Aceitação Posts

Altos e baixos.

A vida é cheia de altos e baixos, mas vamos sobreviver, e no final tudo vai ficar bem.

Alguns eventos nos impulsionam para frente, outros incidentes nos puxam para trás, mas se atentarmos para o quanto já evoluímos, não temos porque sermos tomados por pessimismo.

A vida é cheia de oportunidades, mas precisamos estar animados para perceber. Se caminharmos com o olhar baixo, desanimados, vamos enxergar apenas os buracos da estrada. Precisamos levantar a mirada, focarmos o horizonte mais largo para enxergarmos aquilo que a vida nos oferece, o futuro que nos reserva.

Recuse pensar no que não pode mudar.

Se você pensar mais de três vezes numa coisa que não consegue mudar, acenda a luz vermelha. Se determine a interromper esse círculo vicioso, parar de dar murro em ponta de faca. Se recuse a continuar esse processo.

Coisas que não consigo mudar: o comportamento do meu vizinho, do meu chefe, da minha esposa.

Coisas que consigo mudar: o meu próprio comportamento, os meus pensamentos, o meu julgamento.

Os pensamentos prepotentes de querer mudar a tudo e a todos, pode nos atormentar sem descanso. Temos que recusar a alimentar tais pensamentos, abandonar a prepotência e assumir que não podemos tudo.

Uma névoa que criamos.

Nos esforçamos para aperfeiçoar uma imagem de nós mesmos, mas criamos uma névoa que acaba atrapalhando. Muitas vezes recusamos encarar a pessoa que somos, pois criamos uma imagem de perfeição inadequada, e constatamos de cara que essa imagem ideal não é aquela que apresentamos.

Criamos logo uma cortina de fumaça para embaralhar tudo, e isso é o medo de encarar a si próprio.

Essa atitude não permite que o crescimento pessoal se estabeleça, pois sequer sabemos aquilo que temos que melhorar.

Negamos as nossas deficiências e defeitos, e ficamos atordoados com a sensação de inadequação.

Nem tudo é o que parece.

A vida é como uma porção de camadas finas que escondem um conteúdo profundo, e temos que ficar atentos para não achar que aquilo que vemos é o que é. Nem tudo que parece, é a realidade.

Acordamos de manhã, e começamos a correria, filhos na escola, recomendações para as tarefas de casa, ir ao trabalho, planejar as reuniões já no caminho, e nem na hora do almoço temos sossego para saborear a vida.

A vida real está embalada nesse papel fino, muitas vezes colorido, mas a vida não é o papel que recobre. Temos que nos dar o tempo para desembrulhar e usufruir do conteúdo.

Nem tudo é o que parece, e isso vale especialmente para os pacotes feios, os eventos tristes da nossa vida.

As perdas.

A nossa vida é marcada por perdas de amigos e familiares.

Parece que ficamos sós, ou que algo muito valioso nos foi retirado repentinamente.

A fé numa Força Superior, e a crença dos caminhos traçados, e para os quais não temos qualquer controle, devem nos prover de serenidade para atravessar mais essa etapa.

Nem tudo é alegria nessa jornada, e caminhamos ganhando novos amigos e perdendo outros queridos.

Atenda quem bate à porta.

A aceitação é uma capacidade que temos que desenvolver. Quando aceitamos, permitimos que aquilo que nos atormenta vá embora.

É o paradoxo da mudança. Exatamente quando aceitamos o que não queremos é que permitimos que ele nos deixe em paz.

Funciona como alguém que bate à sua porta insistentemente. Você sabe que não é alguém que você gostaria de encontrar.

Não quero outra vida.

Aceito a vida que tenho.

Não tenho posses e nem sou celebridade. Sou uma pessoa bem comum, de uma família comum, com amigos comuns.

Não vivo no luxo, embora não me falte nada, até porque tenho expectativas bastante modestas quando se trata de bens materiais, conforto e status.

Tenho problemas como todo mundo e tenho que trabalhar como todo mundo, e aceito cada aspecto da minha luta.

E com tudo isso, seja o bem ou o mal, perdas e ganhos, aceito a minha vida completamente, e não quero outra vida.