aceite ajuda Posts

A ajuda que vem quando preciso.

Peço sempre pela ajuda que vem quando preciso. Mas preciso estar sempre com o coração aberto para perceber quando a ajuda chegar. Tenho que reconhecer que eu sempre tive a ajuda quando precisei.

É importante entender que a ajuda nem sempre é uma mão estendida para te salvar do abismo, mas pode ser uma simples iluminação nas ideias e nos caminhos a escolher.

Nos momentos de indecisão e dúvidas, uma observação, uma informação adicional é de grande ajuda, e isso pode aparecer de qualquer lado. Às vezes, um segundo te livra do perigo, e é preciso entender essa ajuda.

A porta de entrada é aberta por dentro.

As dádivas chegam a você pela porta de entrada, e esta porta é aberta por dentro, por você mesmo.

Isto significa que você precisa estar aberto para receber o que a vida tem para te oferecer.

Mas não é assim que normalmente nos colocamos, receptivos, de coração aberto. Muitas vezes estamos fechados para receber.

Não preciso resolver sozinho.

Ninguém dá conta de tudo sozinho e nem eu tenho que resolver tudo sem ajuda, sem apoio.

Devo procurar e aceitar ajuda, especialmente quando acho que a tarefa e a adversidade são maiores do que eu.

Todos temos o propósito de manter a autonomia e independência, mesmo no envelhecimento.

Acho que isso é saudável e adequado, pois enquanto nos sentimos no controle razoável do nosso dia, de nossas atividades, nos sentimos bem.

Compartilhando a dor.

Sei que todos gostam de compartilhar as alegrias.

Contar para alguém as coisas boas que aconteceram é algo que fazemos correndo.

Mas quando as coisas são ruins?

Saímos correndo para contar aos outros? Nós nos retraímos e nos escondemos?

Não esteja só ao cair.

Todos nos caímos um dia, e cada dificuldade é como um presente embrulhado num papel feio e sujo, e dentro do pacote tem sempre uma lição valiosa.

Mas nos sabemos o quanto é triste estar sozinho quando passamos por uma crise.

Tenha bons amigos.

Procure ajuda e aceite ajuda. Se apóie em alguém quando estiver caindo.

Alguém precisa estar lá para te ajudar a se levantar.

Especialmente quando estamos em dificuldades, sofremos o efeito conjugado de baixa auto-estima, o que nos inibe de procurar ajuda.

Temos que fazer um esforço para levantar a cabeça, deixar o orgulho de lado e ligar para alguém, pedir socorro.

Quando estamos com dificuldade de andar, gostamos de ter um braço amigo para se apoiar, imagine quando estamos caindo, aí então esse braço amigo é fundamental.

Algo que devemos ter em mente sempre, é fazer boas amizades.

A boa amizade é uma via de mão dupla, temos que ajudar e estar prontos para ajudar sempre.

Quem ajuda sempre, também está aberto para ser ajudado.

Aquele indivíduo prepotente, dificilmente ajuda os outros, e quando cai, cai só, simplesmente porque a sua prepotência não lhe permite que enxergue que há alguém capaz de ajudá-lo.

Não é preciso se sentir um super-homem. A ilusão de que os problemas são simples e nós somos muito poderosos pode atrapalhar.

Embora nos pareça evidente que alguém em dificuldade aceite ajuda, é preciso um bocado de humildade para se abrir e permitir que isso se processe.

Temos que vencer o sentimento de fraqueza que vem associada com aceitar ajuda.

É um comportamento natural buscar a independência, está no nosso DNA, mas esse sentimento de independência pode ser uma barreira na hora de aceitar ajuda.

Temos que vencer a vulnerabilidade do momento, vencer ainda o medo de receber uma recusa, alguém que negue a ajuda.

É bom ajudar, e é bom se ajudado.

Beco

Onde vou encontrar ajuda?

Porque a vida é tão dura?

Onde posso encontrar ajuda?

Quem vai me tirar desta?

Quando estamos abertos a receber ajuda, a ser ajudado, podemos encontrar ajuda por todos os lados.

Quando for grave, você deve sempre optar por procurar um profissional.

Somos ajudados todo momento, com um sorriso, um encorajamento, uma palavra de apoio.

Talvez a coisa mais importante nesses momentos, e se ajudar a si próprio.

As pessoas podem te ajudar a se levantar, mas você precisa fazer uma forcinha. Você precisa se empenhar.

Você nunca está sozinho, há sempre uma Força Superior que age quando você não sabe o que fazer.

No entanto, é preciso que sua mente esteja aberta para receber os sinais, as mensagens, a luz.

A ajuda sempre estará lá, e os caminhos serão revelados, mas é preciso estar com os olhos bem abertos e a mente aberta para perceber.

As pessoas podem até querer ajudar, mas é difícil ajudar uma pessoa que se fecha.

Quando nos julgamos onipotentes, falamos como se não precisássemos de ajuda, quando na verdade estamos perdidinhos – ninguém vai adivinhar.

Embora o nosso mundo civilizado seja largamente baseado na ajuda mútua, às vezes é difícil vencer a barreira de pedir ajuda, como comenta o artigo do New York Times – Why is Asking for Help so Difficult? – Porque pedir ajuda é tão difícil?

Comenta o artigo que as barreiras comuns são:

-o medo de ser julgado como fraco, necessitado e incompetente;

-o medo de que a sua fraqueza seja utilizada contra você;

-o medo de perder o controle da vida;

-o medo de que algo seja pedido em troca no futuro;

-a questão de quanto isso vai me custar, ou qual vai ser o preço.

Se juntar a um grupo de auto-ajuda pode ser um caminho fantástico, dependendo da ajuda que está procurando.

A vida moderna nos distancia dos familiares, e é uma pena, pois a sua ajuda pode estar nos membros da família. Um irmão mais velho, a mãe, o pai, os tios e até primos mais velhos.

Os amigos são sempre um colchão para te amortecer nas quedas – faça amigos, preserve seus amigos, cuide dos seus amigos.

Lidar com a ajuda é um fenômeno interessante.

A nossa prepotência muitas vezes nos deixa em desvantagem, fingindo saber o que não sabemos, ou que conseguimos fazer o que sabemos que não conseguimos. Aceitar ajuda, pedir ajuda parece tão difícil, e o pior é que é grátis.

As mulheres, segundo estudos, pedem mais ajuda. Não é porque elas se metem mais em encrencas, mas sim porque elas são mais habilidosas em pedir ajuda.

Nora Klaver que publicou o livro – “Mayday! Asking for Help in Times of Need” – Socorro! Pedindo Ajuda em Tempos de Necessidade, diz que as pessoas pedem ajuda de maneira inadequada, usando a culpa, a coerção e a chantagem.

Diz Nora que pedimos pena quando queremos assistência, que pedimos à pessoa errada, e que as experiências fracassadas do passado nos inibem de pedir ajuda no futuro.

Não estamos sozinhos nesse mundo, e é sempre bom contar com ajuda.

Beco

Não prejudique quem te ajuda.

Parece brincadeira, mas tem muita gente complicada que até para ajudar é difícil.

Procure não se enquadrar nessa categoria.

Não prejudique quem está te ajudando.

Aceite ajuda de coração.

Seja humilde e simplesmente aceite, sem críticas, sem culpa, de coração aberto.

Às vezes agimos com tal prepotência que recusamos ajuda e ofendemos quem nos estende a mão simplesmente porque julgamos acima de tudo isso. Recusamos ajuda porque achamos que vamos nos diminuir, e acabamos prejudicando quem mais nos ajuda.

Aceitar ajuda não nos tornam dependentes, diminuídos ou incapacitados.

O espírito perfeccionista também nos faz avessos à ajuda externa e às vezes podemos ofender quem nos ajuda.

Fazemos um julgamento negativo e açodado a respeito da pessoa que nos ajuda – ela não sabe porque passei.

Nos sentimos vulneráveis e rapidamente nos colocamos dentro de uma couraça de proteção, que na verdade nos protege contra o bem, e nos deixa ruminando o mal interno.

A auto-suficiência também afasta a ajuda – que as pessoas cuidem do seu próprio nariz.

A miopia da nossa real condição também nos coloca em negação do problema, da dificuldade e portanto de rejeição a qualquer ajuda.

Podemos também ver o mal em tudo. Aquele que me oferece ajuda é cínico, pois não está em sofrimento.

Reconheça quando as pessoas estão com boas intenções.

Não se julgue tão auto-suficiente.

Deixe a arrogância e a prepotência de lado, afinal você está com dificuldades, em sofrimento.

Seja humilde, se valorize, se levante do chão e segure a mão estendida.

Confie.

Não tenha a ilusão de que os problemas são fáceis e você é o todo poderoso, o super-herói.

Não se sinta uma carga para ninguém.

Não sinta culpa e não culpe ninguém por sua situação.

Não tenha pena de si próprio.

Não engate na resposta automática do: não, obrigado!

Exercite o: sim obrigado!

Beco