amor próprio Posts

Não se menospreze e pare de se fazer de capacho dos outros

Não se menospreze e pare de se fazer de capacho dos outros

Goste de si mesmo, se valorize e não se faça de objeto dos outros.

Não seja masoquista.

Perceba quando está sendo feita de capacho, e procure evitar tais situações, sem rancor e sem ressentimentos.

Apenas se afaste das pessoas e das situações.

Pessoas intratáveis:

Já comentei no passado sobre: tratando pessoas intratáveis.

Não devemos tolerar agressões, e na iminência de acontecer, devemos tirar o time, dar uma trégua, ou fazer qualquer coisa, menos ficar para receber a agressão.

Algumas pessoas, têm dificuldade de lidar com os próprios traumas e deficiências, e desenvolvem uma atitude beligerante, agressiva, com quer que seja.

Não estamos aí para isso. Ninguém merece.

Agressão:

Quando a agressão e os maus tratos forem freqüentes:

-Não se sinta culpado. Muitas vezes acontece sem sua interferência.

-Não fique para receber a agressão.

-Deixe a pessoa perceber o que está errado – a agressão.

-Ajude-a a se livrar desse defeito – é tudo que você pode fazer.

-Se trate bem, se trate com respeito.

-As pessoas carregam o egoísmo dentro de si – algumas equilibram – outras extrapolam – preste atenção.

-Procure ajuda profissional para você e para o agressor.

Será que você está se fazendo de capacho?

-Se você está sempre concedendo, dando e não está recebendo nada, você pode estar estimulando o fenômeno do capacho.

-Se você não vocaliza, não dá opinião e se deixa levar pelos outros com freqüência também está ajudando.

Não sou um leitor freqüente de Oprah, mas o site dela tem um artigo interessante sobre o assunto, com perguntas adicionais para você identificar o comportamento de capacho.

Oprah – Don’ be a doormat.

Vale à pena ler o artigo, e transcrevo aqui as perguntas:

1-Eu minto sobre os meus sentimentos com medo de desagradar alguém?

2-Eu espero que as pessoas se dêem conta de que cheguei no limite mas não digo nada?

3-Eu fico paralisada quando me perguntam o que quero, gosto ou penso?
4-A minha lista de coisas para fazer está cheia de coisas que não quero e que não gosto?

5-Eu como, choro, fumo e bebo quando estou com raiva?

6-Às vezes me sinto esgotada e explodo com os meus amados e depois me sinto muito mal.

7-Entro em pânico quando penso que alguém pode me desaprovar ou não gostar de mim?

8-Me sinto orgulhoso quando passo por cima das minhas necessidades para agradar os outros?
9-Fico ressentido fazendo coisas para outras pessoas?

10-Reclamado das pessoas e suas demandas quando estas não estão presentes?

Rubens Sakay (Beco)

Goste de si mesmo e cuide bem da pessoa mais importante do mundo

Goste de si mesmo e cuide bem da pessoa mais importante do mundo

Você sabe quem é a pessoa mais importante do mundo?
Sim – é você mesmo.
Sinta-se bem consigo mesmo. Goste de você.
Compre uma roupa nova e bonita – recomendação válida também para os homens.

Procure no seu guarda roupas algo que você goste muito e use. Não saia de casa vestido de qualquer jeito.
Quando estamos com a estima baixa, temos uma tendência a nos vestir com as piores roupas, o que nos traz mais para baixo.

Egoísmo e amor próprio.

Amor próprio não é egoísmo. Cuidar de si próprio é o que temos que fazer, primeiro de tudo.

As pessoas egoístas, também não gostam de si, e levam a vida guiadas pela ganância, materialismo, status e promoção.

No fundo, estão descuidando dos seus desejos mais profundos, enquanto cuidam de imitar os outros, ter mais que os outros, se comparando, criticando e julgando tudo que vê à sua volta.

O egoísmo fecha as pessoas dentro de um círculo muito pequeno e insignificante.

Aprendi a me valorizar.

Me faz muito mal, mas é inevitável fazer algumas comparações com os outros.

Junto com as comparações, facilmente vem a auto depreciação. A atitude de se imaginar por baixo, desvalorizado.

Nesses casos, vale sempre a recomendação de evitar comparações, mas também a valorização de si próprio.

Goste da pessoa que você está se tornando.

É uma busca permanente essa questão do crescimento pessoal.

Vivo refletindo sobre se ver livre dos meus defeitos e desenvolver as virtudes que valorizo, e assim me tornar a pessoa que quero ser.

Me lembrei da citação de Michelangelo que disse que ela não fazia a escultura pois ela já estava lá no bloco de mármore. Ele apenas retirava o material em excesso que não fazia parte da escultura.

Me ocorreu que o crescimento pessoal tem um semelhança.

Nós vamos retirando aquilo que não faz parte do indivíduo que queremos ser.

Amar a si próprio – uma tarefa difícil.

Passamos a vida toda querendo ser amado.

Fazemos tudo buscando uma atenção especial, um carinho, um reconhecimento, e porque será que nos afastamos de nós mesmos?

Porque é tão difícil amar a si próprio?

Nos sentimos às vezes vazios, como que buscando algo para nos preencher, ou buscando alguém que possa nos preencher.

Temos que dedicar tempo e atenção especial para olhar para si próprio e aprender a se amar.

Amar a si e amar os outros – amar os outros é amar a si.

A primeira coisa a fazer e desenvolver uma atitude amorosa e compassiva com os outros.

De maneira sutil e gradativa, temos que quebrar este círculo vicioso e torná-lo um círculo virtuoso.

Traga amor e alegria no seu relacionamento com os outros e vai trazer o mesmo para o seu relacionamento consigo mesmo.

Aproveite as muitas oportunidades para ser bom e ajudar os outros e vai assim se sentir engrandecido, preenchido internamente – pleno.

Escreva, e se habitue a fazer isso, pois nem sempre é possível falar disso, ou conversar com alguém. Esse desconforto desaparece à medida que o círculo virtuoso começa a rodar.

Deixe os eventos negativos do passado irem se afastando – deixe-os ir.

Se libere da culpa e se perdoe.

Deixe várias frases de encorajamento espalhadas pelo seu material de trabalho, de estudo. Pode parecer ingênuo, mas funciona.

Se libere de tanto querer e passe a usufruir mais aquilo que já tem. Usufrua da abundância da sua vida.

Faça uma lista das razões que você tem para se amar. Se esforce pra valer nisso.

Faça coisas que gosta de fazer.

Medite, e abrace a Oração da Serenidade.

Não espere 100% de si mesmo – não se culpe.

Ouça atentamente as mensagens que está enviando para si próprio.

Se trate como os seus pais te tratariam.

Se abrace – se goste – se cuide.

Beco

Um amor incondicional por si mesmo.

Não é um ato de egoísmo.

Como já postei anteriormente, é gostar de si próprio numa postagem antiga: gostar de mim.

 É um ato solitário, introspectivo, e fundamental para a felicidade.

É vislumbrar a si próprio como parte do todo que existe, e é esse todo que você deve amar  igualmente.

Assim como os nossos pais nos dedicaram um amor incondicional ao seu modo, devemos encontrar uma maneira própria de amarmos a si próprio.

A falta de amor próprio nos dificulta amar os outros e até mesmo aceitar o amor de outras pessoas.

Temos ainda uma dificuldade para realizar as coisas e ser feliz, pois não nos julgamos merecedores do que estamos por receber.

Isso envia uma mensagem muito negativa ao universo, de não fazemos parte disso, somos párias e não usufruímos da abundância do universo.

Não devemos sentir culpa por querer, desejar, receber, e assim aceitarmos o mérito pelas coisas que realizamos.

Sentir orgulho de ser o que é, reconhecendo os próprios talentos e pontos positivos.

Livrar-se da necessidade de usar uma máscara, ou de seguir o que os outros dizem que você deve seguir.

É a independência e a liberdade para ser você mesmo.

Não seja o pior crítico de si próprio, e já comentei em postagem anterior: não se imponha limitações que você não tem.

 Não tente se punir, se desaprovar e se sabotar, e deixe assim essa pessoa florescer.

Aceite as limitações da vida e aceite os resultados que você conseguiu, sem perfeccionismo e crítica excessiva.

Aceite as regras da vida e a luta pelos direitos, realizações e sobrevivência como algo natural – você não é ajudante de Deus para ter privilégios.

Não deixe que isso crie um conflito dentro de si.

Você é capaz sim.

As pessoas podem não gostar de ti, e isso não deve te desapontar e nem mesmo motivar uma decepção consigo mesmo.

Reflita sobre as expectativas que tem de si próprio.

Seja generoso consigo próprio.

Não fique fazendo o que satisfaz as outras pessoas.

Pense na sua satisfação, na sua felicidade e bem-estar.

Passe adiante.

Beco