alegria no trabalho Posts

Minhas dicas sobre “Equilíbrio Vital” na Exame

Minhas dicas sobre “Equilíbrio Vital” na Exame

Antigamente, quando falávamos em trabalho era mais comum associá-lo à tristeza, hoje as pessoas sabem que podem e devem encontrar felicidade no trabalho também, bem como em todas as outras áreas da nossa vida. É com a proposta de levar conhecimentos que possam ajudar nesta busca que eu, em parceria com o médico psiquiatra, coach e consultor Frederico Porto estreamos o blog Equilíbrio Vital no site da Revista Exame.

Para complementar, inauguramos um canal no Youtube com o mesmo nome. Eu convido-o a ver o primeiro vídeo abaixo e a ler o texto (aqui). Tenho certeza de que aquilo que transmitirmos para você vai ajudá-lo a ter mais qualidade de vida. Se tiver alguma sugestão de tema fique a vontade para sugerir no campo de comentários.

Rubens Sakay (O Beco)

 

 

Você se diverte no trabalho?

Seja engraçado, seja bem humorado.

Nada melhor que uma boa risada para descontrair as tensões do trabalho.

O ambiente de trabalho é habitualmente carregado por disputas, fofocas, intrigas, metas e estresse.

As pessoas não mudam de repente, e algumas não mudam mesmo, mas aqueles que levam a vida com bom humor, desempenham um papel importante nas equipes, trazendo a leveza a que se referem os autores Adrian Gostick e Scott Christopher no livro – The Levity Effect.

 Os autores pesquisaram as bases de dados sobre ambientes saudáveis e produtivos de trabalho e chegaram a conclusões interessantes.

O ambiente de trabalho pode ser prejudicial à produtividade, com pessoas chorando pelos banheiros, e afastamentos por razão de saúde, ou pode ser favorável à produtividade com relações leves e transparentes, gente bem humorada e brincadeiras.

A leveza é uma coisa que pode ser praticada todos os dias, e mesmo as pessoas mais carrancudas acreditam que um pouco de humor é desejável.

O riso é o melhor remédio.

Estudos médicos revelam isso, e grupos do riso que trabalham em hospitais conseguem bons resultados com os pacientes, e no Brasil temos diversos grupos trabalhando nessa linha.

Todos se lembram do filme Patch Adams – O amor é contagioso, onde Robin Willians interpreta o caso real do médico que trouxe o humor e o riso para o tratamento dos pacientes.

Se isso funciona no hospital, imagina o efeito que produz no ambiente de trabalho, na rotina do dia-a-dia.

Como é você?

Você se descontrai quando chega hora da brincadeira?

Você é uma fonte de inspiração para brincadeiras?

Um artigo do ano passado em Você S/A, fala sobre o bom humor no trabalho e comenta o livro de Adrian e Scott.

Mas devemos atentar quando as coisas passam do limite.

Você não deve constranger as pessoas com as brincadeiras.

Você tampouco quer parecer boba ou distraída.

Quando você faz a observação: estava só brincando, é que avançou o sinal – foi mal.

Evite o sarcasmo, isso opera contra a leveza.

A leveza melhora o ambiente, melhora a qualidade das decisões e nos faz mais produtivos.

O trabalho é grande parte da nossa vida, devemos investir no bem-estar no trabalho.

Beco