpe. Aja serenamente para se afastar.

Saia da discussão quando se tornar muito pessoal.

Se afaste das medidas tóxicas para afastar o estresse – você sabe, aquelas que prejudicam a sua saúde.

Aprenda a identificar quando o estresse está te contaminando.

Se possível mantenha o bom humor.

Beco

Seja você o seu herói.

Seja você o seu herói.

Li num blog muito interessante, uma postagem que reproduzo aqui:

“Talvez, de vez em quando,

você deva parar de esperar

que alguém apareça

para consertar

as coisas que estão erradas.

Talvez,

Você deva parar

 de se sentir coitadinho

e perceba que ninguém

tem a resposta certa.

Talvez,

você tenha apenas

que ser seu

Herói.

Nessa mesma postagem, o autor recomenda o seguinte:

Não espere.

Não fique infeliz esperando algo acontecer. Não espere ser descoberto e a realização dos seus sonhos de uma hora pra outra.

Aja.

Se não gosto de como estão as coisas, tenho que fazer algo para mudar a situação.

Não desista.

Resista à tentação de jogar a toalha. Continue tentando, e a sorte vai chegar.

Seja valente.

Mesmo com as mãos tremendo, não se amedronte.

Escolha com sabedoria.

Lidar com escolhas é para quem exercitou os itens anteriores.

As oportunidades aparecerão. Saiba escolher quando vier a hora.

Você pode ler no original.

Vide http://www.positivelypresent.com/2010/05/index.html de 10 de maio 2010.

Escolha estar no controle da sua vida.

Escolha mudar os rumos ao invés da estagnação e infelicidade.

Escolha ser seu próprio herói.

 Passe adiante.

Beco

Frases com poder para destruir.

Sai sem querer, especialmente quando estamos com raiva.

São palavras que destroem o bem-estar e a felicidade e por isso devemos evitar.

“Depois de tudo que fiz por você”.

“Agora você está contente?”

“Eu não disse que você ia se prejudicar?”

“Não me interessa o que você pensa.”

“Não vou te perdoar enquanto eu viver.”

São palavras que tem o poder de destruir.

Se fazemos isso com freqüência porque aprendemos a utilizá-las, devemos desaprender.

O resultado é sempre catastrófico para que fala e para quem ouve. Pessoas magoadas, arrependidas, com sentimento de culpa e infelizes.

Não deixe o veneno dominar a sua língua.

Entenda que isso é uma coisa natural e ancestral do homem das cavernas – fazer cara feia – rosnar e ameaçar morder como forma de sobrevivência. O homem moderno não precisa de nada disso.

Aceite que isso está no seu DNA, mas não se deixe dominar.

Como antídoto desse comportamento tóxico, passe a elogiar, agradecer e motivar.

Outro dia aprendi que o primeiro aprendizado do bebê, e isso também é um instinto ancestral, é reconhecer a fisionomia dos pais, sejam eles de irritação, de carinho e de apoio.

Numa situação complicada, e caso você não se sinta à vontade para dizer qualquer coisa, faça uma fisionomia de aceitação, um sorriso, um balançar de cabeça já é o bastante.

Isso já vai te livrar do seu próprio veneno.

Beco