arrependimento Posts

Além dos arrependimentos.

Temos que ter a capacidade de viver além dos arrependimentos.

Um pouco de arrependimento é bom, pois nos impede de cometer as mesmas besteiras sucessivamente, mas ficar ruminando sobre tudo que deu errado, se culpar ou culpar os outros não leva a lugar algum.

Sinta o arrependimento, mas não deixe que ele te imobilize, te deixe triste por um tempo além do razoável.

Use a sua energia para trabalhar nos problemas de hoje, deixando de lado os problemas do passado, os resultados insuficientes e as pessoas desprezíveis por traz das situações.

Conduza a vida olhando para frente, enfrentando os problemas e fazendo o que tem que ser feito.

Nunca se arrepender.

Uma maneira certa para ficar estagnado e não fazer mais nada da vida, é acordar de manhã, olhar para o passado e se arrepender. Temos que abandonar esse procedimento negativo e totalmente improdutivo.

É certo que temos que carregar um pouquinho de arrependimento, o suficiente para não cometer as mesmas asneiras repetidamente, mas muito arrependimento é um caminho para não fazer mais nada.

Olhe para frente, considere o que é importante fazer hoje e saia fazendo. Parta para ação.

O momento glorioso da decisão.

Cada momento de decisão é também um momento de glória.

Que seria de nós se não tivéssemos que tomar nenhuma decisão? E se tudo na nossa vida estivesse definido, e nós fossemos seres sem qualquer discricionariedade? Ainda bem que a nossa realidade não é essa.

Cada momento de decisão difícil, sentimos a ansiedade e o medo das consequências. É a dúvida que navega de braçadas na nossa mente, mas temos que ter em conta que estamos diante de um momento glorioso de decisão, um momento nosso, o mundo humano do possível.

Arrependimento – um sentimento desnecessário.

Arrependimento é um sentimento que temos que trabalhar. Ele é totalmente desnecessário, e é uma carga inútil que carregamos na nossa mente mesmo depois que tiramos proveito das análises que fazemos dos nossos atos.

Para todos os atos realizados, fazemos uma análise imediata e sofisticada. Sabemos onde erramos, onde acertamos e isso é que nos faz aprender fazendo – errando e acertando.

No entanto, é muito comum carregarmos um gosto amargo daquilo que acreditarmos serem os nossos erros, e isso não contribui nada para sermos uma pessoa melhor.

Não fique esperando que o passado mude.

Às vezes ficamos paralisados, esperando que algo de ruim que aconteceu no passado simplesmente desapareça, como se nada tivesse acontecido.

Aprendi, trabalhando a aceitação, aceitar as coisas ruins que me aconteceram, e tocar a vida adiante, não ficar ruminando, e nem esperando que o passado mude.

Não fique reclamando do passado como se isso fosse resolver alguma coisa, não chore o leite derramado.

De quebra, você alimenta as emoções negativas sobre as coisas que já passaram.

Quando são eventos dos quais nos arrependemos, o maior remédio é o perdão.

Perdoe a si próprio e siga a vida adiante.

Isso vale também para a nossa atitude frente aos outros.

Ficamos às vezes obcecados pelo passado das outras pessoas.

Devemos fazer o possível para nos livrar das algemas do passado.

A energia gasta ruminando as dores do passado é uma energia totalmente desperdiçada.

Uma boa notícia é que os cientistas comportamentais descobriram que as pessoas, com o tempo, tendem a olhar os eventos passados com um olhar mais generoso e otimista, especialmente para aqueles dolorosos e decepcionantes.

Devemos deixar a natureza agir, permitindo que esse fenômeno se processe em nós.

Permitir que o passado fique nos assombrando, é colocar uma coroa de espinhos em nossa cabeça por livre e espontânea vontade, trazendo todo momento a raiva, os ressentimentos e o arrependimento.

Quando fixamos a nossa atenção no passado perdemos a oportunidade de apreciar a vida que transcorre no presente.

Beco