Alegria Posts

Você se diverte no trabalho?

Seja engraçado, seja bem humorado.

Nada melhor que uma boa risada para descontrair as tensões do trabalho.

O ambiente de trabalho é habitualmente carregado por disputas, fofocas, intrigas, metas e estresse.

As pessoas não mudam de repente, e algumas não mudam mesmo, mas aqueles que levam a vida com bom humor, desempenham um papel importante nas equipes, trazendo a leveza a que se referem os autores Adrian Gostick e Scott Christopher no livro – The Levity Effect.

 Os autores pesquisaram as bases de dados sobre ambientes saudáveis e produtivos de trabalho e chegaram a conclusões interessantes.

O ambiente de trabalho pode ser prejudicial à produtividade, com pessoas chorando pelos banheiros, e afastamentos por razão de saúde, ou pode ser favorável à produtividade com relações leves e transparentes, gente bem humorada e brincadeiras.

A leveza é uma coisa que pode ser praticada todos os dias, e mesmo as pessoas mais carrancudas acreditam que um pouco de humor é desejável.

O riso é o melhor remédio.

Estudos médicos revelam isso, e grupos do riso que trabalham em hospitais conseguem bons resultados com os pacientes, e no Brasil temos diversos grupos trabalhando nessa linha.

Todos se lembram do filme Patch Adams – O amor é contagioso, onde Robin Willians interpreta o caso real do médico que trouxe o humor e o riso para o tratamento dos pacientes.

Se isso funciona no hospital, imagina o efeito que produz no ambiente de trabalho, na rotina do dia-a-dia.

Como é você?

Você se descontrai quando chega hora da brincadeira?

Você é uma fonte de inspiração para brincadeiras?

Um artigo do ano passado em Você S/A, fala sobre o bom humor no trabalho e comenta o livro de Adrian e Scott.

Mas devemos atentar quando as coisas passam do limite.

Você não deve constranger as pessoas com as brincadeiras.

Você tampouco quer parecer boba ou distraída.

Quando você faz a observação: estava só brincando, é que avançou o sinal – foi mal.

Evite o sarcasmo, isso opera contra a leveza.

A leveza melhora o ambiente, melhora a qualidade das decisões e nos faz mais produtivos.

O trabalho é grande parte da nossa vida, devemos investir no bem-estar no trabalho.

Beco

Abra espaço na sua vida para apreciar a vida.

Deixe espaço naquela agenda neurótica, trabalho, filhos, casa, casamento, marido e tanto mais – deixe espaço para apreciar a vida.

O blog pick the brain deixa algumas dicas para apreciar a vida, que passo adiante.

1-Aprecie a beleza. Não só aquela que você está acostumada, da paisagem, da natureza, mas olhe com outros olhos para as pessoas, para os edifícios e os próprios utensílios.

2-Se conecte com a natureza, e não precisa ir longe, nas montanhas, aprecie no dia-a-dia, no seu próprio jardim.

3-Ria – o melhor desperdício do dia, e não rir e não sorrir.

4-Tenha pequenos prazeres – pode ser um xícara de café, um minuto com as crianças.

5-Se conecte com as pessoas – o melhor do trabalho pode não ser a promoção, mas os relacionamentos no seu dia-a-dia.

6-Aprenda – Existe uma forte correlação entre aprendizado e felicidade.

7-Repense suas manhãs e tardes. O início do dia e o fim do dia podem ser aproveitados para atividades voltadas para você.

8-Celebre seus sucessos – No nosso cotidiano, temos vários pequenos sucessos – devemos aproveitar, compartilhar com outros e apreciar os elogios.

Temos que ter tempo para apreciar a vida, enquanto há vida. Pode parecer estranho, mas haverá um dia que o tempo será longo, mas a vida será curta.

Devemos reduzir um pouco a velocidade da nossa agenda para encaixar um tempo para a vida. Reduzindo um pouco a velocidade, não vai alterar o resultado, e não raro estamos correndo atrás do próprio rabo, gerando mais calor que resultado.

Seja gentil consigo mesmo, e preste atenção para as suas necessidades de saúde e os seus interesses pessoais.

Lembre-se, um ritmo compassado é que ganha a maratona. Não adianta sair desenfreada atrás das coisas, que vai perder o fôlego e acabar estressada.

Se dê permissão para reduzir o ritmo – vai se sentir estranha no princípio.

Se dê permissão para ser feliz.

Beco

Brinque, seja leve.

Leve as coisas na brincadeira.

Torne o ambiente mais leve.

Sinta a leveza do riso e da graça.

Estudos mostram que as crianças riem em média 300 vezes ao dia, enquanto que adultos riem em média 15 vezes.

Dizem que rir é o melhor remédio.

Onde é que perdemos essa habilidade?

A vida e a maturidade trazem preocupações, dúvidas, e uma porção de sentimentos que uma criança não tem.

Isso não quer dizer que somos miseráveis, mas ainda assim, cabe uma recomendação para pegar leve, descontrair, rir e brincar mais com as pessoas e com as situações.

Não se transforme num velho carrancudo.

Aproveite as situações engraçadas, sinta o prazer de uma gargalhada solta.

Conviva com pessoas alegres, que sempre têm uma coisa engraçada para contar. Aprenda com elas a ver o mundo com um colorido alegre e descontraído.

A atitude alegre mantém os pensamentos negativos e circulares, tão perniciosos na nossa vida.

Dizem que os cinco sentidos não são suficientes para se levar uma vida saudável. Precisamos ainda do senso de humor para curar as nossas feridas e no futuro termos a capacidade de rir de tudo isso que já passou.

O riso alivia a sua tensão e alivia também a tensão nas relações, reduzindo e evitando conflitos.

Como já comentamos, isso contribui também para fortalecer o sistema imunológico e nos afastar das doenças comuns.

Uma boa risada é também um exercício e uma massagem para diversos órgãos do nosso corpo.

Beco

Aja de maneira jovial.

Você acorda de manhã se sentindo jovial?

Você prepara o seu café da manhã com um sorriso nos lábios?

Você vai ao trabalho assoviando uma canção qualquer?

Você mantém um espírito alegre por todo o dia?

Quando estamos deprimidos, nos tornamos velhos de repente.

Agimos como velhos, nos movimentamos como velhos e pensamos como velhos.

Não estou me referindo aos sábios idosos, mas aos velhos conformados, negativos, os zumbis vivos.

Ande de cabeça erguida, olhar altivo, se movimente com energia, se sente adequadamente.

Vá para uma reunião de trabalho animado, tome notas, participe.

Ouça as músicas que gosta, ouça músicas novas, aprecie, bata com os dedos na mesa ao ritmo da música, acompanhe com o pé direito como se estivesse tocando a bateria.

Se alegre, sorria, compartilhe da luz que irradia das coisas e das pessoas.

Se dê um agrado, um banho de imersão prolongado, umas flores.

Cuide da saúde, faça exercícios físicos, uma caminhada.

Arrume umas coisas em casa, se livre do entulho.

Repasse alguns pensamentos positivos, coisas que deram certo, e outros que estão no caminho de dar certo.

Pense na qualidade dos seus pensamentos.

Pense na sua atitude frente à vida.

Faça alguma coisa criativa, um bordado, uma roupa, uma comida, um artesanato.

Escreva uma página no diário cheia de inspiração.

Ligue e vá ao encontro de amigos. Seja uma companhia agradável e desejada.

Dentre as escolhas que a vida te proporciona, escolha ser feliz.

Beco

O que estou fazendo com aquilo que tenho.

Ao invés de desejar ardentemente aquilo que não tenho, deveria examinar o que estou fazendo com aquilo que tenho.

É um paradoxo, mas quanto mais fizer uso dos recursos que já tenho, mais eles parecerão ilimitados.

Para você poder usufruir plenamente aquilo que você já tem, é preciso sentir a gratidão e a alegria por ter isso tudo.

A infelicidade pode estar em buscar indefinidamente aquilo que não tem, deixando de viver a valiosa experiência de usufruir daquilo que já tem.

Isso vale para a casa onde hoje mora, vale para o emprego que hoje tem e também para o carro que você fica sempre pensando em trocar.

Só para exercitar, pegue alguma coisa que você não usa mais, por qualquer motivo, e bote para funcionar. Sinta a satisfação de tê-lo e a satisfação se usá-lo.

É claro que se você não vai mais utilizá-lo, você deve pensar seriamente em dar para alguém ou vender. Enfim, isso está atrapalhando a sua vida – você está carregando um monte de entulho que não usa.

Uma velha história do adulto que se aproxima de um garoto brincando com seu joguinho:

-aproveite meu filho porque estes são os melhores anos da sua vida.

No que o garoto replicou:

-quer dizer que vai ficar pior?

Para muitos, o momento presente é um momento ruim, assim como a casa que tem é ruim, o carro é ruim, e essa atitude o leva indefinidamente à escravidão da esteira hedônica.

Tem que aproveitar o momento.

Tem que aproveitar o que tem.

Beco

Faça uma viagem nas suas lembranças.

Desenvolva a capacidade para se transportar para situações agradáveis do passado, um passeio de barco, uma paisagem exuberante, o frio agradável das montanhas.

Isso pode te ajudar quando precisar de um relaxamento.

A memória é como um bordado glamoroso. Toda vez que percorremos a memória por esse bordado, é como se tirássemos a poeira, reparássemos um fio solto, de forma a mantê-lo sempre do jeito que gostamos de vê-lo.

As boas memórias são coisas que não queremos perder nunca.

Imagine se pudéssemos voltar no tempo exatamente naquele tempo, naquele lugar, e desfrutar mais um pouquinho daquilo que se tornou inesquecível?

No fundo, quando rememoramos, fazemos quase isso por alguns momentos. Faça essa viagem de volta aos seus bons tempos – uma viagem nas suas lembranças.

Outra maneira de manter pavimentado esse caminho das lembranças é cultivá-lo com a ajuda dos amigos e familiares que compartilharam cada momento.

Outro dia, com a visita do meu tio que mora no exterior, pudemos usufruir dessa experiência maravilhosa.

Ele trouxe o seu álbum de fotografias, com fotos da sua juventude, onde pude me reconhecer garoto, compartilhando momentos fantásticos.

Foi como se estivéssemos cuidando carinhosamente daqueles momentos para que nunca viéssemos a perdê-los.

É certo que aqueles que vivem uma vida plena terão muitos bons momentos a recordar.

Gretchen Rubin, postou recentemente recomendações interessantes para suas lembranças: be a treasure house of happy memories – seja você mesmo uma casa de memórias alegres.

Ela mostra no vídeo a caixa que ela usa para colocar as lembranças do filhos, e eu acho muito interessante, especialmente para aqueles com filhos pequenos. É uma boa maneira de organizar, acessar, recordar e usufruir mais ainda dos bons momentos da vida.

Passe adiante.

Beco

Feliz em qualquer circunstância.

É fascinante como as pessoas, por mais difícil que seja sua jornada, encontram formas de superação para alcançar a felicidade.

Embora os exemplos de superação aconteçam entre homens e mulheres indistintamente, percebo que as mulheres são mais inclinadas a blogar-alimentar um blog, interagindo e compartilhando a sua dura jornada, com pessoas que sequer conhece.

Um bom exemplo de superação é de Eileen Oshea no seu blog; Threshold Places – how to be happy in any circumstance, de onde tirei a idéia da postagem de hoje – como ser feliz em qualquer circunstância.

Diz Eileen, que criou este blog pelo seu interesse como psicoterapeura na área da psicologia positiva, e também para disseminar a sua idéia de que é possível ser feliz em qualquer circunstância.

Nessa postagem, Eileen, recita umas recomendações para quem cruza o portal de uma nova fase, e convive com a insegurança, a incerteza e o medo.

-reconheça que você está no escuro, agora;

-encontre tempo e espaço para ouvir a sua voz interior;

-coloque o cartaz de boas vindas para todas as idéias e pensamentos que pintar no momento.

-se cuide, coma bem, repouse – cuide do básico;

-aprenda a se confortar, ser generoso a si próprio;

-use o riso para te ajudar a relaxar;

-busque orientações que tenham significado para você- leituras, conselheiros, amigos…;

-não apresse as decisões.

Beco